Chernobyl: a melhor investigação nuclear dos últimos tempos

Série reconstitui causas e consequências da explosão na usina nuclear soviética e apresenta retrato realista da época e do lugar do acidente.

A série Chernobyl, dirigida por Johan Renck e produzida pela HBO/Sky, está sendo classificada como um dos maiores sucessos de público em 2019. O tema da série não poderia ser mais complexo, pois aborda não somente os eventos do acidente nuclear ocorrido em maio de 1986 em Chernobyl (na antiga União Soviética), como também reproduz e explica de forma didática e simples as causas que levaram ao desastre. E o faz sem sensacionalismo, sem preconceitos contra a energia nuclear. Mas, acima de tudo, a série mostra a coragem de certos homens e mulheres na busca e divulgação da verdade, em contraposição a um governo que não primava pela transparência.

Dividida em cinco capítulos, Chernobyl tem no seu elenco principal Jared Harris, que interpreta o químico russo Valery Legasov (1936-1988), chefe da comissão que investigou o acidente, e Stellan Skarsgård, interpretando o político ucraniano Boris Shcherbina (1919-1990), que foi chefe do Conselho de Ministros da União Soviética e supervisionou a gestão de crises soviéticas na época. Emily Watson interpreta o personagem fictício Ulana Khomyuk, que representa a comunidade científica soviética engajada em ajudar Legasov. Khomyuk ficou responsável por investigar os fatos que levaram ao acidente, enquanto Shcherbina e Legasov se dedicaram aos trabalhos de antecipar e resolver problemas e remediar as consequências do desastre em termos humanos e ambientais.

Elizabeth May Pontedeiro

Programa de Engenharia Nuclear,
Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe),
Universidade Federal do Rio de Janeiro e
Comissão Nacional de Energia Nuclear (aposentada)

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

Open chat
Powered by