Experimento ecológico precede darwin em 50 anos

Charles Darwin, em A origem das espécies , publicado em 1859, menciona um experimento que demonstra como as mudanças na biodiversidade afetam o funcionamento de um ecossistema. Porém, o naturalista inglês não cita qualquer referência sobre quem seria o autor do ensaio científico. Intrigados com o mistério, dois cientistas seguiram as pistas deixadas por Darwin e descobriram a origem do primeiro experimento ecológico.

null

Mapa original do jardim no qual George Sinclair realizou o primeiro experimento
ecológico. Os quadrados representam as 242 porções de terra nas quais o jardineiro semeou espécies de gramíneas isoladas e misturadas

Os biólogos Andy Hector, do Imperial College, em Londres, e Rowan Hooper, do Instituto Nacional para Estudos Ambientais, no Japão, revelam em artigo publicado na revista Science de 25 de janeiro que George Sinclair, jardineiro-chefe do duque de Bedford, foi o responsável pelo experimento citado por Darwin. Em um trabalho não publicado do naturalista, chamado Seleção natural , os cientistas encontraram menção ao artigo que chamara a atenção do pai da teoria da evolução.

Hector e Hooper pesquisavam a relação entre biodiversidade e funcionamento de ecossistemas quando esbarraram na citação de Darwin. Decidiram rastrear essa referência e, com a ajuda de vários colegas da área, chegaram à coleção de Manuscritos Raros da Biblioteca Britânica. Descobriram ali que o artigo em questão, de autoria de George Sinclair, fora publicado em 1816 — 43 anos antes de A origem das espécies — no livro Hortus Gramineus Woburnensis . Além dos resultados do experimento, os pesquisadores encontraram ainda exemplares secos de algumas espécies de plantas estudadas pelo jardineiro.

No artigo, Sinclair descreve um jardim experimental — localizado na Abadia de Woburn, no sudeste da Inglaterra — concebido para comparar a performance de diferentes espécies e misturas de gramíneas em variados tipos de solo. Um mapa do jardim lista as plantas semeadas em 242 porções de terra, de 0,4 m 2 cada.

Darwin descreve assim, em A origem das espécies , suas conclusões: “Foi provado experimentalmente que se uma porção de terra é semeada com uma espécie de gramínea e um outro pedaço similar de terra é semeado com vários gêneros distintos de gramíneas, um maior número de plantas e maior quantidade de ervas secas podem aí crescer.”

Em entrevista à CH on-line , Hector declarou que esse pode ser considerado o primeiro experimento ecológico de que se tem notícia devido à profundidade e amplitude evidenciadas na investigação biológica. O ensaio precede em meio século o surgimento do termo ecologia , cunhado em 1866 pelo zoólogo alemão Ernst Haeckel (1834-1919).

“Mais recentemente, levados pelo medo da perda da diversidade, os cientistas passaram a se perguntar que papel ela representa no ecossistema. Como em muitas outras coisas na biologia, Darwin chegou lá primeiro. Ao mesmo tempo em que explicou a diversidade, foi capaz de compreender o outro lado da moeda — que o processo que mantém a diversidade também afeta o funcionamento do ecossistema. A menção ao experimento de Sinclair confirma essa teoria”, conclui Hector.

Paula Americano
Ciência Hoje on-line
18/02/02