23 dezembro 2015

Retrospectiva 2015: Para ler sobre ciência

Uma seleção com cinco obras científicas de áreas diversas publicadas durante o ano.

Com parte das ilustrações baseadas no acervo da coleção Thomas Van Der Laan, 'Assim caminhou a humanidade' se destacou entre livros sobre ciência lançados em 2015. (imagem: Museu Virtual da Evolução Humana/USP)

Da evolução humana às discussões sobre modelos para a consolidação da ciência aberta, passando pela história da astronomia no país, a ciência nacional produziu livros para todos os gostos ao longo de 2015. Confira a nossa seleção com cinco obras lançadas ao longo do ano que valem a leitura – incluindo, é claro, a coletânea de textos da coluna Caçadores de Fósseis, publicada regularmente na CH Online.

História da Astronomia no Brasil

História da Astronomia no Brasil

Quatro anos de trabalho, 63 pesquisadores envolvidos e 1.297 páginas divididas em dois volumes. Os números por trás do livro História da Astronomia no Brasil são justificados pela ambição do projeto: apresentar um panorama do passado, presente e futuro da área no país. A obra, referência para profissionais do setor e leigos apaixonados por astronomia, foi publicada em 2014 e acaba de ser disponibilizada gratuitamente pelo Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast) em formato digital.


Brasil: que raio de história

Brasil, que raio de históriaA quantos relatos da história do Brasil o leitor já teve acesso? Para além dos textos didáticos, muitas outras publicações já se dispuseram a contar o que se passou ao longo dos cinco séculos desde a chegada dos europeus por essas terras. Eis uma proposta de inovar nessa empreitada: o livro Brasil: que raio de história, do engenheiro eletricista Osmar Pinto Jr. e da jornalista Iara Cardoso, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), traz um relato inusitado da história do Brasil, apresentando diferentes episódios em que tempestades e raios foram protagonistas.


Ciência aberta, questões abertas

Capa livro Ciência Aberta

Acesso aberto, compartilhamento de dados e protocolos, financiamento coletivo. Essas expressões significam alguma coisa para você? Para os leitores que trabalham em instituições de pesquisa, provavelmente sim. Nas últimas décadas, muito se tem discutido sobre o acesso a informações científicas, frequentemente ‘presas’ a publicações editadas por instituições privadas e que cobram caro por elas. O movimento pela democratização desse conhecimento, que convencionamos chamar ‘ciência aberta’, envolve não apenas o acesso gratuito a artigos e outras publicações, mas o estabelecimento de novas dinâmicas de produção do conhecimento. Essas questões são abordadas no livro Ciência aberta, questões abertas, organizado por Sarita Albagli, Maria Lucia Maciel e Alexandre Hannud Abdo.


Assim caminhou a humanidade

Assim caminhou a humanidade

Em resenha publicada na CH 331, Francisco M. Salzano afirma que "esta obra visa sanar uma deficiência na literatura de divulgação científica do país, a de um livro atualizado, em língua portuguesa, sobre evolução humana". O livro Assim caminhou a humanidade foi escrito por alunos de um curso de pós-graduação, auxiliados por seus docentes. Porém, para Salzano, "não há nele, no entanto, a heterogeneidade tão comum em obras multiautorais, pelo que seus organizadores estão de parabéns: o livro é enxuto e altamente didático". 

 

Caçadores de fósseis

Caçadores de fósseis

Caçadores de fósseis traz uma seleção de 50 textos originalmente publicados na coluna mensal de mesmo nome, mantida há mais de 10 anos pelo paleontólogo Alexander Kellner na Ciência Hoje Online. Os textos – alguns com ilustrações inéditas – são escritos em linguagem acessível ao grande público e não apenas apresentam novidades da pesquisa de fósseis, mas também buscam aproximar o leitor do dia a dia do pesquisador dessa área, discutindo métodos e curiosidades de seu trabalho, que envolve conhecimentos de diversos campos científicos.

Tags:
COMPARTILHAR