18 novembro 2016

Simulação na formação profissional

As indústrias passam por um processo de transformação tão significativo que é considerado uma Nova Revolução Industrial. E como os profissionais podem se preparar para essa revolução? A resposta está nos simuladores

Visão do ambiente industrial de trabalho, com a motobomba projetada em 3D para o estudo de análise de vibrações. A simulação segue todas as normas ABNT relativas à segurança. (imagem: divulgação)

[Informe publicitário]

As mudanças tecnológicas impactam diretamente as indústrias e com a integração de recursos digitais não é exagero imaginar que em pouco tempo teremos fábricas com sistemas cibernéticos integrados entre si e máquinas autônomas conectadas, aprendendo umas com as outras e tomando decisões baseadas em algoritmos. A chamada Indústria 4.0 envolve avanços de inteligência artificial nas diferentes etapas de produção, com inovações em todo o processo, desde o planejamento e desenvolvimento até o uso e a criação de novos modelos de negócio, de produtos e de serviços.

No Brasil, segundo pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), o uso das tecnologias digitais nas indústrias ainda é pouco difundido: 58% das 2.225 empresas analisadas reconhecem a importância dessas tecnologias, mas menos da metade as utiliza e, quando isso ocorre, o foco se concentra em melhorias no processo de produção e aumento da produtividade.

Especialistas consideram esse foco positivo, mas limitado. Tanto aqui como nas maiores potências mundiais, onde há investimentos em manufatura avançada, fábricas inteligentes, computadores de alta performance, robótica, impressoras 3D e realidade aumentada, o grande desafio é desenvolver recursos humanos compatíveis com esse novo cenário.

Essa demanda é urgente. De acordo com Sergio Risola, CEO do Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia – Cietec, a capacitação profissional é sempre um desafio inerente à evolução de uma empresa: “Isso se intensifica no cenário atual, que é de mudança constante. As empresas mudam, as pessoas mudam, as equipes estão sempre se renovando... A capacitação bem dada, usando tecnologias digitais, modelos computacionais e recursos de inteligência é que vai permitir a uma empresa se manter competitiva”.

Em sintonia com essas necessidades, a plataforma digital YouinLab elaborou cursos voltados para estudantes, engenheiros, técnicos e tecnólogos, com recursos de interatividade e simulação totalmente customizáveis e ferramentas de gestão de aprendizagem. Um dos módulos disponíveis é o Curso de Análise de Vibrações, desenvolvido com tecnologia de modelagem 3D de objetos e ambientes, que reproduz todas as possibilidades de uma aplicação industrial e permite realizar atividades práticas complexas de forma segura e econômica. A interação começa com as demandas de uso equipamentos de segurança e vai até a aplicação de técnicas sofisticadas em simuladores de sensores e de máquinas. Seria praticamente impossível trabalhar com uma proposta de aprendizagem tão complexa em modelos reais, pois sensores e equipamentos são extremamente caros e não há como programar defeitos em uma máquina real, por exemplo, para estudar todas as implicações envolvidas.


Analisador de frequência sendo manipulado no laboratório 3D: o sinal exibido na tela do equipamento é processado por algoritmos sofisticados e vem de um simulador de sensor do tipo acelerômetro. (imagem: divulgação)

As diferentes possibilidades de programação e customização dos simuladores favorecem o aprendizado e, segundo o especialista Sergio Risola, devem se tornar cada vez mais usadas na formação profissional: “Ferramentas como simuladores, impressoras 3D e espaços makers estão vindo para substituir o trabalho em campo, reduzindo os investimentos e tornando possível treinar mais e melhor. Simular produtos e processos garante um espaço de criação muito mais amplo e mais viável para empresas e Universidades”.    

Calcula-se que milhões de profissionais trabalham hoje em posições que não existiam há 10 anos e é certo que boa parte das crianças e jovens que estão em formação no momento atuarão profissionalmente em áreas que ainda não existem. Assim, escolas, Universidades e empresas têm de manter o foco na inovação e buscar respostas para desafios de um futuro que chega cada vez mais depressa.     

Saiba mais sobre os recursos da plataforma YouinLab no site www.youinlab.com.

Tags:
COMPARTILHAR