Na Estante

Com base na psicologia e na filosofia, livro traz reflexão sobre os antagonismos existentes na sociedade, principalmente na política e na religião, pautados em construções morais que oprimem as diferenças e limitam a solidariedade coletiva

O livro A mente moralista: por que pessoas boas são segregadas por política e religião?, de Jonathan Haidt, é um esforço de pensar psicopoliticamente o comportamento político, em particular as disputas políticas que dividem e fragmentam a humanidade. Superar os dissensos na atualidade mostra-se um desafio hercúleo, sobretudo quando a desigualdade assola, divide e fragiliza a dignidade humana. Nesse quadro, crenças e expectativas políticas atuam como elementos ordenadores das fronteiras simbólicas que justificam conflitos e antagonismos. É possível superar? É possível vivermos juntos, como já se perguntava o sociólogo francês Alain Touraine?

A mente moralista: por que pessoas boas são segregadas por política e religião?
Jonathan Haidt. Tradução: Wendy Campos
Alta Cult Editora, 2020, 448 p..

Alessandro Soares da Silva

Escola de Artes, Ciências e Humanidades,
Universidade de São Paulo

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

Open chat