Tesouros de Teresa Cristina

Noventa peças oriundas de civilizações antigas, pertencentes à coleção de Teresa Cristina e nunca antes exibidas ao público, estão em exposição no Museu Nacional, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, na capital fluminense, até dia 3 de julho. A mostra ‘Teresa Cristina: a imperatriz arqueóloga’ reúne achados fortuitos e objetos provenientes de escavações em sítios arqueológicos da Itália – Herculano, Pompeia, Veios e colônias gregas do sul.

A coleção é composta de vasos, estatuetas, utensílios domésticos, amuletos e objetos de uso pessoal. Algumas peças vieram para o Brasil com a própria Teresa Cristina, como parte de seu dote. A maior parte dos objetos, entretanto, foi enviada posteriormente por seu irmão, o rei das Duas Sicílias, Ferdinando II, atendendo ao pedido da imperatriz.

Esposa de Dom Pedro II, Teresa Cristina Maria de Bourbon é a grande responsável pela formação da coleção de arqueologia clássica do Museu da Quinta da Boa Vista, a mais importante da América Latina.

O museu está aberto ao público de terça a domingo, das 10h às 17h, e segundas-feiras, das 12h às 17h. Os ingressos custam R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia); crianças até 5 anos e pessoas com deficiência não pagam.

Alicia Ivanissevich
Instituto Ciência Hoje/ RJ

Matéria publicada em 16.05.2016

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

‘Guerra e Paz’ e o 11 de Setembro

Obra de Cândido Portinari ilustra capa e contracapa de edição da revista científica ‘The Lancet’ sobre os impactos dos atentados terroristas às torres gêmeas, nos Estados Unidos.

A matemática de Hércules

O que uma ‘matemusicista’ que contorna o tédio das aulas com rabiscos em seu caderno e um artigo publicado na revista ‘Science’ têm em comum?