Os desafios de uma física teórica

Conheça a trajetória da pesquisadora que descobriu o desejo de ser cientista ainda na infância e hoje se destaca em um universo tipicamente masculino

 

Descobri o desafio de ser mulher no mundo científico no primeiro dia de aula na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Naquele ano, ingressaram somente oito meninas, entre 80 alunos. Em um universo onde lideranças femininas eram escassas, a mensagem era clara: física não era para mulheres. As meninas eram organizadas e esforçadas, mas não eram as ‘geniais’. Aos poucos, minhas colegas foram silenciosamente abandonando o curso. Eu, no entanto, não podia me dar ao luxo de desistir e tratei de criar as oportunidades.

Márcia Barbosa

Instituto de Física,
Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

CONTEÚDO RELACIONADO

Como você percebe a ciência?

Quais os efeitos dos jogos digitais sobre o nosso corpo e quais benefícios eles podem nos trazer?

O mapa da Amazônia nas mãos das comunidades locais

Populações ribeirinhas, indígenas, quilombolas e extrativistas atuam, lado a lado, com pesquisadores de universidades públicas na cartografia social, em mini laboratórios espalhados por regiões remotas do país.