Um mato grosso de gelo no pólo sul de marte

O pólo sul de Marte abriga depósitos de gelo com cerca de 1 milhão de km 2 (foto: Nasa / GSFC / JPL / Mola Project / Malin Space Science Systems).

Sinais de radar permitiram pela primeira vez avaliar com precisão o tamanho e a composição dos depósitos de gelo no pólo sul de Marte. A análise mostra que eles cobrem uma área de cerca de 1 milhão de km 2 , comparável à do Mato Grosso. Se a água ali contida estivesse espalhada pela superfície de Marte, o planeta vermelho seria inteiramente coberto por um oceano com 11 metros de profundidade.

Os cientistas suspeitavam que havia vastos depósitos de gelo nos pólos norte e sul de Marte desde a visita das naves Mariner e Viking, nos anos 1970. A existência desses depósitos foi comprovada por missões posteriores, mas sua extensão nunca havia sido medida com precisão. O feito só foi possível graças ao uso de um radar a bordo da nave Mars Express, que está em órbita do planeta vermelho desde o fim de 2003.

Os depósitos do pólo sul foram estudados entre novembro de 2005 e abril de 2006, ao longo de mais de 300 órbitas em torno de Marte. Sinais de radar eram enviados ao planeta, atingiam a base dos depósitos de gelo e eram refletidos de volta. A análise dos sinais refletidos permitiu inferir dados sobre a espessura, a topografia e a composição dos depósitos. Os resultados foram publicados por uma equipe internacional na edição desta semana da revista Science .

O mapa mostra a espessura das camadas de gelo do pólo sul de Marte (foto: Nasa / JPL / ASI /ESA /Univ. de Roma / Mola Science Team / USGS).

A análise confirmou que os depósitos são formados de gelo de água praticamente pura: é possível que eles contenham também alguma poeira, mas em proporção inferior a 10%. Os depósitos se estendem por cerca de 1 milhão de km 2 , sendo que em alguns pontos eles chegam a ter mais de 3,7 km de espessura. O volume total de gelo ali contido é de aproximadamente 1,6 milhão de km 3 . Como cada km 3 equivale a 1 bilhão de litros, fica fácil entender por que todo esse gelo seria capaz de cobrir toda a superfície de Marte.

Sem surpresa
Os números impressionam, mas eram aguardados pelos cientistas. “A quantidade de gelo identificada nos depósitos é aproximadamente aquela que esperávamos encontrar”, disse à CH On-line Jeffrey Praut, geofísico do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa (agência espacial norte-americana) e autor principal do estudo.

Um volume equivalente possivelmente se esconde nos depósitos do pólo norte de Marte, que ainda não foram avaliados com a mesma precisão. “Estamos analisando atualmente os dados sobre os depósitos do pólo norte e esperamos encontrar um resultado similar”, confirma Praut.

Mas o geofísico se mostrou reservado quanto à possibilidade de exploração desses depósitos. Questionado sobre a facilidade de acesso ao gelo na eventualidade de uma colonização de Marte, ele respondeu: “Há vários locais em Marte em que acreditamos haver gelo de água acessível, e o pólo sul é um deles”.

Bernardo Esteves
Ciência Hoje On-line
15/03/2007