Ensaio sobre a cegueira botânica

Atividades práticas abrem os olhos dos estudantes para a vegetação próxima a suas comunidades e ensinam sobre a importância das plantas para a manutenção de toda a vida no planeta.

Reconhecer o valor das plantas para a sobrevivência e manutenção do equilíbrio ambiental é necessário e urgente, especialmente para os jovens. Os vegetais são essenciais não apenas por fornecerem oxigênio, mas, também, por suas aplicações comerciais e industriais. Eles oferecem alimentos, medicamentos, matéria-prima para tecidos (fibras), madeira, combustível e lazer nas áreas naturais. Por que, então, os estudantes têm tão pouca informação e contato com as plantas, um fenômeno que já está sendo chamado de ‘cegueira botânica’?

A falta de conhecimento prático é um dos obstáculos. Para nos aproximar das plantas, é necessário reconhecê-las como seres vivos e entender que possuem um ciclo de vida, são formadas por células, possuem metabolismo, respondem aos estímulos do ambiente, evoluem e são fatores bióticos relevantes na constituição dos ecossistemas.  Apesar disso, os professores optam, em alguns casos, por não trabalhar esse conteúdo no ensino médio ou por deixá-lo para o final do ano letivo para, por meio de síntese extrema, simplificá-lo ao máximo. Assim, dificilmente os alunos passarão a relacionar o reino vegetal à manutenção da vida.

 

Quais árvores são suas vizinhas?

Trabalhar o conteúdo de botânica no ensino médio precisa ser prazeroso, o que é tarefa fácil de executar, já que as plantas estão presentes em nosso cotidiano. Basta olhar ao redor, por exemplo, para observar a arborização urbana. E esse é um tópico muito interessante para ser desenvolvido de forma investigativa com os estudantes. O assunto não costuma ser trabalhado como conteúdo no ensino de biologia, mas sua inclusão pode favorecer a consolidação e a aplicação dos conhecimentos do aluno sobre as plantas.

A metodologia investigativa também induz a aprendizagem significativa, pois transforma o aluno no protagonista do próprio conhecimento. Executar atividades de pesquisa resulta, portanto, em maior adesão às práticas escolares e amplia a participação dos jovens, produzindo resultados efetivos.

Essa experiência foi feita com uma turma do segundo ano do ensino médio de uma escola pública no município de Fortaleza de Minas, em Minas Gerais. Os alunos observaram, listaram, mapearam e pesquisaram a identificação das espécies arbóreas presentes no entorno de suas residências. A proposta de desenvolvimento baseou-se no protagonismo juvenil e foi desenvolvida durante as seis aulas descritas a seguir. Para a identificação das espécies amostradas, grupos de alunos compareceram na escola no contraturno.

 

Como funcionou o trabalho na prática?

Na primeira aula, para problematizar conceitos sobre a arborização urbana, foram feitas as seguintes perguntas norteadoras:

– Vocês sabem o que é arborização urbana?

– Qual é a importância das árvores para o município?

– Será que o município de Fortaleza de Minas é arborizado adequadamente?

Diante dessas questões, houve debate, e os alunos levantaram hipóteses. Também elaboraram um questionário único para aplicar aos vizinhos e coletar dados sobre cada espécime de planta amostrado.

No trabalho de campo, os alunos que residem na zona urbana realizaram um levantamento das árvores da rua onde moram. Os alunos residentes na zona rural fizeram um levantamento de árvores próximas a sua residência. Os alunos fizeram o registro fotográfico dos espécimes analisados e distribuíram em um croqui (desenho) da rua (zona urbana) ou do entorno (zona rural) de sua residência.

Croqui elaborado por aluna residente na zona rural

Na segunda e terceira aulas, os alunos, após análise dos dados coletados, apresentaram seus relatórios individuais e localizaram, no mapa do município, os pontos que representam as árvores encontradas por eles. Nessa fase, houve discussão sobre as observações dos estudantes durante a atividade de campo, suas dificuldades e os resultados encontrados.

Mapa do município com a localização das árvores pesquisadas pelos alunos

Vale ressaltar que a amostragem do trabalho foi pequena, pois muitos alunos moram na mesma rua que seus colegas. Foram observadas 14 ruas do município e 238 indivíduos arbóreos, sendo 145 palmeiras. Foram identificadas ainda três ruas sem árvores.

Quantidade de indivíduos amostrados por espécie. Por estarem em número extremamente maior, as palmeiras foram excluídas do gráfico, para facilitar a visualização da presença das outras espécies

Na quarta e quinta aulas, os alunos foram levados à sala de informática da escola para pesquisar a identificação das espécies por eles amostradas, comparando as imagens e os nomes populares obtidos por meio do questionário com os vizinhos.

Depois das palmeiras, as espécies mais frequentes registradas na arborização urbana foram: a) murta (Murraya paniculata); b) rosedá (Lagerstroemia indica); e C) oiti (Licania tomentosa)
Fotos de autoria dos alunos

Na sexta aula, a turma foi orientada a confeccionar um relatório único, que, posteriormente, foi entregue ao prefeito pelos próprios alunos, em um exercício de cidadania e contribuição para o planejamento da arborização do município.

Depois desse trabalho, os alunos mudaram sua visão das plantas, o que caracteriza essa atividade como eficiente para minimizarmos a cegueira botânica. Além disso, os estudantes se tornaram replicadores do olhar atento à arborização urbana, ampliando sua participação cidadã.

Leia mais

Salatino A, Buckeridge M. 2016. Mas de que te serve saber botânica? Estudos Avançados 30: 177-196.

Fernanda Aparecida Soares Costa

Mestrado Profissional em Ensino de Biologia (Profbio)

Denise Maria Trombert Oliveira

Departamento de Botânica,
Universidade Federal de Minas Gerais

Matéria publicada em 13.07.2020

COMENTÁRIOS

  • Anônimo

    Que excelente trabalho professora Fernanda. Esse olhar a educação de qualidade faz o estudante ser muito mais do que um mero recebedor de conhecimento, e sim um cidadão consciente do mundo onde vive. Parabéns à todos envolvidos.

    Publicado em 15 de julho de 2020 Responder

    • Rildo

      Muito bom mesmo, estão de Parabéns, tanto a professora Fernanda, quanto aos Alunos, que se dedicaram com afinco.
      Poucos são os mestres que têm essa visão, para conseguir puxar dos alunos, esse conhecimento que passa sem percebermos.
      🙌🏾👏

      Publicado em 15 de julho de 2020 Responder

      • Anônimo

        Obrigada Rildo. Meus alunos são merecedores deste resultado

        Publicado em 16 de julho de 2020

    • Anônimo

      Obrigada. Realmente devemos investir no protagonismo juvenil para a formação cidadã e participativa de nossos alunos.

      Publicado em 16 de julho de 2020 Responder

  • CELMA ALVES DE SOUSA

    Parabéns a voce professora Fernanda e aos seus alunos!!!! 👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

    Publicado em 15 de julho de 2020 Responder

    • Anônimo

      Parabéns aos nossos alunos. Afinal sao meus também!!!

      Publicado em 15 de julho de 2020 Responder

    • Anônimo

      Obrigada Celma

      Publicado em 16 de julho de 2020 Responder

    • Inês maria

      Parabens Fernanda e alunos!!!
      Importante incentivar os nossos jovens reconhecerem a grandeza de nossas arvores, produzindo alimentos, melhorando nosso ar e tornando mais bonito e agradável nosso meio ambiente.

      🌳🌴🌵🌲🌳

      Publicado em 10 de agosto de 2020 Responder

  • Cleitin do Lava jato

    Nois é Nois 😝

    Publicado em 15 de julho de 2020 Responder

  • Luzia Aparecida Rocha

    Fortaleza de Minas se destacando com o excelente trabalho da professora Fernanda Aparecida Soares Costa. Parabéns Fernanda.

    Publicado em 15 de julho de 2020 Responder

    • Fernanda

      Obrigada Luzia

      Publicado em 16 de julho de 2020 Responder

  • Juliana Guerra

    Parabéns, Fernanda!! Trabalho belíssimo e importante desenvolvido por você e seus alunos. É uma inspiração para nós professores.

    Publicado em 15 de julho de 2020 Responder

    • Fernanda

      Obrigada Juliana, professor inspira professor e alunos. Nossa meta sempre.

      Publicado em 16 de julho de 2020 Responder

  • Eliel Ribeiro do Nascimento

    Fernanda.. que orgulho em ser seu colega de mestrado. Muito bom seu trabalho e principalmente a publicação dele nesta Revista!! Parabéns!!!

    Publicado em 15 de julho de 2020 Responder

    • Fernanda

      Obrigada Eliel

      Publicado em 16 de julho de 2020 Responder

  • Andreza

    Fernanda Parabéns a todos envolvidos! Excelente trabalho!

    Publicado em 15 de julho de 2020 Responder

    • Fernanda

      Obrigada Andreza

      Publicado em 16 de julho de 2020 Responder

  • Anderson

    Muito bom excelente trabalho! Parabéns Fernanda!E todos envolvidos!!!

    Publicado em 15 de julho de 2020 Responder

    • Fernanda

      Obrigada

      Publicado em 16 de julho de 2020 Responder

  • Luciano

    Parabéns a você Fernanda pelo excelente trabalho, que além de contribuir com a educação de nossos alunos, contribuiu também para chamar a atenção de nossa comunidade nesse assunto. Parabéns também para os nossos alunos pelo envolvimento, dedicação e resultados obtidos.

    Publicado em 15 de julho de 2020 Responder

    • Fernanda

      Obrigada Luciano. Devemos priorizar nossa comunidade sempre.

      Publicado em 16 de julho de 2020 Responder

  • Jones Arruda

    Fernanda que trabalho lindo e rico! Conhecer a vegetação em nossa volta é conhecer o Brasil.

    Publicado em 15 de julho de 2020 Responder

    • Fernanda

      Obrigada Jones

      Publicado em 16 de julho de 2020 Responder

  • Weslayne Correa

    Parabéns Fernanda, orgulho em ter você em nossa equipe.

    Publicado em 15 de julho de 2020 Responder

    • Fernanda

      Obrigada Weslayne. A honra é minha fazer parte da equipe

      Publicado em 16 de julho de 2020 Responder

  • Janaína Soares L Pimentel

    Parabéns Fernanda e alunos!! Excelente trabalho e de grande importância para o mundo. O reconhecimento da rica natureza que temos é fundamental para sobrevivência.

    Publicado em 15 de julho de 2020 Responder

    • Fernanda

      Obrigada Janaina

      Publicado em 16 de julho de 2020 Responder

  • Cyndi

    Parabéns!

    Publicado em 15 de julho de 2020 Responder

    • Fernanda

      Obrigada

      Publicado em 16 de julho de 2020 Responder

  • Márcio Nobre

    Excelente trabalho! Estão de parabéns todos os alunos e, principalmente, a professora Fernanda.

    Publicado em 15 de julho de 2020 Responder

    • Fernanda

      Obrigada Marcio

      Publicado em 16 de julho de 2020 Responder

  • Elaine

    Parabéns professora Fernanda e parabéns também aos alunos pelo empenho!

    Publicado em 15 de julho de 2020 Responder

    • Fernanda

      Obrigada Elaine

      Publicado em 16 de julho de 2020 Responder

  • Kenya Nunes

    Ahhh! Lindo trabalho de despertar esse olhar nos estudantes!

    O conhecimento investigativo num contexto assim, desperta muito além do objetivo inicial! Está formando cidadãos críticos e engajados!
    Parabéns Fernanda!

    Publicado em 15 de julho de 2020 Responder

    • Fernanda

      Obrigada Kenya

      Publicado em 16 de julho de 2020 Responder

  • EDILSON HELENO DE ANDRADE

    Parabéns professora Fernanda… pela dedicação e pela abordagem ao tema, pois desperta a curiosidade e conhecimento de seus alunos… deve ser gratificante ver o empenho de seus alunos para na realização desse projeto, além de proporcionar a consciência de um Mundo melhor! 😉

    Publicado em 16 de julho de 2020 Responder

    • Fernanda

      Obrigada Edilson

      Publicado em 19 de julho de 2020 Responder

  • eloisalopes1

    Excelente e inspirador trabalho da professora Fernanda e sua turma! Parabéns!!

    Publicado em 20 de julho de 2020 Responder

  • Inês maria

    Parabens Fernanda e alunos!!!
    Importante incentivar os nossos jovens reconhecerem a grandeza de nossas arvores, produzindo alimentos, melhorando nosso ar e tornando mais bonito e agradável nosso meio ambiente.

    🌳🌴🌵🌲🌳

    Publicado em 10 de agosto de 2020 Responder

Envie um comentário