O mundo sob a perspectiva de cima

As imagens, mais do que representar o espaço, colaboram com os procedimentos de construção do pensamento geográfico.

As imagens podem ser definidas como representações gráficas da realidade. Obtidas sob diferentes pontos de vista, variando desde a perspectiva em perfil, passando pela oblíqua até o posicionamento vertical, as imagens contribuem para uma interpretação cada vez mais acurada de diversos fenômenos. As janelas espaciais e temporais que elas representam possibilitam que, de alguma forma, tenhamos a chance de analisar o mundo capturado em um instante, e assim perceber não apenas os elementos que o compõem, mas também as suas relações espaciais.

Ao longo de nossa história, o uso das imagens tem sido direcionado para o reconhecimento e a realização de medições de elementos geográficos. Afinal, é através delas que tradicionalmente geramos outros tipos de representações espaciais, como os mapas, igualmente importantes. Mas as imagens, ao contrário dos mapas, apresentam a riqueza de um caráter polissêmico, permitindo a realização de diferentes interpretações, favorecendo o apoio a várias temáticas.

Paula Maria Moura de Almeida e Carla Madureira Cruz

Departamento de Geografia, Instituto de Geociências
Universidade Federal do Rio de Janeiro

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje