Retratos da ciência

A 14º edição do Wellcome Awards revelou ao público uma seleção de vinte imagens científicas que, além de belas, podem ser muito intrigantes. O prêmio, instituído em 1997, destaca as mais importantes contribuições feitas ao banco de imagens Wellcome Images – vasta coleção de imagens de ciência com acesso virtual ilimitado. Tanto o prêmio quanto o banco de imagens são ramos da organização médica beneficente Wellcome Trust, fundada em Londres em 1936 com recursos deixados pelo farmacêutico Henry Wellcome.

Em entrevista à CH On-line, Emily Philippou, assessora de imprensa da Wellcome Trust, ressaltou que o prêmio é também uma celebração da diversidade de técnicas empregadas por pesquisadores e artistas. “Existem muitas formas diferentes de se criar imagens científicas, e todas podem gerar imagens bonitas e impressionantes, assim como as técnicas nelas utilizadas”, comenta Philippou. “Não acredito que seja possível separar a técnica utilizada na criação da imagem da ciência retratada – elas estão conectadas”, completa.

Feto de cavalo saindo do útero
A imagem de um feto de cavalo saindo de um útero foi a grande vencedora do 14º Wellcome Awards (foto: Michael Frank / Royal Veterinary College)

As contribuições partem de diferentes profissionais. Ilustradores, fotógrafos, artistas, cientistas e médicos utilizam meios diversificados para obter as imagens, que vão desde fotografia e ilustração até técnicas avançadas de microscopia.

Em 2015, a grande vencedora foi a imagem de um feto de cavalo saindo de um útero aberto, ainda preso pelo cordão umbilical. A imagem causa estranheza e também assombra com o tom dramático que expõe a geração da vida. O conjunto fotografado está preservado em formol no Museu de Anatomia do Royal Veterinary College, em Londres.

A seleção premiada inclui também a imagem impressionante de parte do sistema nervoso central de uma mosca-das-frutas (Drosophila melanogaster). Para criar o mapa codificado por cores que indica o fluxo de informações, foram utilizadas micrografias obtidas com auxílio de um microscópio eletrônico de transmissão. Na imagem, os círculos azuis representam os neurônios responsáveis pelos sinais de entrada e os vermelhos, os de saída.

Outra imagem impressionante que figurou entre as finalistas foi realizada com a técnica da microscopia confocal, revelando a micrografia do cérebro de um rato. Com ares psicodélicos, a imagem evidencia, a complexa rede de interação no cérebro do animal, com auxílio de proteína verde fluorescente.

Cérebro de rato
O cérebro de um rato adulto, com o auxílio da proteína verde fluorescente, compõe essa imagem repleta de cores. (foto: Luis de la Torre-Ubieta / Geschwind Laboratory / UCLA)

A galeria das imagens vencedoras pode ser visitada online, mas a seleção também está partindo para uma série de exposições em centros de ciência, museus e galerias pelo Reino Unido e Estados Unidos. “Isto é muito animador, pois leva as imagens para serem apreciadas fora dos meios científico e médico”, comemora Philippou. “É a oportunidade para o público se aproximar da ciência que essas imagens mostram”.

Everton Lopes
Instituto Ciência Hoje/ RJ

Matéria publicada em 25.06.2015

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

Inovação no ensino de bioquímica

Livro resultante de um projeto que reúne pesquisadores de cinco países, entre eles o Brasil, usa uma abordagem inovadora para ensinar bioquímica a alunos de nível superior na área de saúde.

Parceria contra câncer e bactérias patogênicas

Resultados de estudos sobre os mecanismos de entrada das proteínas virais nas células, feitos por pesquisadores brasileiros e portugueses, deram origem a um projeto para o desenvolvimento de fármacos para o combate de diversas doenças.