O que move migrantes e refugiados?

Atualmente, 258 milhões de pessoas no mundo vivem fora de seus países de origem. A maioria é formada por migrantes, que se deslocaram em busca de trabalho. A outra parte deixa sua terra natal por motivos alheios à própria vontade. Essas pessoas se deslocam forçadamente dentro de seu país ou atravessam fronteiras internacionais, tornando-se refugiados. As causas dessas migrações vão da exploração econômica de territórios a conflitos geopolíticos.

Vivemos em um mundo sombrio e contraditório. Somos, hoje, aproximadamente 7,6 bilhões de humanos coabitando um espaço comum. Destes, 258 milhões de pessoas – ou 3,4% da população do planeta – moram fora dos seus países de origem. Alguns, pouco mais de 150 milhões, se deslocaram em busca de atividade laboral. Outros 25 milhões, por imposições alheias à própria vontade e aos seus projetos de vida, foram forçadamente deslocados e atravessaram fronteiras internacionais: no país de destino, ao final de um longo processo jurídico, receberam o reconhecimento, a chancela, do refúgio internacional.

Desse total de refugiados, 55% proveem da Síria (5,5 milhões), Afeganistão (2,5 milhões) e Sudão do Sul (1,4 milhão). Entre os países que mais recebem os refugiados, destacam-se a Turquia (3 milhões), seguida do Paquistão (1,5 milhão) e do Líbano (1 milhão), de acordo com o Comitê Nacional para os Refugiados. Esses dados ainda contabilizam que três milhões de pessoas estão na condição de solicitantes de refúgio, aguardando, sem definição, uma resolução jurídica do destino geográfico de suas vidas.

Somam-se a essa demografia internacional cerca de 40 milhões de pessoas expulsas dos seus lugares de origem e que, por variadas motivações, permanecem no próprio país. O quantitativo de deslocados internos representa 58,5% de todo o deslocamento forçado mundial. Dentro desse panorama geral, 52% são menores de 18 anos; ou seja, são crianças e adolescentes.

Gislene Santos

Departamento de Geografia,
Grupo de Estudos em Espaço e População,
Universidade Federal do Rio de Janeiro

CONTEÚDO EXCLUSIVO PARA ASSINANTES

Para acessar este ou outros conteúdos exclusivos por favor faça Login ou Assine a Ciência Hoje.

Seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros conteúdos desta edição

614_256 att-35459
614_256 att-27650
614_256 att-34997
614_256 att-34887
614_256 att-34807
614_256 att-34796
614_256 att-34783
614_256 att-34646
614_256 att-34629
614_256 att-34547
614_256 att-34528
614_256 att-34519
614_256 att-34502
614_256 att-34494
614_256 att-34473

Outros conteúdos nesta categoria

725_480 att-79058
725_480 att-79037
725_480 att-79219
725_480 att-78924
725_480 att-78884
725_480 att-78680
725_480 att-78625
725_480 att-78617
725_480 att-78228
725_480 att-78208
725_480 att-78192
725_480 att-78176
725_480 att-77561
725_480 att-77521
725_480 att-77475