Na Estante

O autoritarismo e seus tons

A década de 2010 é caracterizada pela ascensão de regimes políticos de vários tons de autoritarismo hostis a pilares da democracia como a liberdade de imprensa e os direitos de minorias. Na já vasta literatura acadêmica acerca do tema, “Como as democracias morrem” se tornou a obra mais citada e, em boa hora, a Editora Zahar publica a tradução brasileira. A ampla circulação do livro se deve à qualidade da análise, ao texto acessível a um público amplo e ao prestígio de seus autores Steven Levitsky e Daniel Ziblatt, cientistas políticos que lecionam em Harvard e são especialistas em processos de construção e queda de democracias.

Maurício Santoro

Departamento de Relações Internacionais
Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Como as democracias morrem
Steven Levitsky e Daniel Ziblatt; tradução: Renato Aguiar.
São Paulo, Editora Zahar, 272 p., R$ 44,90

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

CONTEÚDO RELACIONADO

Nióbio: salvação ou promessa brasileira do século 21?

Talvez, você já tenha lido nas redes sociais que a exploração do nióbio seria a ‘salvação’ para a economia do Brasil. Isso procede? O que é fato sobre esse elemento químico? Que propriedades o fazem tão especial?

Deus e o Diabo na literatura dirigida à infância

Como estratégia para conquistar as crianças indígenas, o padre jesuíta José de Anchieta valia-se de autos e recitais de poesia.