Henry Bates, herói da evolução

Observador atento e coletor prolífico, o naturalista que passou 11 anos na Amazônia foi autor de artigo que deu sustentação à teoria da evolução quando ela era atacada por todos os lados.

Henry Walter Bates nasceu em 1825, em Leicester, no interior da Inglaterra. Seus pais eram donos de um pequeno armazém e ele logo foi recrutado para ajudar no negócio da família. Com 14 anos, já enfrentava jornadas exaustivas de trabalho, que conciliava da melhor maneira possível com seu amor pelas ciências naturais. Bates era, acima de qualquer coisa, um estudioso de insetos. Já aos 18 anos havia dado sua primeira contribuição à literatura científica, com o trabalho ‘Notas sobre insetos coleópteros frequentadores de locais de despejo’, publicado na revista Zoologist, em janeiro de 1843.

Luiz Mors Cabral

Instituto de Biologia,
Universidade Federal Fluminense

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

CONTEÚDO RELACIONADO

Nióbio: salvação ou promessa brasileira do século 21?

Talvez, você já tenha lido nas redes sociais que a exploração do nióbio seria a ‘salvação’ para a economia do Brasil. Isso procede? O que é fato sobre esse elemento químico? Que propriedades o fazem tão especial?

Deus e o Diabo na literatura dirigida à infância

Como estratégia para conquistar as crianças indígenas, o padre jesuíta José de Anchieta valia-se de autos e recitais de poesia.