Quais os benefícios e malefícios da castanha-do-pará na alimentação e em que quantidade devemos consumi-la?

A castanha-do-pará ( Bertholletia excelsa ) pertence à categoria das oleaginosas e pode ser considerada, do ponto de vista nutricional, um alimento de boa qualidade. De acordo com a 3a edição da Tabela de Composição de Alimentos, publicada em 1985 pelo Estudo Nacional de Despesa Familiar, da Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 100 g de castanha-do-pará contêm 636 calorias, 14 g de proteínas, 63,9 g de lipídios, 13 g de carboidratos, 3,4 g de fibras, 198 mg de cálcio e 577 mg de fosfato. Verifica-se, com base nessa composição, que se trata de alimento bem equilibrado. Mas, como toda oleaginosa, possui uma densidade calórica elevada.

Seus teores de ácidos graxos essenciais (ácidos linoléico e linolênico) e de tiamina (vitamina B1) são apreciáveis. No que diz respeito a aminoácidos essenciais, sua composição é considerada razoável, o que a torna uma boa fonte de proteínas. Em virtude do alto teor de óleo, a castanha-do-pará pode tornar-se rançosa com facilidade, razão pela qual se recomenda armazená-la sob refrigeração. Não há indicações específicas para seu consumo.

Ciência Hoje 171, maio 2001 
Enio Cardillo Vieira, 

Departamento de Bioquímica e Imunologia, 
Universidade Federal de Minas Gerais.

  
 
 

   

Outras Matérias Nesta Edição

Outras Matéras Nesta Categoria

614_256 att-22975
614_256 att-22985
614_256 att-22993
614_256 att-22995
614_256 att-22987
614_256 att-22991
614_256 att-22989
614_256 att-22999
614_256 att-22983
614_256 att-22997
614_256 att-22963
614_256 att-22937
614_256 att-22931
614_256 att-22965
614_256 att-23039