Quando tudo está na “nuvem”

Parece ficção científica, mas não é! Catálogo de imagens da Terra possibilita saber para onde caminhamos no que diz respeito às nossas florestas, ao clima e à ação humana.

Imagine ter acesso a um enorme volume de imagens da Terra de diferentes resoluções e datas. Tudo isso em um catálogo que combina conjuntos de dados espaciais que possibilitam uma análise em escala planetária envolvendo mais de 40 anos de registro. E mais: de forma aberta, gratuita e irrestrita.

Até bem pouco tempo essa descrição pareceria ficção científica, mas não é. Da mesma forma que nos surpreendemos com o armazenamento de dados espaciais dos nossos “passos”, o que possibilita a elaboração de um histórico recente do que fizemos, as novas iniciativas para se compreender tendências de mudanças também são aplicadas para a superfície terrestre. Assim, é possível seguir os passos do nosso planeta no que diz respeito a florestas, condições climáticas e pressões antrópicas. Mas quais seriam as vantagens e limitações de uma abordagem assim?

Paula Maria Moura de Almeida e Carla Madureira Cruz

Departamento de Geografia, Instituto de Geociências
Universidade Federal do Rio de Janeiro

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje