Relatos de guerra e paz em palmares

Com base na análise de documentos históricos, livro contextualiza os fatos e narrativas relacionados ao acordo que pôs fim aos combates entre o governo de Pernambuco e as comunidades de africanos escravizados refugiados no maior quilombo da história do Brasil

O livro Guerra contra Palmares: o manuscrito de 1678 nasceu de anos de pesquisa da historiadora Silvia Lara, da Universidade Estadual de Campinas, desde, pelo menos, 1996 e a publicação de seu primeiro trabalho sobre o Quilombo dos Palmares, o maior reduto de escravizados fugitivos da história do Brasil, localizado entre os atuais estados de Pernambuco e Alagoas. De lá para cá, a pesquisadora tem publicado, especialmente a partir de 2007, diversos artigos, no Brasil e no exterior, em que se dedica a analisar um episódio específico da história de Palmares e seus desdobramentos políticos e culturais: o acordo de paz de 1678, celebrado entre Gana Zumba, principal liderança do quilombo na década de 1670, e o governador da capitania de Pernambuco à época, D. Pedro de Almeida.

Esta obra, organizada por ela e pelo professor de Letras Clássicas e Vernáculas da Universidade de São Paulo Phablo Fachin, oferece ao leitor acesso a transcrições, comentadas e devidamente contextualizadas, de diversos documentos – alguns inéditos – sobre o acordo de paz de 1678. Os principais são as duas versões da famosa ‘Relação’, que narra os combates em Palmares e a destruição de seus mocambos (termo de origem centro-africana usado pelos portugueses para designar as moradias feitas pelos escravizados fugitivos ou grupos beligerantes nas matas e serras do Brasil) entre os anos de 1675 e 1677. Entre as transcrições das duas versões originais dessa narrativa, o leitor encontrará um belo posfácio, onde os autores refazem todo o percurso de publicação e análise historiográfica das diversas versões e cópias da narrativa, além de oferecerem ao leitor um excelente exercício de crítica interna documental, demonstrando a importância da contextualização e do cruzamento de fontes para se ultrapassar a ‘superfície’ enviesada e politicamente comprometida dessa documentação.

Guerra contra Palmares: o manuscrito de 1678
Silvia Hunold Lara e Phablo Roberto Marchis Fachin (orgs.)
Chão Editora, 2021, 232p.

Felipe Aguiar Damasceno
Secretaria Municipal de Educação de Maricá – RJ
Doutor em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

CONTEÚDO EXCLUSIVO PARA ASSINANTES

Para acessar este ou outros conteúdos exclusivos por favor faça Login ou Assine a Ciência Hoje.

Seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Outras Matérias Nesta Edição

614_256 att-70669
614_256 att-70623
614_256 att-70595
614_256 att-69653
614_256 att-69645
614_256 att-69551
614_256 att-69315
614_256 att-68522
614_256 att-70884
614_256 att-69624
614_256 att-70793
614_256 att-27650
614_256 att-70676
614_256 att-70842
614_256 att-70706

Outras Matéras Nesta Categoria

614_256 att-74254
614_256 att-72203
614_256 att-73561
614_256 att-73022
614_256 att-59492
614_256 att-59492
614_256 att-71891
614_256 att-71509
614_256 att-56636
614_256 att-55827
614_256 att-53337
614_256 att-52663
614_256 att-50840
614_256 att-50457
614_256 att-49271