Caçadores de Fósseis

O imbróglio de um dinossauro

A descoberta de um novo dinossauro do Brasil expõe a precária situação do patrimônio paleontológico do país e graves problemas em instituições que deveriam atuar na proteção dos fósseis.

Um dinossauro muito doente

Cientistas brasileiros encontram o mais antigo registro de infecção óssea associada a parasitas de que se tem notícia. A patologia foi identificada em um fragmento de osso da perna de um dinossauro herbívoro de cerca de 85 milhões de anos.

Um raro inseto fóssil do Brasil

Pesquisadores descreveram nova espécie de efêmera que viveu durante o Cretáceo no nordeste do Brasil. O exemplar é um adulto e permite compreender melhor a evolução desse grupo de insetos, reforçando a importância do investimento em escavações controladas.

Pedras que caem do céu

A queda de uma chuva de meteoritos sobre a cidade de Santa Filomena, em Pernambuco, despertou uma discussão sobre como devemos atuar para que esses verdadeiros ‘fósseis’ do universo possam ser estudados e preservados para as futuras gerações.

Insetos parasitas de dinossauros

Insetos desconhecidos encontrados em pedaços de âmbar de 99 milhões de anos junto com restos de penas indicam que a interação entre esse grupo de invertebrados e animais com penas é muito antiga e possivelmente vinculada ao desenvolvimento desse tipo de estrutura nos dinossauros.

Ilha Nelson: paraíso das plantas fósseis da Antártica

Expedição do projeto Paleoantar recuperou na ilha centenas de exemplares da flora fossilizados, reforçando que, há cerca de 75 milhões de anos, o clima dessa região era moderado, com vegetação formada por florestas, o que contrasta com o deserto gelado dos dias de hoje.

Nascido do fogo

Um novo dinossauro do Brasil demonstra que um grupo de formas carnívoras, os celurossauros basais, antes restritos a América do Norte e China, eram mais diversificados do que se supunha. O exemplar estava no Museu Nacional, mas não foi afetado pelo grande incêndio de 2018.

A origem dos morcegos

Pesquisadores suspeitam que esses mamíferos alados, considerados hospedeiros potenciais do vírus causador da Covid-19, surgiram a partir de pequenos animais insetívoros que planavam entre as árvores em busca de alimento ou para fugir de predadores.