Artigo

Olhos eletrônicos sobre o desmatamento

Criado há mais de 20 anos diante do aumento das queimadas, o sistema brasileiro de monitoramento por satélites é um dos mais acurados do mundo, capaz de informar, em tempo real, o corte de vegetação e analisar o uso da terra. Desafio é usar informações para preservar a biodiversidade.

Dos vidros à energia solar, a evolução do silício na indústria química

Certamente, você já ouviu falar do silicone usado em cirurgias plásticas. Mas sabia que seu principal componente é o silício? E que esse elemento químico está em alimentos, cosméticos, medicamentos, circuitos eletrônicos e painéis solares?

A outra face das plantas carnívoras

Diferentes dos seres assustadores e perigosos da ficção, as plantas carnívoras podem trazer inúmeros benefícios aos humanos. As orvalhinhas, por exemplo, muito frequentes no Brasil, são capazes de combater diversas doenças, como o câncer, mas sofrem ameaça de extinção.

Metamorfose das moradas para tratar corpo e alma

A transformação arquitetônica dos hospitais ao longo dos séculos revela como o saber médico e a sociedade interferiram no planejamento e na construção dessas edificações.

Carne de laboratório à mesa

O primeiro hambúrguer cultivado a partir de células animais custou US$ 250 mil. Mas pesquisas avançam para baratear o produto, que pode transformar a forma como a humanidade se alimenta, além de amenizar danos da pecuária, como desmatamento e poluição.

Na contramão do pensamento científico

O embate entre ciência e religião ocorre, pelo menos, desde o século 15. Desde lá, a ciência vem avançando e desvendando muitos aspectos sobre o mundo físico, enquanto a religião tem se ocupado de teses que pretendem questionar a noção de que a vida na Terra se formou por leis naturais. Uma delas é o design inteligente, que atualmente busca se estabelecer como grupo de pesquisa dentro de universidades.

O valor do ‘lixo’ eletrônico

O reaproveitamento das valiosas matérias-primas contidas em equipamentos eletrônicos, desde celulares a televisores, contribui para reduzir a poluição ambiental e é alternativa à crescente escassez de recursos naturais.

Quase três séculos de atraso

O estudo das reparações por erros históricos, como a escravidão nas Américas, pode lançar luz na luta por justiça social, no combate ao racismo, à supremacia branca e às desigualdades raciais.