A mente brilhante de Hedy Lamarr

Mais conhecida por sua carreira em Hollywood, a atriz de cinema foi coinventora das bases da tecnologia de comunicação sem fio, que deu origem à telefonia celular e a dispositivos como GPS, wi-fi e bluetooth

Quem desfruta da conectividade que reconfigurou o mundo pode se surpreender ao ser informado que uma atriz hollywoodiana é uma das personagens que contribuíram para esse feito. A inventora e atriz austríaca Hedwig Eva Maria Kiesler (1914-2000), mais conhecida como Hedy Lamarr, é cocriadora das bases da tecnologia de comunicação sem fio.

Lamarr fez uso da intuição e razão para responder a uma situação-problema de sua época, transitando pela arte e pela ciência. Durante a Segunda Guerra Mundial, o Conselho Nacional de Inventores (NIC, na sigla em inglês), organização governamental norte-americana criada em 1940 e ligada ao serviço técnico do Departamento de Comércio, convocou civis para o envio de ideias. Lamarr, que desde a infância mostrou-se curiosa e inquieta – aos cinco anos, desmontou e montou sua primeira caixa de música –, enviou seu projeto.

Nascida em Viena e filha de judeus, Lamarr é fruto de sua formação educacional. Sua mãe, Gertrud, era uma exímia pianista, e seu pai, Emil, diretor de um banco. Apostando na educação como valor essencial à sobrevivência, ambos reconheciam e incentivavam a curiosidade e a inventividade da filha.

Denise Figueira-Oliveira

Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências (Propec),
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ)

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

CONTEÚDO RELACIONADO

A matemática da natureza

As palestras e vídeos que o matemático Tadashi Tokieda compartilhada nas redes têm milhões de visualizações. Apesar disso, nega ser um divulgador científico. Nesta entrevista à CH, ele fala do seu processo de extrair a ciência do que está à sua volta.

Por que Merlí?

Série catalã sobre professor de filosofia dá lição sobre a difícil missão de educar os jovens no ensino médio