Ig nobel

“O pato infeliz aparentemente tinha colidido com o prédio em pleno vôo a uma altura de três metros do chão. Próximo ao animal obviamente morto, um outro macho da mesma espécie estava presente. (…) Ele montou sobre o cadáver e começou a copular, com grande força, quase continuamente bicando o canto da sua cabeça.”

 

O pato necrófilo ao lado de sua vítima (foto: C.W. Moeliker)

Os trechos acima fazem parte de um artigo histórico: o primeiro relato de um caso de necrofilia homossexual entre patos da espécie Anas platyrhynchos , publicado na revista científica holandesa Deinsea . O autor é o pesquisador C.W. Moeliker, do Museu de História Natural de Roterdã, testemunha da cena que durou espantosos 75 minutos.

A observação era inédita: patos daquela espécie já haviam sido avistados copulando com animais mortos, mas nunca do mesmo sexo. Pela insólita descoberta, Moeliker foi agraciado com o Ig Nobel 2003 na categoria biologia. Como reza a tradição, o prêmio bem-humorado foi distribuído na mesma época do anúncio dos vencedores do Nobel — com a presença de vários laureados ‘de verdade’.

Em sua 13 a edição, o Ig Nobel premiou em 2 de outubro resultados “que não podem ou devem ser reproduzidos”, em dez categorias. O prêmio é organizado pela equipe da revista de humor científico Annals of Improbable Research . Como nas edições anteriores, a cerimônia de entrega ocorreu no Sanders Theatre, na badalada Universidade de Harvard.

Os patos necrófilos não foram as únicas aves lembradas na edição deste ano. Na categoria pesquisa interdisciplinar, venceram três cientistas da Universidade de Estocolmo, autores do relatório “Galinhas preferem humanos bonitos”. E teve também para os mamíferos: o prêmio de física foi para os australianos que redigiram o artigo “Análise das forças requeridas para arrastar ovelhas em várias superfícies”.

E a ciência pitoresca da premiação deste ano não pára por aí. Na categoria química, o laureado é um japonês que investigou a composição de uma estátua de bronze que, misteriosamente, não atraía pombos; os ganhadores no quesito medicina são os cientistas que mostraram que os taxistas londrinos têm uma parte do cérebro mais desenvolvida que o resto da população; e o Ig Nobel de psicologia foi para os autores do artigo “A personalidade incomparavelmente simples dos políticos”, publicado na Nature .

O prêmio de literatura foi para um americano que colecionava dados meticulosos sobre quantos jovens vestem boné com a aba virada para trás, quantos pedestres calçam tênis brancos e outras inutilidades do gênero.

O Ig Nobel 2003 celebrou uma outra referência importante do humor pop do século 20: a chamada lei de Murphy, que postula que, “se alguma coisa pode dar errado, dará”. Na categoria engenharia, o prêmio foi concedido a três personagens envolvidos no episódio que teria marcado a origem da lei.

Completam a premiação deste ano as categorias paz (para o indiano que, dado por morto pelo governo, criou a ‘Associação das pessoas mortas’) e economia (para o Liechtenstein, pela possibilidade de se alugar o país para convenções e reuniões).

 

Leia mais sobre a História do Ig Nobel
e conheça os premiados de 2001 e 2002

Bernardo Esteves
Ciência Hoje On-line
06/10/03