Nobel de matemática de 2005 vai para peter lax

O prêmio Abel de 2005, considerado informalmente o “Nobel da matemática”, será concedido ao húngaro naturalizado norte-americano Peter D. Lax, do Instituto Courant de Ciências Matemáticas da Universidade de Nova York (EUA), conforme anunciou recentemente a Academia Norueguesa de Ciência e Letras. Descrito como o matemático mais versátil de sua geração, ele se destaca por aliar a matemática pura à aplicada no estudo das equações diferenciais.

 
null

O matemático Peter David Lax nasceu em Budapeste em 1926 (foto: reprodução)

 

A principal contribuição de Lax para a matemática é o desenvolvimento de teorias para o tratamento das equações diferenciais não-lineares. As equações diferenciais têm sido empregadas, desde Isaac Newton (1642-1727), para modelar inúmeros fenômenos da natureza, como gravitação, eletromagnetismo, relatividade, computação, mudanças climáticas e movimento de gases, fluidos e planetas, entre muitos outros.

 
As equações diferenciais estudadas por Lax ‐ de tipo não-linear ‐ permitem descrever fenômenos que envolvem rápidas transições de densidade ou pressão ‐ como a interação de líquidos imiscíveis (água e óleo, por exemplo) ou a ruptura da barreira do som por uma aeronave.
 
Lax desenvolveu ferramentas para a resolução dessas equações diferenciais, o que é bastante complexo, pois há particularidades para cada caso. Em uma série de trabalhos desenvolvidos nos anos 1950 e 1960 na Universidade de Nova York, ele identificou classes de sistemas desse tipo de equações com singularidades previsíveis. Assim, criou as bases da teoria moderna dos chamados sistemas hiperbólicos de equações não-lineares.
 
Além disso, Lax introduziu esquemas computacionais amplamente utilizados em muitas aplicações tecnológicas e científicas, desde a previsão do tempo até o desenho de aviões. Seu trabalho foi essencial para o posterior desenvolvimento dessa área do conhecimento, a análise numérica. Ao mesmo tempo, os avanços da computação criaram instrumentos essenciais para a realização dos estudos do laureado. “O impacto dos computadores de alta velocidade na matemática pura, assim como na aplicada, é comparável ao papel dos telescópios na astronomia e dos microscópios na biologia”, enfatizou certa vez o matemático.
 
Nascido em Budapeste em 1926, Peter David Lax emigrou em 1941 para os Estados Unidos. Aos 18 anos de idade, publicou seu primeiro artigo. No fim da década de 1940 já era doutor pela Universidade de Nova York, onde passou a dar aulas e exerceu cargos administrativos.
 
O matemático também orientou muitos doutorados, e um deles foi o de Carlos Antônio de Moura, professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Seu único aluno brasileiro conta que o ganhador do prêmio “é um excelente expositor e um incansável reformador da educação matemática. Seus textos são claros e de leitura agradável pelo estilo pessoal e originalidade”. Moura também revelou que Lax manteve uma forte relação de amizade com os alunos, entre os quais ficou famoso pelas piadas que contava nas aulas. 
 

O prêmio Abel foi instituído em 2003, 200 anos após o nascimento do matemático norueguês Niels Abel. Peter Lax sucede, assim, Jean-Pierre Serre (topologia, geometria algébrica e teoria dos números) e a dupla Michael Atiyah e Isadore Singer (teorema do índice nos campos da geometria, topologia e análise). O prêmio de cerca de R$ 2,5 milhões será entregue pelo rei da Noruega em cerimônia no dia 24 de maio.


Lia Brum
Ciência Hoje On-line
04/04/05