Vacina como instrumento para redução da desigualdade

Você concorda que a vacinação pode ser um meio para melhorar a qualidade de vida da população?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera a vacinação uma das mais importantes contribuições para a saúde humana. A vacina é direito de todos, independentemente de classe social, etnia ou credo. No Brasil, todos recebem as mesmas vacinas, distribuídas gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde, o SUS. Além disso, todas as vacinas têm como objetivo a prevenção de doenças. Prevenir o surgimento de uma doença contribui diretamente com a qualidade de vida, principalmente dos mais necessitados, que têm menos acesso ao atendimento médico. É importante ainda considerar que muitas doenças são incapacitantes e causam discriminação social. Vacinar não seria também uma forma de se evitar mais um fator de isolamento social? O que você pensa sobre este assunto? Opine. Essa troca de ideias é muito importante para enriquecer o artigo que será publicado na próxima edição da Ciência Hoje. Participe do chat abaixo:

Herbert Guedes
Laboratório de Glicobiologia do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho – UFRJ

USE A SEÇÃO ABAIXO PARA INTERAGIR COM O AUTOR

Seu e-mail não será compartilhado com terceiros.

Matéria publicada em 11.09.2018

COMENTÁRIOS

  • ZILDA MARIA DOS SANTOS

    Com certeza,, concordo com o nosso professor Herbert. Vacina contribuí para a qualidade de vida de todo o cidadão não importa a classe que ele o culpa na sociedade.. O governo tem o dever de zelar pela a população.

    Publicado em 11 de setembro de 2018 Responder

    • Herbert Guedes

      Querida Zilda. Muito obrigado pelo comentário. Como foi dito é dever do governo zelar pelo seu povo.
      Artigo 196 da Constituição Federal de 1988
      Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.

      Publicado em 12 de setembro de 2018 Responder

  • Maria Luiza Genu

    Excelente colocação do professor Herbert. Podemos ver que em paises menos desenvolvidos muitas pessoas, especialmente crianças, são acometidas de várias doenças que poderiam ser evitadas se a vacina tivesse sido aplicada. Precisamos de campanhas de conscientização mais eficazes e constantes em nosso país. A vacinação da população deve ser uma meta permanente de um governo comprometido.

    Publicado em 11 de setembro de 2018 Responder

    • Herbert Guedes

      Querida Maria Luiza. Muito obrigado pelos comentários.
      1) Vacina é investimento, não é gasto. Está certíssima, prevenir as doenças é muito melhor.
      2) Sobre as campanhas de vacinação, devemos unir forças e trabalhar fortemente para conscientização. O governo deve ter seus programas , os meios de comunicação devem contribuir e instituições de ensino e pesquisa devem propagar a importância da vacinação.

      Publicado em 12 de setembro de 2018 Responder

  • Daiane Soares

    Historicamente sabe-se que a partir da criação das vacinas a qualidade de vida da população aumentou e por conseguinte, o tempo de vida. Nos tempos bíblicos, os doentes eram isolados do restante da sociedade como forma de quarentena. Hoje graças ao avanço em estudos não fazemos isso mas acho oportuno esse tipo de artigo principalmente devido ao contexto que nossa sociedade está passando e incentivar a todos a conhecer a importância da vacinação. Parabéns, professor Herbert!

    Publicado em 12 de setembro de 2018 Responder

    • Herbert Guedes

      Querida Daiane. Muito obrigado pelo comentário.
      A ciência e a medicina são agentes inclusivos numa sociedade moderna como foi dito. Não podemos esquecer o passado, entretanto, devemos tirar lições dele. Uma das principais lições que o mundo sem vacinas nos traz é que sem vacinas tínhamos uma menor expectativa de vida e uma maior mortalidade infantil. Não podemos esquecer disso!

      Publicado em 12 de setembro de 2018 Responder

  • Arthur Miranda

    Muito bom professor Herbert! Mas como seria feita a vacinação das populações ribeirinhas, que é uma com menos acesso ao atendimento médico do Brasil? Como brasileiros eles também tem direito à vacinação.

    Publicado em 12 de setembro de 2018 Responder

  • Joyce Oliveira

    Ótima colocação, professor! Mas, como sabemos, a vacina é um direito universal e, no caso do Brasil, é obrigatório que crianças e adultos sejam vacinados. Apesar do fácil acesso, será que toda a população, independente da classe social, procura e tem acesso à vacinação de maneira igual?

    Publicado em 12 de setembro de 2018 Responder

    • Herbert Guedes

      Querida Joyce. Muito obrigado pela pergunta.
      Infelizmente, eu não tenho acesso a dados e artigos recentes que discutam esta questão. Hipoteticamente e desconsiderando os movimentos antivacinas, poderíamos pensar que quanto maior a informação, maior seria a procura por vacinas. Entretanto, um artigo de 2006 indica que famílias de extratos mais humildes apresentam maior cobertura vacinal (http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2008000500011).

      Na minha opinião, um bom acompanhamento médico promovendo a vacinação pode estimular a busca por vacinas.

      Publicado em 12 de setembro de 2018 Responder

  • Vitor Luiz

    Muito bem colocado Professor Herbert, tendo em vista que a vacinação é um dever permanente do governo. E a respeito da migração da população venezuelana para o Brasil, o que pode ser discutido em relação a vacinação no SUS da população venezuelana? Ocorre da mesma forma?

    Publicado em 12 de setembro de 2018 Responder

  • Alda Cristiane

    Concordo com o Professor Herbert. Locais onde a população não têm acesso ao atendimento médico com facilidade, as vacinas oferecidas gratuitamente nos postos de saúde oportunizam a prevenção de diversas doenças através da vacinação. Portanto, a vacinação é um instrumento de eliminação das desigualdades, ao reduzir o índice de morbidade e mortalidade a todos os cidadãos da população.

    Publicado em 12 de setembro de 2018 Responder

    • Herbert Guedes

      Querida Alda. Muito obrigado pelo comentário!
      Com certeza, a gratuidade da vacina oferecida pelo SUS é um grande diferencial no combate a desigualdade.

      Publicado em 12 de setembro de 2018 Responder

  • Ana Maria

    Como o senhor vê o crescimento do movimento antivacinação, que atinge até a classe média e média alta? Acredita que possa representar um retrocesso na universalização da vacinação?

    Publicado em 12 de setembro de 2018 Responder

  • Aracy Merchak

    Poderia falar sobre a explosão de casos de sarampo no Brasil atualmente? Por que isso está ocorrendo?

    Publicado em 12 de setembro de 2018 Responder

    • Herbert Guedes

      Querida Aracy Merchak.. Muito obrigado pelas perguntas.
      Infelizmente, eu não sou especialista sobre o tema, mas gostaria de compartilhar minha opinião. Possivelmente é devido a redução da vacinação (diminuição da cobertura vacinal). Isto é grave! Devemos resolver esta situação o quanto antes.

      Segue duas reportagens sobre o tema:
      http://www.conass.org.br/consensus/queda-da-imunizacao-brasil/

      Publicado em 13 de setembro de 2018 Responder

  • Herbert Guedes

    TESTE

    Publicado em 13 de setembro de 2018 Responder

  • myriam souza

    Todos deveriam pensar da mesma forma, pois a criança que não e vacinada, adquirindo uma doença como por exemplo a paralisia, que poderia ter sido evitada, a criança vira a sofrer sequelas no futuro que com uma simples vacina poderia não acontecer. Podendo ate coloca-las em situações de exclusões pela sociedade.

    Publicado em 13 de setembro de 2018 Responder

  • Caroline Cardoso

    A vacinação é sem dúvida algo de extrema importância, com ela muitas doenças foram erradicadas. E sim é um dever de todo cidadão ter esse acesso, porém temos visto muitos movimentos contra a vacina. Acredito que seria muito interessante um maior acesso a informações tanto sobre as doenças, e principalmente sobre vacinação. Existem muitas informações equivocadas sobre tal assunto e os que não possuem um maior entendimento acabam tendendo a ter uma visão errada.

    Publicado em 13 de setembro de 2018 Responder

  • Pedro Ivo Tonini Risolia Barbosa

    A vacinação foi uma invenção muito importante, prevenindo doenças com altas taxas de mortalidade, como sarampo e varíola. Todavia, hoje em dia, há um movimento muito forte contra a vacinação, os chamados anti-vaxxers. Por conta deste movimento, já é possível ver o ressurgimento de certas doenças que não eram vistas há muitos anos em diversos locais do mundo. Um bom exemplo disto é o sarampo, que está acometendo muitas pessoas na Europa, Estados Unidos e até no Brasil. A melhoria da qualidade de vida proveniente da vacinação está, aos poucos, indo embora. Não podemos deixar que um pequeno grupo diminua a qualidade de vida de uma maior parte populacional. O que poderia ser feito para combater este movimento? Como podemos trazer informação aos anti-vaxxers de forma que eles acreditem nesta? Creio que isto será um desafio, visto que estes são teoristas da conspiração e dificilmente aceitarão qualquer informação proveniente do governo.

    Publicado em 14 de setembro de 2018 Responder

  • João Gabriel

    Ela parece alterar sim a desigualdade social por esse lado. Mas será que ela está sendo usada também com esse objetivo?, pois o que preocupa mesmo é que as pessoas mal sabem como funciona a vacina e alguns movimentos sem embasamento (anti-vaxxers por exemplo) conseguem fazer a cabeça das pessoas tão fácil, e isso não é de agora. E parabéns professor, as pessoas só saberão o que é ciência quando os cientistas levarem ela a sociedade.

    Publicado em 14 de setembro de 2018 Responder

  • Diogo Henrique Novais da Silva

    Sim, concordo. Um dos aspectos já mencionado é a garantia de saúde pela nossa Lei Maior, porém ainda é visto que isso não atinge a todos.
    Desta forma, em teoria seria uma forma de atingir um conjunto populacional que não tem acesso básico a saúde e com essa excelente ferramente que é a vacinação poderiamos evitar o desenvolvimento de várias doenças na populações, especialmente naquelas que estão mais vulneráveis em áreas de risco – como próximas a locais aquáticos infectados e altamente poluídos que se tornam reservatório de vetores de muitas doenças.
    A vacinação é um meio que pode alterar a qualidade de vida da população, pois é uma ferramenta criada para evitar o adoecimento e pensando nesse objetivo óbvio, evitando males que são passíveis de prevenção é um tipo de contribuição para que a vida das pessoas, que é uma ação direta para melhora da qualidade de vida delas.

    Publicado em 16 de setembro de 2018 Responder

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

Por que Merlí?

Série catalã sobre professor de filosofia dá lição sobre a difícil missão de educar os jovens no ensino médio

A estatística abstêmia

Novo estudo conclui que não parece haver um limite seguro para o consumo de bebidas alcoólicas.