Quer ser rápido como o The Flash? Melhor não

Embora pareça vantajosa, a supervelocidade esmagaria uma pessoa comum se não for acompanhada de outros poderes.

 

Se algum dia, por motivos que com certeza serão muito estranhos, você puder ter o poder de um super-herói, lembre-se de NÃO escolher a supervelocidade, a não ser que ela venha acompanhada de uma aura anti atrito no corpo e uma de atrito nos pés. Isso é absolutamente importante. Eu explico. 

Imagine uma formiga caindo de um prédio muito alto. A aceleração da gravidade fará com que sua velocidade aumente 35 km/h a cada segundo. Com isso, se ela levar 10 segundos para cair, chegará ao chão com uma velocidade de 350 km/h. Certo? Na verdade, não.

Quanto mais rápido um corpo se movimenta, mais o ar oferece resistência a esse movimento. No caso da nossa formiga, que é extremamente leve, quando a sua velocidade chega a aproximadamente 10 km/h (e isso acontece em menos de um segundo de queda livre), a força de atrito que o ar exerce sobre ela se iguala à força da gravidade. Por causa disso, a sua velocidade se torna constante. Assim, se a formiga cair de um banquinho no seu quarto ou de um avião, chegará com a mesma velocidade ao solo e – pasme! –provavelmente sobreviverá, nas duas quedas.

tumblr_o42fjwZWQ21s9ufo0o1_1280

A supervelocidade do Flash

Essa velocidade máxima que um corpo pode ter, seja em queda ou em movimento na horizontal, chama-se velocidade final. Todo mundo está sujeito a uma velocidade final, exceto um super-herói. Sabe quem é? The Flash.

A história da série de TV americana é a seguinte: formado em química orgânica e criminologia, o cientista Barry Allen se torna funcionário do Departamento de Polícia Científica da cidade fictícia Central City. Certa noite, enquanto trabalhava em seu laboratório, um acelerador de partículas explodiu, criando uma tempestade de massa negra que o atingiu.

Aos poucos, o cientista foi descobrindo que aquele acidente havia lhe conferido uma velocidade sobre-humana. Por ser um poder muito conhecido e eficiente, a supervelocidade do Flash é apreciada e desejada por muitos fãs do herói.Mas esse poder não é tão simples quanto parece…

Quando uma pessoa começa a correr, ela está empurrando as moléculas de ar que estão à sua frente. Essas moléculas oferecerão resistência ao movimento. Quanto mais rápido a pessoa estiver, mais quantidade de ar ela estará empurrando e, consequentemente, mais resistência essas moléculas farão. Na velocidade do Flash (que, em alguns episódios, chega a superar a velocidade da luz), essa força de resistência do ar deveria ser como uma parede, e qualquer pessoa normal seria esmagada pelo ar.

Os roteiristas de The Flash, preocupados em dar um ar científico para o universo em que seus heróis vivem, explicam: o que acontece é que o Flash não somente possui a supervelocidade, mas também uma aura anti atrito, uma espécie de blindagem aerodinâmica, que o impede de sofrer qualquer força de resistência do ar.

É uma boa explicação. Um tanto mágica e conveniente, mas eficiente. No entanto, sumir com o atrito causa um outro grande problema físico.

 Quando estamos correndo em uma superfície totalmente horizontal, nossos pés empurram o chão para trás, enquanto o chão nos empurra para frente. Isso só é possível por causa do atrito e da gravidade. Se o chão estiver molhado, por exemplo, o atrito será mínimo e teremos muita dificuldade de sair do lugar. Imagina se não houvesse atrito algum! Da mesma forma, se não houvesse uma força gravitacional nos puxando para o chão, não conseguiríamos empurrar o chão para trás.

 

Pergunta sem resposta

Então o que acontece quando o herói apressadinho resolve escalar um prédio, que está totalmente na vertical? Nesse caso, a gravidade não o puxa para a direção da superfície do edifício, ela o puxa para baixo. Como não há nenhuma força que o empurre na direção do prédio (durante a subida), não há atrito entre seus pés e o chão. Sendo assim, ele jamais conseguiria empurrar a parede do prédio para baixo e subir.

Que força, então, é essa que permite ao velocista escalar a parede correndo? Será que, nos pés dele, há uma aura anti-anti atrito, ou simplesmente uma aura de atrito, que faz os pés dele empurrarem a parede para baixo (enquanto ela o empurra para cima)? Isso os roteiristas nunca disseram. O que nos resta é especular!

O poder do The Flash possui alguns problemas no campo da ciência, em particular, da física. Uma tempestade de massa negra e a aquisição de uma supervelocidade não são suficientes para explicar como ele consegue ignorar o atrito com o ar e, ao mesmo tempo, criar um atrito artificial para andar numa parede totalmente vertical.

E você, consegue pensar em outros problemas físicos que decorrem da supervelocidade? Ou, consegue pensar em formas de combater vilões usando esse poder e suas auras?

Lucas Miranda
Editor do blog Ciência Nerd
Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor),
Universidade Estadual de Campinas

CONTEÚDO EXCLUSIVO PARA ASSINANTES

Para acessar este ou outros conteúdos exclusivos por favor faça Login ou Assine a Ciência Hoje.

Seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros conteúdos desta edição

614_256 att-32068
614_256 att-29640
614_256 att-29552
614_256 att-27650
614_256 att-29220
614_256 att-29148
614_256 att-28828
614_256 att-28636
614_256 att-28627
614_256 att-28542
614_256 att-28526
614_256 att-28484
614_256 att-28417
614_256 att-28375
614_256 att-28340

Outros conteúdos nesta categoria

725_480 att-79274
725_480 att-78794
725_480 att-76014
725_480 att-78383
725_480 att-77706
614_256 att-74208
614_256 att-74306
614_256 att-70842
614_256 att-73465
614_256 att-72009
614_256 att-72813
614_256 att-71228
614_256 att-66550
614_256 att-59255
614_256 att-56646