Se a ideia de infinito já é intrigante, o que dizer sobre a existência de múltiplos infinitos e da relação entre eles?

É bastante razoável considerar que dois conjuntos tenham a mesma quantidade de elementos quando é possível estabelecer uma relação um a um entre eles, de tal forma que não sobre nenhum elemento nem de um lado nem de outro. Mas como é possível que dois conjuntos tenham a mesma quantidade de elementos, se um cabe inteiramente dentro do outro? Todos os conjuntos infinitos são equivalentes? Será que existem infinitos maiores do que outros? E como abordar a ideia de infinito na escola básica? Vale a pena produzir um ensino de matemática menos comprometido com a oposição entre erro e acerto e mais orientado para a criatividade? Estamos esperando as suas impressões para construirmos juntos um artigo para a Ciência Hoje.

Victor Giraldo
Professor Associado
Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Matemática – Universidade Federal do Rio de Janeiro

USE A SEÇÃO ABAIXO PARA INTERAGIR COM O AUTOR

Seu e-mail não será compartilhado com terceiros.

Matéria publicada em 27.06.1980

COMENTÁRIOS

  • admin

    Comentário teste.

    Publicado em 27 de junho de 2018 Responder

    • Bruno

      Respondendo a este comentário como teste.

      Publicado em 27 de junho de 2018 Responder

    • Meu Nome

      Oi, minha resposta é!

      Publicado em 3 de julho de 2018 Responder

  • Meu Nome

    Minha Mensagem

    Publicado em 3 de julho de 2018 Responder

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

Como você percebe a ciência?

Quais os efeitos dos jogos digitais sobre o nosso corpo e quais benefícios eles podem nos trazer?

O mapa da Amazônia nas mãos das comunidades locais

Populações ribeirinhas, indígenas, quilombolas e extrativistas atuam, lado a lado, com pesquisadores de universidades públicas na cartografia social, em mini laboratórios espalhados por regiões remotas do país.