Testando estrategicamente

Testagem em massa é fundamental para termos noção real da dimensão da pandemia de covid-19. Método proposto na década de 1940 oferece modo de agilizar e baratear a testagem. É a matemática ajudando a salvar vidas.

Em meio à crise sanitária pela qual estamos passando, tornar processos eficientes pode economizar tempo e dinheiro – e, mais importante, salvar vidas. Uma das maneiras de se ter ideia mais precisa da pandemia de covid-19 é realizar testes em massa. Só dessa forma teremos dimensão real do problema.

Mas testes individuais podem ser demorados e custar caro. Estratégia matemática proposta pelo economista norte-americano Robert Dorfman (1916-2002) para testar grupos é simples e eficiente. Mais: esse resultado deu origem a área de pesquisa pujante no campo da matemática aplicada, a testagem em grupos. Ilustremos com exemplo.

Imagine população de 1 mil pessoas que podem estar contaminadas com uma doença qualquer. Casos podem ser detectados por meio de teste feito com amostras de sangue. Dados preliminares indicam que aproximadamente 5% desse grupo devam estar contaminados, ou seja, aproximadamente 50 pessoas. Como detectá-las?

Marco Moriconi
Instituto de Física,
Universidade Federal Fluminense

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje