A conquista do hexa

Pesquisadores obtêm em laboratório do Instituto de Física da Universidade de São Paulo o emaranhamento de seis campos luminosos a partir de uma única fonte de laser.

O emaranhamento quântico é uma propriedade de sistemas físicos que desafia o nosso senso comum, apesar de ser investigado desde 1935, quando o conceito foi apresentado em um trabalho dos físicos Albert Einstein (1879-1955), alemão e prêmio Nobel de Física de 1921, Boris Podolsky (1896-1966), de origem russa, e o norte-americano Nathan Rosen (1909-1995).

Sistemas físicos distintos que interagem por um tempo finito ‒ e, posteriormente, são separados ‒podem guardar uma ‘memória’ da interação. Eles tornam-se correlacionados: informações obtidas por medições feitas em um dos sistemas podem fornecer informações sobre o outro ‒ mesmo que ele esteja muito distante.

Marcelo Martinelli Paulo Nussenzveig

Laboratório de Manipulação Coerente de Átomos e Luz,
Instituto de Física,
Universidade de São Paulo

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

CONTEÚDO RELACIONADO

Biohacking, o que é isso?

Privadas capazes de analisar fezes e urina. Cidades iluminadas por organismos vivos. Obras de arte produzidas por organismos geneticamente modificados. Tudo criação de biohackers!

Pioneira na genética

Primeira mulher a se doutorar em história natural no Brasil, Chana Malogolowkin descobriu uma linhagem de drosófilas que não gerava machos, e usou, pela primeira vez, os órgãos genitais dessas moscas para classificar as espécies irmãs.