Caminhos e descaminhos da física no brasil

A história é feita de várias histórias. A da ciência brasileira conta com a importante contribuição de José Leite Lopes, um dos maiores nomes da física teórica no país. Parte desse legado acaba de ser reunido uma coletânea de textos sobre sua carreira, vida pessoal, idéias, inspirações e aspirações. Organizada por Amélia Império Hamburger, Uma história da física no Brasil é um agradável passeio pelas veredas da ciência, repleto de trilhas paralelas que vale a pena percorrer.

A obra reúne textos de natureza diversa — como discursos ou artigos anteriormente publicados em livros e revistas — organizados em blocos temáticos. Os textos abordam ora as opiniões de Leite Lopes sobre os rumos da ciência no Brasil, ora sua formação acadêmica, a cadeira que ocupou na Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil ou sua participação na fundação do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF) e da Escola Latino-Americana de Física (Elaf).

A primeira parte do livro, “Carreira Científica”, traz textos-marco de sua trajetória, como um balanço de 55 anos de física no Brasil ou artigos que refletem sua consciência da importância da ciência para a independência econômica de um país. Sem prepotência, Leite Lopes fala também de suas contribuições à física, como a previsão da existência do bóson Zo. Mesmo quando aborda aspectos teóricos, ele cobra uma postura de incentivo à ciência por parte de sucessivos governos e denuncia o descaso histórico com a pesquisa em nosso país.

Na parte dedicada à sua “Visão da Física”, o autor comenta as contribuições de alguns dos maiores nomes da história dessa ciência, de Aristóteles a Einstein, com especial atenção para a obra deste último. Kepler, Galileu, Newton, Rutherford: a compreensão de Leite Lopes da obra desses autores é encantadora e capaz de despertar curiosidade até naqueles que têm as ciências exatas como inimigas íntimas desde o ensino médio.

 

Lopes em seu gabinete no CBPF na segunda metade dos anos 1980 (foto: Biblioteca Virtual José Leite Lopes)

 

A postura política de Leite Lopes é tema de outro bloco temático: sua preocupação com o incentivo à pesquisa em seu país e a necessidade de maiores investimentos em infra-estrutura nas universidades públicas lhe rendeu respeito, mas também hostilidade. A ditadura militar instalada no Brasil em 1964 cassou-o do cargo de diretor do CBPF — Leite Lopes retomaria o posto em 1985.

No bloco dedicado à relação da física com a sociedade, Leite Lopes defende o uso responsável da energia atômica, fala dos primeiros anos da física nuclear no Brasil e oferece como brinde uma bibliografia sobre o tema, com publicações entre 1934 e 1954.

A parte final da coletânea apresenta o lado gentleman de Leite Lopes, menos conhecido do público. São onze textos, cada um em homenagem a um mestre ou amigo do pesquisador. Ele reverencia inclusive Abdus Salam, de quem certa vez se ressentiu pelo aproveitamento de uma idéia sua sem o crédito merecido, mas com quem se reconciliou mais tarde e a quem devota declarada admiração profissional.

 

Uma história da física no Brasil
José Leite Lopes (org.: Amélia Império Hamburger)
São Paulo, 2004, Editora Livraria da Física
Fone: (11) 3826-7599
223 páginas – R$ 39

 

Leia o perfil de José Leite Lopes

Aline Gatto Boueri
Ciência Hoje On-line
10/09/04