Na estante

Cientistas cassados

O massacre de Manguinhos
Herman Lent
Rio de Janeiro, Fiocruz Edições Livres, Coleção Memória Viva, 2019, 112p.,e-book gratuito em: Arca Fiocruz

Herman Lent foi um notável entomologista brasileiro. Nasceu no Rio de janeiro em 1911 e morreu nessa mesma cidade em 2004, aos 93 anos. Destacou-se na sistematização dos insetos hematófagos transmissores da Doença de Chagas, denominados genericamente de “barbeiros”. Exerceu sua principal atividade como pesquisador no Instituto Oswaldo Cruz, onde ingressou como estagiário em 1933. Trabalhou também como professor em outras instituições de pesquisa no Brasil e no exterior e em várias instituições de ensino.

Em 1º de abril de 1970, pouco mais de um ano após a edição do Ato Institucional nº 5 (AI-5), documento que aprofundou o caráter ditatorial do regime militar instituído em 1964, foi demitido do Instituto Oswaldo Cruz e teve cassados seus direitos políticos em companhia de outros nove colegas. Eram eles Augusto Perissé, Domingos Machado Filho, Fernando Ubatuba, Haity Moussatché, Hugo de Souza Lopes, Masao Goto, Moacyr Andrade, Sebastião Oliveira e Tito Cavalcanti. As acusações, nunca provadas, foram a de que faziam proselitismo político e eram “subversivos”, conforme o jargão da época.

Reinaldo Guimarães

Núcleo de Bioética e Ética Aplicada
Universidade Federal do Rio de Janeiro

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

CONTEÚDO RELACIONADO

Quase três séculos de atraso

O estudo das reparações por erros históricos, como a escravidão nas Américas, pode lançar luz na luta por justiça social, no combate ao racismo, à supremacia branca e às desigualdades raciais.

Sexualidade e gênero na pauta da escola

Reflexões resultantes do diálogo entre uma professora do ensino médio e um pesquisador na área de educação, gênero e sexualidade.