De volta, e para ficar

Ciência Hoje vem renovada para lidar com o momento paradoxal da informação tão acessível e tão sujeita a imprecisões.

Crédito narração: Bárbara Pereira

Enfim, de volta. Renovada. Pronta para os novos desafios de um mundo cada vez mais conectado e diversificado. Mas sempre pensando. Sem dúvida vivemos uma época especial, na qual o conhecimento se dissemina com rapidez e facilidade. A pergunta a se fazer é: que conhecimento é esse? Frequentemente ouvimos o argumento “mas eu li na internet…”. O fato é que as notícias falsas nunca proliferaram com tanta velocidade, e elas são de todo tipo – de fatos políticos a curas milagrosas. Estamos sofrendo, paradoxalmente, uma crise de conhecimento. A informação nunca foi tão acessível e, ao mesmo tempo, tão sujeita a imprecisões e mau uso intencional. Por essa razão, é necessário trabalhar com foco na credibilidade, para que a informação tenha valor, para que o conhecimento qualificado prevaleça. Nossa sociedade é profundamente dependente do conhecimento científico. Divulgá-lo é missão de alguns. E é a razão de ser da Ciência Hoje. Aqui estamos: 100% digital e multiplataforma. Siga, curta, compartilhe, porque é da máxima confiança, porque é CH.

Matéria publicada em 25.05.2018

COMENTÁRIOS

  • Verlan Valle Gaspar Neto

    Parabéns ao Instituto por essa retomada! Como assinante, sempre deixei claro meu apreço por essa revista de divulgação científica, marcada por informação de qualidade e proximidade com a comunidade acadêmica nacional. Que ela realmente tenha voltado para ficar, se possível, também em formato impresso (nem todos os leitores, como eu, nasceram no século XXI- rsrsrs). Meu único questionamento é com relação à apresentação. Confesso que estou um pouco confuso. Onde começa e onde termina a revista (capa, páginas etc.)? Como disse há pouco, são dificuldades de um leitor nascido no século passado. No mais, desejo muito sucesso ao ICH e às suas iniciativas.

    Publicado em 29 de maio de 2018 Responder

  • FABIO CAVALCANTI

    Sensacional!
    Mais do que nunca, precisamos de fontes fidedignas de informação/conhecimento que contenham revisão não só de ortografia (por que os robôs do Google já fazem isso quase 100%) mas também de conceitos que nosso país tanto é órfão.
    Parabéns para a coragem de continuar e que dure pelo menos até a virada do próximo século 😀

    Publicado em 30 de maio de 2018 Responder

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

Formigueiro matemático

Uma série de animação japonesa serviu de base para uma pergunta intrigante que custou anos para que a comunidade matemática chegasse a uma resposta aproximada. E o desafio continua.

Um tempo para cada um

O que é o tempo? Ele é igual para todos? Tem realidade física ou é mera ilusão? Essas perguntas sobre esse conceito – tão fascinante quanto intrigante –vêm sendo objeto de questionamentos por milênios.