A descrição do complexo

A física passou a enfrentar a complexidade a partir do final do século 19. Para lidar com sistemas com muitas partículas, como gases, surgiu, então, a mecânica estatística. Apesar do imenso sucesso e utilidade dessa teoria, ela tem limitações.

 

Na busca por uma descrição ampla do mundo ao nosso redor, a ciência foi construindo seus modelos e suas teorias. Em particular, a física sempre procurou encontrar formas precisas para compreender a natureza, propondo leis simples e universais para explicar o maior número possível de fenômenos.

Obra de Newton, considerada uma das publicações mais importantes de todos os tempos

O primeiro grande passo foi dado por Isaac Newton (1642-1727). Ao formular as leis da mecânica clássica, esse físico britânico construiu um modelo determinista para o universo.

As leis de Newton nos possibilitam conhecer com grande precisão os movimentos planetários no passado, hoje e em um futuro distante. Isso pode ser feito de maneira quase exata, porque o movimento planetário é um problema que envolve um número restrito de atores (nesse caso, o Sol e os planetas do Sistema Solar). Em situações mais complexas, porém, a descrição dos movimentos a partir desse modelo não é simples e tampouco eficiente.

Adilson de Oliveira

Departamento de Física,
Universidade Federal de São Carlos (SP)

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

CONTEÚDO RELACIONADO

Formigueiro matemático

Uma série de animação japonesa serviu de base para uma pergunta intrigante que custou anos para que a comunidade matemática chegasse a uma resposta aproximada. E o desafio continua.

Um tempo para cada um

O que é o tempo? Ele é igual para todos? Tem realidade física ou é mera ilusão? Essas perguntas sobre esse conceito – tão fascinante quanto intrigante –vêm sendo objeto de questionamentos por milênios.