Literária

As representações literárias da Peste Negra

Trechos de obras de grandes escritores sobre a maior das pandemias revelam as estratégias simbólicas por trás da iniquidade.

O macarrão

Em meio a tantas questões que solicitam mudanças de paradigmas, uma perspectiva literária para aspectos corriqueiros e profundos de um relacionamento,

Seria o coronavírus uma Quimera?

Na mitologia, o monstro híbrido de três animais espalhou pânico, catástrofe e mortes pela Grécia antiga. Mais ou menos como faz agora o novo coronavírus no mundo todo.

Vírus e bactérias estão na Bíblia?

Em um tempo quase no futuro, que nos conduzia para um paraíso high-tech, nos pegamos aprendendo outra vez a lavar as mãos, mas não no sentido bíblico.

A menina, os Buendia, Erêndira, eu e você

Diante de tanto horror, diante de tanta dor, me é impossível escrever outra coisa que não seja ficção. Por isso esse conto sobre cotidiano, saudade e livros.

Literatura em tempos de pandemia

Ainda que saibamos estar fora de cogitação usufruir das receitas aviadas por Plínio e suas fontes, cabe, nesta quarentena, uma vista ao século 1 das nossa Era para conhecê-las.

Literatura, medo e utopia

No que se refere às representações simbólicas do medo, os artistas, desde sempre, se dedicaram a produzir narrativas que tanto flertam com o terror, com o pânico, quanto com as utopias.

“Bendito aquele que semeia livros e faz o povo pensar”*

Os absurdos contra o conhecimento, e consequentemente contra os livros, são inumeráveis. Uma população analfabeta ou semiletrada é mais fácil de ser dominada.

Open chat