Radiômica e tumores cerebrais

Para prever a ocorrência da migração de tumores malignos pelo corpo, uma nova técnica reúne dois exames de imagens tradicionais e métodos matemáticos e de programação complexos. Os resultados são promissores.

Em colunas recentes, apresentei a PET (tomografia por emissão de pósitrons) e a radiômica. Agora, é a vez de uma técnica recente, mas promissora, para a previsão da possível migração do câncer para diferentes regiões do corpo, sobretudo pescoço e cabeça: a associação da PET com a tomografia computadorizada (CT), empregando inteligência artificial (IA) e redes neurais

Essa migração (tecnicamente, metástase) é uma fase avançada do processo de crescimento e difusão de células cancerosas, que se espalham para outros órgãos, além daquele onde a doença começou. Nessa fase, do ponto de vista clínico, o tratamento e a cura tornam-se mais complexos.

Tomografia computadorizada mostrando suspeita de metástase no cérebro, na parte central da área mais escura (dir.)
Crédito: Wikimedia commons

Prever a possibilidade de metástase pode propiciar intervenções clínicas que levem ao fim da doença. A identificação de tumores por meio de técnicas de imagem –cuja análise é geralmente feita visualmente – depende da expertise do médico radiologista. Mais: quanto menor o tumor, mais difícil é sua identificação visual.

Então, é desejável o desenvolvimento de processos automáticos que auxiliem na identificação de tumores em sua fase inicial de crescimento, bem como na possibilidade de previsão de metástase. Isso pode não só melhorar o controle da doença, mas também evitar tratamentos desnecessários. Esses aspectos são críticos quando se trata de câncer de pescoço e cabeça.

Carlos Alberto dos Santos
Instituto Federal de Educação
Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (Natal)

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

CONTEÚDO RELACIONADO

A ciência contra o racismo e o preconceito

Como a herança e o conhecimento africano podem ajudar a construir um diálogo permanente no combate ao preconceito e a discriminação que tenham origem no racismo?

Museu Nacional: saindo do luto, indo para a luta

Depois de um ano do incêndio no museu mais antigo do Brasil, a instituição está virando a página e apresenta um balanço do apoio recebido e dos resultados alcançados até agora.