A Fiocruz diante da covid-19

Mal atende o telefone, Nísia Trindade Lima avisa, com delicadeza, que precisará atrasar a entrevista em dez minutos porque recebeu um chamado do Ministério da Saúde. Seus dias têm sido assim desde que os casos da covid-19 passaram a se multiplicar no Brasil. São reuniões virtuais consecutivas, isolamento social até dos filhos e imensas e incontáveis responsabilidades como presidente da Fiocruz. É a primeira mulher no cargo nos 120 anos, completados em maio, da instituição que está no centro do combate à pandemia no país. “É duro, é difícil, mas o tempo todo estou trabalhando, e isso nos dá esse sentido de urgência e da importância de estarmos dedicados a esse objetivo”. Comparo-a ao general Patton em meio à Segunda Guerra, mas Nísia discorda: “Fala-se muito de guerra, não gosto dessa metáfora. Para mim, a imagem que expressa essa pandemia é uma crise sanitária e humanitária”. A desigualdade brasileira em meio a esse “desastre” é uma das maiores preocupações da socióloga. “Não há democracia na circulação do vírus. Falam que o vírus é democrático, e ele pode, de fato, atingir a todos, como atinge, mas a capacidade de proteção e de resposta a isso é diferente num país desigual como o nosso”, diz ela, referindo-se aos milhões de brasileiros sem acesso à água e impossibilitados de evitar aglomerações. Nesta entrevista exclusiva à Ciência Hoje, Nísia fala da importância do Sistema Único de Saúde, de como criar condições para quando uma vacina chegar estar disponível a todos e da iniquidade de gênero dentro da própria Fiocruz.

CIÊNCIA HOJE: Quando a Fiocruz foi criada, há 120 anos, as ameaças eram as epidemias de varíola, peste bubônica e febre amarela. Hoje, a instituição segue como referência para combater epidemias e está no centro do enfrentamento da covid-19. Pode falar um pouco dessa trajetória?

NÍSIA TRINDADE LIMA: A história do século 20 em relação à saúde pública, e até numa visão mais profunda do Brasil, passa pela Fiocruz. E por quê? O trabalho científico realizado na instituição se volta aos grandes problemas, epidemias urbanas de peste bubônica, varíola e febre amarela, além de outros problemas como as chamadas doenças dos sertões, a Doença de Chagas, marcante na trajetória da instituição. É possível pensar a própria história da sociedade brasileira por esse ângulo da saúde pública, porque a expansão de projetos vistos como modernizadores no território brasileiro sempre colocou questões ambientais, de qualidade de vida, da emergência de doença… E a Fiocruz representa essa história, sempre trazendo aportes científicos dos seus pesquisadores, associando a ciência às necessidades da saúde pública. Neste momento, estamos enfrentando a grande pandemia do século 21, algo que também vai além da saúde. É um grande desafio para uma instituição de ciência e tecnologia vinculada ao Ministério da Saúde (MS) e que, ao longo de sua trajetória, participou do movimento da reforma sanitária na Constituição de 1988, da criação do Sistema Único de Saúde (SUS) e busca unir esse esforço de ciência, tecnologia e inovação com a constituição de um sistema universal em um país continental e extremamente desigual. Se fizermos um paralelo em termos de pandemia, é importante lembrar que cientistas da saúde pública, como Carlos Seidel e Carlos Chagas, foram personagens chave na organização de ações de mitigação da Gripe Espanhola no início do século 20. Então é uma tradição que se atualiza hoje, com uma instituição que se espraia de Manguinhos, onde tudo começou, por todas as regiões brasileiras, com presença de institutos e escritórios em dez estados, e trabalhando toda a cadeia, do conhecimento até a produção.


O mais importante é a necessidade de o país ter uma ciência forte e instituições científicas e universitárias onde se possa gerar conhecimento para compreender a dinâmica da doença na relação com a sociedade e o ambiente e também apoiar o desenvolvimento de políticas públicas

CH: Quais lições podemos aprender com o combate às epidemias do passado na atual crise? 

NTL: Muitos falam que a perspectiva histórica nos ajuda a entender melhor o presente e os desafios que temos. Por outro lado, é difícil tirar lições do passado. Dizem que é como tentar mirar o futuro com um retrovisor. Mas é possível falar de alguns aprendizados e legados. O mais importante é a necessidade de o país ter uma ciência forte e instituições científicas e universitárias onde se possa gerar conhecimento para compreender a dinâmica da doença na relação com a sociedade e o ambiente e também apoiar o desenvolvimento de políticas públicas. O país precisa fortalecer sua base cientifica e tecnológica. Neste momento vemos, de uma maneira muito triste, que muitos insumos de saúde, como equipamento de proteção individual (EPI) e respiradores, não estão acessíveis e isso independe do poder de compra, porque dependemos de importações de produtos que agora estão escassos. É importante ter um desenvolvimento industrial que permita ao país sua autonomia e impulsionar o desenvolvimento em outras áreas. Esses são os principais aprendizados: a importância de se investir em ciência e tecnologia e associá-las ao que chamamos de complexo econômico e industrial da saúde. O SUS requer inovação e tecnologia, requer uma base produtiva.

 

CH: A ciência tem ocupado um lugar central no combate à pandemia, no momento em que muitos movimentos anticientíficos buscam diminuir sua relevância. De que maneira a relação ciência e sociedade vai se estruturar após a atual situação?

NTL: Podemos ter esperança, mas não convicção absoluta de que o valor social da ciência venha a ser mais respeitado e fortalecido nesse processo. Cabe à ciência – nesse sentido amplo, em todas as áreas do conhecimento – dar as respostas e informar políticas públicas para proteger a sociedade. Essa é a aposta muito importante que nós temos, mas nada disso é dado. E aí entra a política com ‘P’ maiúsculo. Não podemos apenas fazer esse enunciado da importância da ciência e não trabalharmos cotidianamente para essa construção coletiva. Precisaremos de um pacto pela vida, como bem coloca a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência na Marcha Virtual pela Ciência.

 

CH: Você é autora do livro Louis Pasteur e Oswaldo Cruz: tradição e inovação em saúde. Por que se valoriza tanto a figura de Oswaldo Cruz, mas não se tem a mesma visão dos cientistas no Brasil contemporâneo?

NTL: São várias razões. Oswaldo Cruz se tornou um símbolo, assim como o castelo de Manguinhos simboliza a possibilidade de fazer pesquisa científica de alto nível num país de periferia e, sobretudo, uma ciência cujos resultados são mais visíveis à população. Talvez menos visível, mas quem sabe até mais importante, foi o fato de ele ter formado uma escola. Ou seja: sua memória, seu trabalho foi sendo atualizado por gerações de pesquisadores, entre os quais me incluo. Assim essa matriz histórica é permanentemente atualizada e tem o Oswaldo Cruz como pioneiro e referência maior. Outro fator é que a ciência era feita de uma forma diferente. Hoje em dia, cada vez mais, coletivos e grandes equipes são importantes, e, ainda que as lideranças continuem a pesar, essa figura individualizada do cientista já não existe da mesma forma. E um terceiro aspecto não menos importante é que a ciência no Brasil se democratizou, eram pouquíssimos cientistas no Brasil no início do século 20. Hoje temos muito mais pesquisadores e em todas as regiões do Brasil. Temos também a ideia de ciência cidadã, com a participação ativa da população na construção do conhecimento científico. A base científica se ampliou, e é essa base que precisa ser preservada neste momento. A figura de Oswaldo Cruz permanece na medida em que essa ciência vai se reproduzindo. Se não, ele vai virar um símbolo de um passado longínquo, e isso nós não podemos admitir.


Não estamos chamando nosso centro hospitalar de hospital de campanha porque ele terá uma permanência, como uma ampliação das ações do nosso Instituto Nacional de Infectologia, que já carecia de melhor estrutura para o atendimento de pacientes graves

CH: E o hospital de campanha? Além de tratamento dos pacientes, auxiliará nas pesquisas em andamento?

NTL: Não estamos chamando nosso centro hospitalar de hospital de campanha porque ele terá uma permanência, como uma ampliação das ações do nosso Instituto Nacional de Infectologia, que já carecia de melhor estrutura para o atendimento de pacientes graves. O hospital é um dos que vão fazer parte desse grande estudo clínico Solidariedade, da Organização Mundial da Saúde (OMS), que está analisando medicamentos já conhecidos para avaliar sua eficácia e sua segurança quando administrados a pacientes da covid-19. Ele vai permitir também, como vai ser um complexo com um grande número de leitos, uma revisão de protocolos, um conhecimento mais amplo das características da doença em sua forma grave no Brasil. Será também um grande laboratório de estudo do comportamento dessa doença nas pessoas com a manifestação mais grave.

 

CH: Por que a Fiocruz foi considerada referência para a covid-19 nas Américas pela OMS?

NTL: Esse é um reconhecimento ao Laboratório de Vírus Respiratórios e Sarampo, que tem mais de 60 anos de atividade e a história marcada pela resposta à epidemia de meningite na década de 1970. Esse reconhecimento da OMS significa que o diagnóstico do vírus, e também o estudo de suas mutações – e aí o Brasil é um grande laboratório –, será feito em todas as Américas tendo como referência o nosso laboratório.


O legado dessa pandemia é que esse sistema precisa ser fortalecido. E a estratégia da saúde da família e da atenção básica, que cresceu no início do século 21, também requer um olhar especial

CH: Um dos compromissos de seu programa de gestão é defender o direito à saúde universal e o SUS. Como o sistema está enfrentando a covid-19?

NTL: A pandemia, pela velocidade de transmissão e pelos casos graves que requererem longos períodos internação e atenção especializada de alto custo, é um problema para todos os sistemas do mundo, até mesmo no inglês, que é robusto. Por outro lado, vemos os Estados Unidos, uma nação rica, mas que enfrenta com dificuldade a pandemia por não ter um sistema público. Então é importante acentuar que o SUS, neste momento, é uma fortaleza, mas também adoece, porque há outros problemas a serem enfrentados. Teríamos problemas em qualquer situação como o mundo todo, mas soma-se a isso um subfinanciamento histórico. O legado dessa pandemia é que esse sistema precisa ser fortalecido. E a estratégia da saúde da família e da atenção básica, que cresceu no início do século 21, também requer um olhar especial, porque tem proximidade nos territórios. Outro ponto no enfrentamento da pandemia é a extrema desigualdade no Brasil, que implica condições de vida sem saneamento, sem água, o que torna as medidas de higienização muito difíceis de serem implementadas. O mesmo se diz em relação ao isolamento. Além das medidas de saúde e fortalecimento da assistência, tem que se trabalhar medidas de proteção social. As pessoas não podem, ao escapar da covid-19, morrerem de fome.


Salvar vidas, fortalecer o nosso SUS e ter uma agenda para um processo que vai se alongar, lutar por uma vacina e garantir o acesso de toda a população à vacina e a outros meios para proteger sua saúde, esses são os grandes desafios

CH: Como é ser a primeira mulher presidente da Fiocruz em 120 anos e estar no centro do enfrentamento dessa crise só comparável à Gripe Espanhola?

NTL: Essa é uma crise planetária, que coloca em xeque o modelo civilizatório, expõe a vulnerabilidade do mundo todo. É um desafio impensável para a minha geração, que participou da construção do SUS, da retomada do processo democrático no país. Meu papel é coordenar esforços da potência que é a Fiocruz, a principal instituição de Ciência e Tecnologia em Saúde da América Latina, fazendo com que atue como um sistema de forma sinérgica. Lidamos com essa pandemia como uma grande crise sanitária e humanitária multidimensional, que requer conhecimento de todas as áreas da ciência. Salvar vidas, fortalecer o nosso SUS e ter uma agenda para um processo que vai se alongar, lutar por uma vacina e garantir o acesso de toda a população à vacina e a outros meios para proteger sua saúde, esses são os grandes desafios.

Como primeira mulher a presidir a Fiocruz, enfrento esse desafio com sentimento ambíguo. Tenho me esforçado para reforçar o nosso Comitê de Equidade e Gênero em torno de uma série de questões, mas destaco uma: mulheres são maioria entre nossos trabalhadores e pesquisadores, mas minoria nos cargos diretivos. Que a minha posição na presidência não sirva só como um exemplo, mas como um motor de reduzir essa iniquidade. E eu falo de um sentimento ambíguo porque, neste momento da pandemia, eu vejo várias colegas na linha de frente. Isso dá orgulho. Por outro lado, essa pandemia revela uma sociedade muito desigual, e essa desigualdade também se expressa entre os trabalhadores da saúde. Temos visto adoecimento dos profissionais e incidindo de uma maneira muito intensa sobre a enfermagem, e, nesta categoria profissional, a maioria é de mulheres. Vemos também aumentar a violência contra as mulheres, num momento que era para estarmos defendendo, como parte do pacto pela vida, um pacto pela paz e por relações sociais de respeito a direitos humanos, dignidade e respeito às diferenças.


Que a minha posição na presidência não sirva só como um exemplo, mas como um motor de reduzir essa iniquidade

CH: As ciências sociais têm sido deixadas em segundo plano nos investimentos do atual governo. Como socióloga, qual a importância das ciências sociais nessa pandemia?

NTL: As ciências sociais são importantes em várias áreas, mas, falando especificamente das emergências sanitárias, são fundamentais para pensarmos a dinâmica da circulação de um vírus e seu impacto na sociedade. Além disso, as ciências sociais trabalham com a percepção sobre risco, com as políticas públicas. É impossível enfrentar uma pandemia sem esses recursos. As ciências sociais é que vão permitir que entendamos, por exemplo, que medidas e que comunicação vão ser, de fato, eficientes numa sociedade tão desigual como a nossa. Como mostrou o sociólogo Norbert Elias em O processo civilizador, muitos hábitos que desenvolvemos têm a ver com diferenciação de classe, e esse trabalho foi uma referência importante para estudos sobre as epidemias. Há uma dimensão social muito importante quando falamos que todos podem pegar a doença, mas, ao mesmo tempo, são proteções diferentes de acordo com relações sociais e de poder desiguais. Se ainda tivéssemos entre nós um historiador como Eric Hobsbawn, ele talvez dissesse que o século 21 está começando agora, porque a pandemia vai botar em xeque essa circulação de pessoas e de mercadorias do mundo dito globalizado. Vai evidenciar também as diferenças entre os países com mais e menos condições de proteção e que a proteção depende também de um forte arranjo de política pública do Estado e de uma forte solidariedade social. Tudo isso é sociologia.

 

CH: Cientistas ligados a Fiocruz de Manaus, entre outros, foram ameaçados por conta das pesquisas que conduzem. Como vê essa situação de coerção da pesquisa e busca de cerceamento do livre pensar por certos grupos sociais?

NTL: A ciência só pode existir com liberdade e ética, são dois princípios básicos. Não quer dizer que os cientistas podem fazer tudo o que querem, por isso, temos comitês de ética que se fortaleceram muito no Brasil. No caso específico que você cita, a minha posição é a que está na nota do nosso conselho deliberativo.

Valquíria Daher

Jornalista
Instituto Ciência Hoje

Matéria publicada em 11.05.2020

COMENTÁRIOS

  • Norma Maria de Souza

    Parabéns Dr Nísia Trindade pelas palavras da sua entrevista
    Você tem sido sobretudo nossa esperança no combate ao coronavírus principalmente nas favelas.
    Gratidão pela sua competência, olhar crítico e solidário com os menos favorecidos.

    Publicado em 11 de Maio de 2020 Responder

    • Teresa Garbayo

      Parabéns, Dra. Nisia, pela entrevista e pela sua atuacao na presidência da Fiocruz nesse momento tão dificil da sociedade brasileira.. Nós, mulheres de todas as classes sociais não poderíamos estar melhor representadas na luta por um atendimento igualitário no combate ao covid-19..

      Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

      • Socorro Souza

        Analisar o efeito da pandemia sob a ótica das mulheres na Ciência e na vida pública trás luz para pensarmos a realidade necessaria, a totalidade. O sonho utópico que nos guia é de um país soberano, democrático e igual para todas e todos. Sem misogenia, racismo, pobreza, violencia! Parabéns Nisia pelo incansável , publico e ético trabalho!

        Publicado em 12 de Maio de 2020

    • Anônimo

      Parabéns Dra. Nísia Trindade pela liderança em saúde no Brasil. Pela dignidade e honra que são testemunhadas por milhares de profissionais de saúde que regressam da Fiocruz. Somos todos e todas Nísia Trindade porque ela é representante do pensamento lúcido da ciência brasileira.

      Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

      • Maria Luiza Carvalho de Lima

        Parabéns Nísia vc sempre se mostrou capaz, uma gestora que atua com delicadeza e de forma compartilhada com os colegas e outras autoridades mostrando ações democráticas contrárias às autoritárias além de levar em conta a ética e a preocupação como vc bem diz dessa tragédia humanitária.
        Muito obrigada por estar a frente da FIOCRUZ da qual faço parte em Recife..

        Publicado em 12 de Maio de 2020

    • Celina Turchi

      Parabéns Nisia, suas reflexões são valiosas. Grande abraço e cuide-se. Celina Turchi

      Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

      • Josinete Cordeiro

        Posicao Socio politica acertada.. Tem minha admiracao.!!Nao se deixe intimidar!!Estamos apoiando…Avante SUS

        Publicado em 13 de Maio de 2020

      • Ruy Espinheira Filho

        Parabéns, Nízia Trindade Lima. São dedicações como as da senhora que dignificam o ser humano.

        Publicado em 13 de Maio de 2020

    • Letícia Carriço

      Parabéns por sua postura, sua ética, sua competência e seu esclarecimento quanto as desigualdades que ainda permeiam a nossa sociedade e são tão nocivas ao bem estar de quaisquer nações . Espero que um dia consigamos ser seres humanos melhores, gerindo um planeta de forma ética, democrática, humana e igualitária,

      Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

      • Janice

        Parabéns Dra. Nísia. Em tempos tão sombrios é mt bom poder contar com pessoas esclarecidas e sensatas! Gratidão por tê-la no campo progressista!

        Publicado em 16 de Maio de 2020

    • Letícia Carriço

      Parabéns Nísia, por sua postura, sua ética, sua competência e seu esclarecimento quanto as desigualdades que ainda permeiam a nossa sociedade e são tão nocivas ao bem estar de quaisquer nações . Espero que um dia consigamos ser seres humanos melhores, gerindo um planeta de forma ética, democrática, humana e igualitária,

      Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

      • Tania Maria X. Carvalho

        Parabéns, dra. Nisia! Parabéns pela coragem, determinaçao, persistência. E obrigada por lutar pela nossa saúde, indo de encontro a essas gorças maléficas que ora nos ameaçam.
        Deus a proteja e abençoe.

        Publicado em 14 de Maio de 2020

    • Anônimo

      Excelente! Que bom saber que ainda temos bons líderes e boas pessoas em setores estratégicos.

      Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

    • Carlos Henrique de Lima

      Parabens a todos pela dedicaçao, pelo amor a Ciencia a Medicina Cientifica para o Desenvolvimento de soluçoes tao importantes. na area da Saude. Parabens Nisia

      Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

      • Ana Cláudia Reis Schneider

        Parabéns! Excelentes colocações. Sou pesquisadora e realmente o número de mulheres tem aumentado significativamente em diversas áreas de pesquisa. O reconhecimento está sendo alcançado e a sra é uma prova disso!

        Publicado em 17 de Maio de 2020

    • Ana Amora

      Sempre certeira! Entrevista que coloca de forma sintética a conjuntura e os desafios do momento. Parabéns Nísia, todo apoio ao seu trabalho.

      Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

    • Anônimo

      Maravilhoso termos, à frente da Fiocruz, uma mulher tão lúcida,inteligente,sensível e combativa!Ótima e animadora entrevista,em que pesem todo o aviltamento da produção acadêmico-científica e tecnológica,neste momento tão duro para o Brasil e para o mundo!

      Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

      • Sônia Ma.P.de Azeredo

        Idem comentário anterior.

        Publicado em 14 de Maio de 2020

  • Rosana Soares Zouain

    Ótima, entrevista, Nísia, ficamos muito mais tranquilos tendo uma pessoa como você à frente da Fiocruz nesse momento delicado, que exige sabedoria e bom senso. Obrigada!

    Publicado em 11 de Maio de 2020 Responder

    • Silvia M. Goulart

      Parabéns a todos os pesquisadores e técnicos da FIOCRUZ, e à Dra. Nisia, que está à frente de mais esse esforço imenso! A defesa do SUS é fundamental no nosso país, assim como a defesa das instituições públicas! .

      Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

      • Korb Marilene

        EXCELENTES EXPLICAÇÕES & NECESSÁRIOS ESCLARECIMENTOS sobre a IMPORTÂNCIA da FIOCRUZ bem como Todos ESTUDOS & PESQUISAS CIENTÍFICAS para CURAS & ATENDIMENTOS ESSENCIAIS com MELHORES respostas &CONDIÇÕES com visitas às desigualdades étnicas….gênero…sócio culturais…

        Publicado em 13 de Maio de 2020

    • Rosemeire Morgado

      Parabéns pela sua dedicação, respeito e seriedade de seu trabalho
      DIANTE DE TANTOS OBSTÁCULOS, LUTA COM GARRA E CONSCIÊNCIA.
      NOSSO POVO CARENTE E MARGINALIZADO DESDE DE 1500 NECESSITA DE MULHERES E HOMENS COMPROMETIDOS COM SUA SEGURANÇA E ASSISTÊNCIA.
      UM GRANDE ABRAÇO E RESPEITO ETERNO!

      Publicado em 19 de Maio de 2020 Responder

  • Ana Luce Girão

    Que entrevista maravilhosa, Nísia. Recoloca os cientístas de ontem e de hoje em na posição que merecem estar, e atribui um papel importante às ciências sociais no momento de pensar políticas públicas que possam mitigar a forma desigual como a população está sendo atingida pela epidemia. Além de fortalecer o papel do SUS. Obrigada.

    Publicado em 11 de Maio de 2020 Responder

  • Alexandre Pessoa da Silva

    Observa-se que o vírus foi democrático no início quando, ainda desconhecido, infectou turistas de maior poder aquisitivo gozando suas férias no exterior. Entretanto, ao infectar as populações pobres da periferia, sem meios para manter o isolamento social e sem a assistência médica suficiente, a epidemia deixa de ser “democrática”, demonstra nossa calamitosa iniquidade social e assinala o genocídio em curso contra nossos cidadãos mais pobres. Parabéns pela entrevista e pela ótima direção da Fiocruz Dra Nisia.

    Publicado em 11 de Maio de 2020 Responder

    • Gaudêncio Frigotto

      Análise execelente. Uma profissional que tem o sentido da importância do conhcimento para a ssude e a vida. Um exemplo de profissional que tem a noção de sua função. Um contraponto à insanidade palaciana. A FIOCRUZ E UM PATRIMÔNIO A SERVIÇO DA SAUDE E DA VIDA. . Parabéns a todos os pesquisadores, educadores e técnicos.

      Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

    • Luis Carlos Reis

      Excelente reflexão Alexandre. Muitos de nós estávamos querendo dizer isso.

      Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

      • Anônimo

        Parabéns A FIOCRUZ e Tambem á todos Vocês Pesquisadores , e Educadores e técnicos. DEUS O Abençoe Grandem! Ve

        Publicado em 15 de Maio de 2020

      • Sueli Pozzani

        Parabéns aos profissionais da Fiocruz pelo esforço e dedicação!!!

        Publicado em 16 de Maio de 2020

  • Alexandre Pessoa da Silva

    Observa-se que o vírus foi democrático no início quando, ainda desconhecido, infectou turistas de maior poder aquisitivo gozando suas férias no exterior. Entretanto, ao infectar as populações pobres da periferia, sem meios para manter o isolamento social e sem a assistência médica suficiente, a epidemia deixa de ser “democrática”, demonstra nossa calamitosa iniquidade social e assinala o genocídio em curso contra nossos cidadãos mais pobres. Parabéns pela entrevista e pela ótima direção da Fiocruz Dra Nisia.

    Publicado em 11 de Maio de 2020 Responder

  • Gustavo Ottoni

    Parabéns à Presidenta Nísia Trindade Lima, não só por essa entrevista, mas também pelo seu brilhante trabalho na Fiocruz em todos os aspectos, e agora principalmente no decorre da crise que atravessamos. Parabéns Presidenta.

    Publicado em 11 de Maio de 2020 Responder

  • Elisabete Brocki

    Parabéns, presidenta Nísia. Sua entrevista evidência como as desigualdades sociais moldam essa doença no Brasil, a importância não só da pesquisa, em todas as áreas do conhecimento, mas do SUS também. Finalmente, o destaque para o trabalho da mulher pesquisadora e a iniquidade em cargos de direção. Tenho profundo respeito aos trabalho desenvolvido pelos pesquisadores e pesquisadoras da Fiocruz, em especial, no Amazonas.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Laeticja Jalil

    Parabéns Presidenta Nisia. A competência, compromisso e seriedade com. Trabalho são as marcas da Fiocruz neste moemnto tão caoticocaoticoque estamos vivendo. O Brasil precisa da FIOCRUZ

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

    • dione stamato

      parabéns pelas excelentes informações
      Deus lhe ajude nessa campanha tão maravilhosa

      Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Maria do Rosário de Assumpção Braga

    Quanta urgência, lucidez, serenidade e clareza nesta ótima entrevista. Nísia Trindade Lima demonstra na prática a importância de uma ação abrangente e eficaz,, que seja socialmente fraterna, para a superação deste momento de exposição ao covid19, Além disso, ressalta a importância do trabalho conjunto nas Ciências, sem esquecer o papel da mulher e daqueles que estão mais expostos.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

    • Helcio Queiroz Braga

      É bom saber que em uma instituição estatal existam cientistas e dirigentes deste porte. Isto me faz ser otimista com o nosso futuro.

      Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

      • Pedro Ponzoni Filho

        Quero expressar minha gratidão pelo seu trabalho de imenso valor social, querida doutora Nísia. Sua coragem, competência e dedicação é uma inspiração para todos que lutam por um mundo melhor

        Publicado em 12 de Maio de 2020

      • Nilton Emmerick

        Parabéns Dra. Nísia, pela condição de primeira Presidenta da FIOCRUZ, pela conduçao firme e competente da entidade neste momento ímpar para a Saúde Pública e pela sua excelente e esclarecedora entrevista. Vida longa, saúde, sabedoria, resistência e paz no coração para você

        Publicado em 13 de Maio de 2020

      • Marina Neves Delgado

        Parabéns Dra. Nísia pelo trabalho e dedicação! Parabéns Fiocruz e toda sua equipe!

        Publicado em 19 de Maio de 2020

  • Páulea Zaquini

    Parabéns, Nisia. Tenho certeza que a Fiocruz enfrentará esse momento, da melhor forma que for possível, com você e sua equipe na Presidência.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Gracia Maria de Miranda Gondim

    Querida Nisia,
    Sua magistral condução da Fiocruz nos enche de orgulho e da certeza de termos feito a escolha certa.
    Sua competência como pesquisadora e estudiosa da saude publuca, lhe aufere, junto a pessoa lúcida, ética e humanitária que é, discorrer e vislubrar em meio a essa pandemia, o cerne da questão posta a todos os povos – precisamos mudar nossas relações sociais, econômicas, políticas e, sobretudo, com a natureza para defendermos a vida, a dignidade humana e a justica social.
    Parabéns pela entrevista. Estamos juntos. Somos Fiocruz.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

    • Vanir Lima de Moura

      Parabéns e obrigada pela sua dedicação e amor pela profissão e ao amor ao próximo. Que Deus abençoe vc e todos os seus colegas! Que os espíritos de Luz ilumine a mente de vcs para a descoberta da vacina para combater esse vírus!!🙏🏼❤🥰😘😷⚘

      Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

      • Anônimo

        Meus parabéns .
        É muito gratificante ver um MULHER na liderança da instituição de maior representabilidade na pesquisa epidemiológica no nosso país.

        Publicado em 15 de Maio de 2020

  • Maria do Socorro Peloso da silva

    Quanta clareza e sensibilidades em seus argumentos. Que sua luta seja um motor que possa impulsionar outras mulheres cientistas a não sair da luta. Como cientista social, desempregada, isolada socialmente dado ao contexto, sinto-me representada e compartilho de suas vozes aqui expressa em diálogo com as minhas vozes e anseio. Grata!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Dennis Gea Zschaber Nogueira

    Que cidadãs e profissionais como a Dra. Nísia possam inspirar nossos alunos de escolas públicas e periféricas a lutarem diante das desigualdades e se tornarem pesquisadores para a evolução da sociedade brasileira.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

    • Vera Lucia Ferreira Rodrigues.

      Parabéns pela excelente entrevista. Obrigada por compartilhar informações tão importantes. Uma verdadeira aula de cidadania. que nos permitiu ter a dimensão de um órgão tão fundamental p nosso país e o mundo. Obrigada Dra. Nisia a senhora é motivo de orgulho a todos nós tendo a frente uma entidade tão importante.

      Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Sylvia Grabois

    Muito boa sua entrevista Nisia querida.
    Nós confiamos muito em vc. Ter vc a frente da Fiocruz é uma tranquilidade imensa principalmente entre as classes menos favorecidas.
    Muito orgulho de vc.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Liana Albernaz de Melo Bastos

    Parabéns à Dra Nise e a toda Fiocruz pelos relevantes trabalhos e pesquisas brasileiros. Todo apoio à ciência brasileira!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

    • Anônimo

      Orgulho de ter uma instituição como a FIOCRUZ, resistindo a tudo e todos. Parabéns!

      Publicado em 15 de Maio de 2020 Responder

  • MARY Ferraz

    Parabéns pela sua posição da Ciência e Da Ética
    Temos orgulho do país ter cientistas como a Sra
    Fortalece.a área das Ciências Sociais

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

    • Mariana Vercesi de Albuquerque

      Parabéns Nísia e a todos os trabalhadores da Fiocruz! Entrevista lúcida, que mostra o compromisso com a ciência e com o enfrentamento das desigualdades brasileiras. E nos ajuda a enfrentar este momento e a pensar no futuro. Orgulho da Fiocruz!

      Publicado em 16 de Maio de 2020 Responder

  • Sebastão Loureiro

    Parabéns Nídia e toda a equipe da FIOCRUZ que vc inspira com o seu trabalho e dedicação e inspiração!!
    Um grande abraço e toda a solidariedade!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Danuza Esquenazi

    Nísia, sua expertise é incontestável para gerir a FIOCRUZ. Minha gratidão e meu #orgulhodeserfiocruz só aumentaram com você na Presidência

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Tania Pacheco

    Ótima entrevista. E excelente gestão à frente da Fiocruz. Parabéns.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

    • Julio Cesar França Lima

      Parabéns Nísia, é um prazer e orgulho ver a sua liderança e lucidez à frente da Fiocruz, da nossa Fiocruz, nesse momento de grave crise sanitária e humanitária. Conte conosco para o que for preciso.

      Publicado em 16 de Maio de 2020 Responder

  • Lúcia Souto

    Parabéns Nísia sua competencia e lideranca honram a nossa FIOCRUZ Fipcru

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Domenico Capone

    É um alento esse depoimento de alguém que está a frente de uma das mais importantes Instituições Públicas do nosso País. Parabéns Dra.Nisia pela lucidez, coragem e competência, atributos tão escassos neste Brasil amordaçado. A ciência está VIVA.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • André Luiz Vieira de Campos, professor universitário e historiador

    Parabéns à primeira mulher a exercer a presidência da FIOCRUZ, Nisia Trindade Lima. Sua formação como cientista social, ao lado da experiência adquirida em mais de 30 anos de trabalho nesta instituição científica de excelência que é a FIOCRUZ, certamente dão à Nisia, as habilidades e competências, bem como a legitimidade para presidir a FIOCRUZ neste momento difícil para o país. Força Nisia!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • André Luiz Vieira de Campos, professor universitário e historiador

    Parabéns à primeira mulher a exercer a presidência da FIOCRUZ, Nisia Trindade Lima. Sua formação como cientista social, ao lado da experiência adquirida em mais de 30 anos de trabalho nesta instituição científica de excelência que é a FIOCRUZ, certamente dão à Nisia, as habilidades e competências, bem como a legitimidade para presidir a FIOCRUZ neste momento difícil para o país. Força Nisia!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Magali Gouveia Engel, professora universitária e historiadora.

    Parabéns pela excelente entrevista Nísia Trindade Lima que tão bem representa a FIOCRUZ, uma das mais reconhecidas e importantes instituições de pesquisa científica do mundo. Como primeira cientista a ocupar a sua presidência rompeu com uma tradição que, por décadas, garantiu apenas aos homens o exercício do cargo. Parabéns por sua responsabilidade e competência à frente da FIOCRUZ num momento tão crítico e difícil, onde, infelizmente, proliferam posturas e condutas apoiadas na ignorância e na barbárie. Você representa com toda a legitimidade os diversos campos das ciências acolhidos na FIOCRUZ, das ciências biológicas às ciências humanas. Estamos com você e ao lado da Ciência!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Carla Pacheco

    Parabéns Nísia pelo trabalho realizado a frente da Fiocruz, por ser uma excelente gestora e cientista .

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Maria Auxiliadora Mascarenhas Fernandes, Instituto Viva Infância,

    Quanto orgulho em ter uma mulher com tamanha competência e visão humanística à frente da grande Fiocruz. Parabéns! Avante!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Fátima Mustafa

    Não a conheço mas ao ler a entrevista senti o maior orgulho de ser mulher e de ter uma mulher séria ,competente e comprometida à frente da Fiocruz.
    Parabéns!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Leonor

    Parabéns! Orgulho de você!!! Orgulho de ser mulher!!!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Antonio Herculano Lopes

    É importante ressaltar não só o fato de ser mulher, neste nosso mundo fortemente dominado por homens e por um pensamento neles centrado, mas também seu lado cientista social, num momento em que as humanidades estão sob o ataque no Brasil e no mundo. Não é possível falar em saúde sem entender que se trata de um fenômeno social e cultural. Parabéns, Nísia! E força!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Deise Picanço

    Parabéns pela entrevista Dra Nisia e por sua gestão diante da Fiocruz nesse momento difícil para a humanidade em especial para o Brasil. A defesa da ciência, do SUS e do investimento em formação e equipamentos é fundamental, assim como a análise das relações que poder numa sociedade excludente, que mantém desigualdades sociais em níveis absurdos, inaceitaveis. Que sua gestão seja motor para muitas mudanças.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Cláudia de Oliveira

    Parabéns, Nísia, por ser mulher, mãe e profissional de excelência!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

    • CláudiaSouza da Silva

      Viva a Ciência! Viva a FIOCRUZ! Todo apoio a essa Instituição !

      Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

  • Lia Zatz

    Ótima entrevista Dra. Nísia. É de vozes e posturas iluminadas assim que precisamos.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Anete Ivo

    Parabéns, Nísia! pela clareza do seu diagnóstico e definição dos nossos desafios. Parabéns também pela firmeza na luta em defesa da vida, do conhecimento e da informação científica comprometidos com o aperfeiçoamento do sistema público de saúde brasileiro.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Jqcy Gameiro

    Ótima entrevista!! Parabens!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Paulo de Oliveira Perna

    A Profa. Nísia, com seu trabalho, dá continuidade, com profissionalismo, qualidade, compromisso e defesa da coisa pública, àquilo que tem sido uma longa trajetória da Fiocruz. Essa instituição vem garantindo, ao lado de outras, que políticas de saúde pública no Brasil possam ser pensadas, construídas e implementadas, como concretização do direito à saúde para todos, tal como estatuído na Constituição de 88.
    Portanto, parabéns à professora e pesquisadora, bem como a todo o corpo de trabalhadores da Fiocruz.
    Nosso mais profundo reconhecimento.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

    • Solange Veloso Viana

      Parabéns Dra. Nizia,

      O seu trabalho e de toda a equipe da Fiocruz enchem de orgulho todos os segmentos que lutam por um país melhor. Nosso mais profundo reconhecimento!

      Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

    • Slavson Motta

      Parabéns pela entrevista, pelos esclarecimentos e pela visão clara da realidade brasileira nesse contexto de pandemia. A ciência é, logicamente, a melhor estratégia para o desenvolvimento em todas as áreas.
      Parabéns à Fiocruz, e seus pesquisadores, como Instituição centenária de qualidade a serviço do Brasil..

      Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Marcus Soares

    Parabéns Nísia. Sua análise foi perfeita. Lucidez e competência em sua entrevista. Orgulho desta renomada instituição de pesquisa brasileira.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Debora saraiva

    Parabens Dr Nísia! Muita saude e força!!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Debora saraiva

    Parabens Dr Nísia! Muita saude e força!!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Celi Devellard Gandra Cutrim

    Parabéns! Não encontro nada melhor para te dizer.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Jane Felipe Beltrão, UFPA

    Eis o valor das Ciências Sociais, Dra. Nísia é um prazer ler a sua análise, as circunstâncias estão a exigir providências e investimento. Em plena pandemia os descalábrios continuam a ocorrer e, em meio ao choro, ainda temos que enfrentar as hienas.
    Parabéns pelo trabalho da FIOCRUZ!
    O fato de ocupar a presidência da Instituição é prova de resistência, sabemos como foi difícil respeitar a vontade dos integrantes da Fiocruz em torno do seu nome e a sua nomeação.
    Meus respeitos a todas/os que fazem CIÊNCIA no país.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Anônimo

    JOSÉ CARLOS ASSUNÇÃO BELOTTO

    Parabéns e força! É muito triste! Em um momento tão difícil como este ainda é necessário desviar o foco para ofensas e asneiras vindas daqueles que negam a ciência..
    Avante Guerreiros da FIOCRUZ!.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Constanca Barbosa

    PARABENS NISIA!! ORGULHO DA NOSSA PRESIDENTA E DA FIOCRUZ … SOMENTE UMA SOCIOLOGA, SANITARISTA E MILITANTE DO SUS COMO VOCE PODERIA TECER CONSIDERACOES TAO PERTINENTES DIANTE DO QUE ESTAMOS VIVENDO
    GRANDE ABRACO …ESTAMOS JUNTAS !!!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Catarina Moro

    Nossa esperança de haver um diálogo acadêmico-científico reside na Fiocruz e na gestão que está sendo feita pelo grupo de vocês. Parabéns pelos enfrentamento dos muitos desafios colocados no contexto sociopolítico brasileiro.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Sunaydi Santos

    Parabéns!! De uma clareza, simplicidade e muita competência que coloca os esclarecimentos sobre a Fio Cruz!!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Paula Xavier

    Neste momento de tanto sofrimento, sobre o qual predominam falas abomináveis vinda daqueles que deveriam estar coordenando esse esforço nacional, a fala da Presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, nos toca profundamente, trazendo esperança no futuro. Coerente, numa visão analítica que abrange múltiplas perspectivas, é capaz de dar um rumo, um norte, o que mais precisamos neste momento. Parabéns a Fiocruz e a sua liderança expressa na pessoa da Nísia!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

    • ANA MARIA LUCCA SANDRI

      É uma pena que em eno seculo XXI há pessoas que ainda ignoram a ciencia. Com se ainda estivessem ainda na idade da pedra.

      Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Ubiracy Almeida

    Entrevista patética!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

    • Rafael

      Calaboca, gado

      Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

      • Anônimo

        Coitado do Rafael, foi contaminado pela febre aftosa!!!

        Publicado em 13 de Maio de 2020

    • Mila

      Patético é vc! Ah! Entendo! Não deve conseguir analisar um texto.

      Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

    • Márcia Silva Amorim

      Patética é a subserviência sem nem mesmo ponderar as irresponsabilidades, a crueldade que o governo federal esta fazendo com o Brasil, por pessoas que nem mesmo se respeitam.

      Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

  • Maurício de Sousa Barros

    A FIOCRUZ, seus cientistas, e vossa senhoria, doutora Nisia, sao o orgulho do povo brasileiro. Parabens por enfrentar com tanta competencia, empenho e coragem esta pandemia. Parabens para todos e todas da FIOCRUZ.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Kátia Pereira

    excelente entrevista. Traz luz para esse momento tão difícil que estamos vivendo no Brasil e que ainda vai se agravar

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Luiz Antônio Santini

    Nisia
    Sua entrevista é um marco histórico nesse momento da maior crise sanitária em mais de um século que atinge a humanidade. Sobretudo num momento em que o controle dessa pandemia vem tendo que vencer ,de um lado o negacionismo e de outro o a visão reducionista que propõe uma guerra ao vírus.
    O modelo da guerra tem , entre outras limitações,a perversidade de admitir a morte como efeito colateral,e os profissionais de saúde como suas primeiras vítimas

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

    • Menga Ludke

      Doutora. Nisia, obrigada por compartilhar conosco sua posição clara e firme à frente de uma instituição tão importante em um momento em que o país tanto necessita de exemplos que inspirem nossos jovens a buscarem seu papel pela formação e pelo trabalho, sendo a educação aliada fundamental para isso..

      Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Fatima Villarin

    Parabens pelo Belo trabalho. Forca !
    Fatima Villarin.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Angelica Ferreira Fonseca

    O programa de gestão que Nísia Trindade implementa a frente da Fiocruz orienta-se por um sentido amplo de ética. Neste momento revela-se corajoso e imprescindível para a sociedade. pois por meio de várias ações efetiva o compromisso com a saúde da população, com a ciência e com o SUS

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Osvaldo Fontenele

    Parabéns! Nós verdadeiros brasileiros sabemos da importância que a FIOCRUZ representa para todos nós e nesse momento tão delicado que estamos passando não poderiamos nos furtar de prestar a nossa solidariedade. Que as bênçãos de Deus os fortaleça cada vez mais! Grato!!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • MILITZA BAKICH PUTZIGER

    Todo o meu apoio à Fiocruz, à diretora e toda a equipe e todo o pessoal. Minha admiração pelo belo trabalho de todos. O país precisa de investimento em ciência. As qualidades dos nossos profissionais já são notórias e reconhecidas internacionalmente!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Lucilia Caire Castelo Branco

    Esse problema vem desde os tempos da ditadura quando tantos cientistas dessa renomada instituição foram perseguidos e banidos do país. Lutar por uma sociedade mais justa, em que todos tenham direitos e o estado seja valorizado, as universidades publicas, os sistemas de saúde, o SUS deve ser uma luta incansável pois o mundo capitalista só vê o lucro imediato. Parabenizo a presidente e todos os funcionários desta instituição, da qual minha filha faz parte com muito orgulho. Força, coragem, ESTAMOS JUNTOS.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • ernani saraiva

    Parabéns Nisia
    1 força nessa luta!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Maria Lucia dos Santos

    Parabéns a essa mulher guerreira que muito me representa.Viva às mulheres.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

    • Anamaria Testa Tambellini

      Cara, Presidente Nisia
      Sua entrevista demonstra sua competência, espírito democrático, lucidez, coragem e solidariedade com que dirige com persistência e dedicação nossa Fiocruz.
      Minha admiração, respeito e afeto a essa mulher batalhadora, porém delicada e afetuosa no trabalho e pela vida afora
      Estamos com você!

      Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Eudes

    Parabéns todos envolvidos nesta luta.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Lincoln de Abreu Penna

    Parabéns, Nísia. Sua bela e oportuna entrevista é mais do que uma advertência nessa hora grave que vivemos. Ela é uma manifestação lúcida da resistência civilizatória.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Suely

    Parabéns!!!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

    • Claudia Araujo

      Honradissima com todo empenho e seriedade do seu trabalho à frente da Fiocruz, não deixa nada a desejar acomo sociologa!

      Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Leonardo Gatti

    Todo apóio ,e gratidão !!!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Camila

    A palavra de ordem deve ser solidariedade.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Márcia Regina B. do Nascimento

    Parabéns pelas contribuições pautadas pelo conhecimento científico e respeito à dignidade humana.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Eliete Tavares

    Parabéns Nísia, pelo trabalho a frente de uma instituição tão importante para o Brasil e para todo o mundo! O seu trabalho atuante na saúde pública só enaltece e fortalece a capacidade da mulher brasileira e eleva ainda mais a instituição FIOCRUZ!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Estela

    Parabéns!! Excelente reflexão sobre a saúde no Brasil.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Ronald Marques dos Santos

    Parabéns, Dra. Nisia! Excelentes entrevista e trabalho feito a frente da Fiocruz! Muito orgulho de sua postura técnica, ética, responsável e comprometida com a sociedade brasileira nesse momento de dificuldade em que muitos que deveriam assumir seus compromissos com seriedade preferem criar conflitos para esconderem sua mediocridade e incompetência! Siga em frente porque ao seu redor têm muitos braços a lhe apoiarem!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Madalena

    Parabéns e força no trabalho. O legado de mulheres corajosas como a senhora vai encorajando e mudando a realidade de tantas outras

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

  • Luciana Sepulveda

    Um alento termos na Fiocruz uma liderança serena, inteligente e sensivel diante do grave momento que atravessamos. Uma crise que expoe mazelas estruturais como a desigualdade, ao mesmo tempo em que pode acelerar processos de transformaçao, Esperança de mais ciencia, mais saude, mais Estado, mais participaçao social, mais solidariedade. Parabens pela brilhante entrevista, Nisia! Mais do que nunca precisamos de cientistas sociais!

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

    • Marina Miyazaki Araujo

      Meu apoio a todos os cientistas, à Fiocruz e a Dra Nisia

      Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Inácio de Paula

    Deu vontade de continuar lendo, pena que o texto acabou.

    Publicado em 12 de Maio de 2020 Responder

    • Edna Linhares Garcia

      Sim!! Eu também!
      Parabéns Fiocruz por ter como representante a dr. Nisia !

      Publicado em 16 de Maio de 2020 Responder

  • Rosane C. Marque Acosta

    Parabéns Presidenta muito esclarecedora está entrevista.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

    • Tânia Rj

      Esclarecedora sua entrevista Dra Nísia, parabéns por sua atuação na Fiocruz!
      Te desejo sucesso e saúde

      Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Claudia De Oliveira Fernandes

    Muito boa entrevista. Esclarecedora, séria, sem direcionamentos político partidários, em nome das ciências e suas diversas possibilidades de atuação e enfrentamento da epidemia que assola o mundo nesse século XXI

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Patrícia Seibert Lyrio

    Parabéns!!! Seu trabalho é maravilhoso!!!! Tenha saúde e força . Deus a abençoe

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

    • Elizabeth Garzuze da Silva Araujo

      Gratidão! A melhor palavra para expressar o meu sentimento por seu trabalho competente e dedicado. Que a verdade e o Bem prevaleçam. Parabéns a equipe de trabalhadores incansáveis da Fiocruz nestes 120 anos de produção do conhecimento para salvar Vidas!

      Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Elaine Saraiva

    Toda gratidão por sua dedicação, coragem e sabedoria!!! Muita luz pra você e que consigamos resistir ao pior vírus: o ódio.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Valdivino Rodrigues

    Meu apoio a todos que fazem historicamente da Fiocruz, ser uma referência em Saúde, a ciência precisa ser respeitada. Parabéns e toda nossa solidariedade a Dra. Nize Lima! O fascismo não pode sobreviver. Morte ao Fascismo, viva a ciência.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Carlos Silva

    Obrigado Dra Nisia Trindade Lima, pelas palavras diretas esclarecedoras e objetivas, que trás a todos nós uma tranquilidade por saber que a sua conducao á frente da FIOCRUZ é um desafio mas tambem, uma probabilidade devtermos á ciencia aliada ao combate da COVID 19.
    Nosso povo mais carente, por falta de estruturas que lhes sao amputadas pelos poderes politicos (E ai deveria se ter um olhar de Politica com P parafreseando sua citacao) sofrem ou sentem mais o impacto feroz dessa pandemia.
    Ha de passar e haveremos de ter um pais e um mundo, com um olhar mais humano. Acaso isso nao ocorra, ficará claro que nao tiramos dessa pandemia nenhuma lição humana.

    Desejo sucesso e felicidades acSenhora e a todo o nosso país, que recebe da OMS esse olhar para a cura do mundo inteiro.

    Carlos Silva Poeta e Mestre de culturas populares
    Aporá-BAHIA

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Maria Piedade Sarmento Mendes

    Parabéns, Dra. Nísia. Ter pessoas como você a frente de uma instituição tão importante no combate a pandemia nos deixa mais esperançosos.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Adriana

    Excelente entrevista! Parabéns Fiocruz! Parabéns Dra Nísia!

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Suzana Vargas

    Parabéns, Dra Nísia pelo trabalho desenvolvido, pela coragem da entrevista onde nos mostra o lugar da Ciência no mundo de hoje e a importância das Ciências Sociais como coadjuvantes no pleno desenvolvimento da primeira . E por apontar com objetividade as causas reais das nossas dificuldades!

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Suzana Vargas

    Parabéns, Dra Nísia pelo trabalho desenvolvido, pela coragem da entrevista onde nos mostra o lugar da Ciência no mundo de hoje e a importância das Ciências Sociais como coadjuvantes no pleno desenvolvimento da primeira . E por apontar com objetividade as causas reais das nossas dificuldades!

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Ana Lúcia da Silva

    A Leonor, me contemplou, nos orgulhamos de ser mulher, e da nossa competente Fiocruz! Estes canalhas que estão atacando, não nos representa

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Natividade Barbosa

    Parabéns FIOCRUZ e professora Doutora Nizia Trindade pelo brilhante contexto histórico da história da saúde pública no país. Estar a frente da Fiocriz, uma instituição tão respeitada no Brasil e no mundo é para nos orgulharmos. Desejo muita sabedoria nesse momento no combate a essa primeira pandemia do século XXI. Com o COVID, vimos a necessidade de mais investimentos na ciência e tecnoligia. Temos o maior sistema universal de saúde e estamos no topo com maior indicices de morte da America Latina pelo COVID. Então o que no resta é pensar em um SUS com investimentos focados em tecnologias e ciência. Com mais sensibilidade e menos politicagem.
    Não há economia forte sem investir na saúde da população.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Suzana Machado Padua

    Parabéns!!! Que orgulho sinto por ler essa entrevista com tanta base científica e humana! Sinto gratidão! O Instituto Oswaldo Cruz sempre foi especial, não só por ter se tornado referência, mas pelo seu início ousado, inovador e corajoso. Pessoalmente, nutro um carinho especial por ter um avô, Astrogildo Machado, que fez parte do grupo inicial, junto com Carlos Chagas e os demais expoentes da ciência brasileira! Parabéns e obrigada!!!

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Carlos Alberto Carlão de Oliveira

    Parabéns Dra. Nísia Trindade Lima. A verdade vencerá o obscurantismo.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Lucia Rodrigues de Pinho

    Parabéns, Dra.Nisia! Por sua lucidez, competência e clareza na exposição da existência das diferenças sociais que acabam por colocar o cidadão a margem da sociedade. E por sua luta pela Ciencia, tão desprezada e desconsiderada nos nossos dias.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Sandra Schechtman

    Parabéns aos bons cientistas da Fio Cruz e de todo o Brasil
    A maior riqueza de uma NAÇÃO é seu CAPITAL HUMANO!

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

    • Silvia Gerschman

      Parabéns, Dra. Nísia, pela sua excelente entrevista e pela sua atuação na gestão da Presidência da Fundação Oswaldo Cruz. Temos orgulho de uma cientista da sua expertise e do brilhante desempenho e coragem para enfrentar o Corona Virus. Que agora se completa com o hospital de campanha e pesquisa . Que a sua força, delicadeza e amor pelos mais necessitados permaneçam guiando a sua gestão e engrandecendo o papel da Fiocruz nesse momento tão triste do país.

      Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

    • Silvia Gerschman

      Parabéns, Dra. Nísia, pela sua excelente entrevista e pela sua atuação na gestão da Presidência da Fundação Oswaldo Cruz. Temos orgulho de uma cientista da sua expertise e do brilhante desempenho e coragem para enfrentar o Corona Virus. Que agora se completa com o hospital de campanha e pesquisa . Que a sua força, delicadeza e amor pelos mais necessitados permaneçam guiando a sua gestão e engrandecendo o papel da Fiocruz nesse momento tão triste do país.

      Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Sandra Schechtman

    Parabéns aos bons cientistas da Fio Cruz e de todo o Brasil
    A maior riqueza de uma NAÇÃO é seu CAPITAL HUMANO!

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Sandra Schechtman

    Parabéns aos bons cientistas da Fio Cruz e de todo o Brasil
    A maior riqueza de uma NAÇÃO é seu CAPITAL HUMANO!

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

    • Márcio Wanderley

      Parabéns Dra., Nísia pelo bom trabalho desempenhado no combate às doenças infecto- contagiosa e tb contra o novo coronavirus. A Fioocruz ela patrimônio da saúde pública das Américas e por quê não dizer tb da humanidade. Parabéns aos: cientistas, sanitarista, virologistas, infectologista, médicos, enfermeiros, técnicos da Fiocruz, e do Brasil. Todos têm o meu respeito e apoio.

      Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Lusmarina

    Parabéns a toda equipe. Foi de uma lisura e bom senso irreparáveis na entrevista. Lutemos pela ciência e pelo SUS.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Maria Cecília

    Que não se intimidem nesta exigente jornada. Gratidão!

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Julio Héctor

    Parabéns à Fio Cruz por ela ser dirigida e representada por uma Professional de valores éticos, sustentados no conhecimento e na equidade.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Wagner Vasconcelos

    A ciência é um universo vasto e multidisciplinar, cujas várias vertentes devem interagir em busca de soluções para os problemas da sociedade. Parabéns a Nísia por compreender isso tão bem e pela dedicação em colocar a Fiocruz a serviço da coletividade.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Tereza Cristina Favre

    Prezada Nísia, parabéns pela excelente entrevista e por expressar tão bem nosso sentimento e postura diante dessa pandemia.

    Reforçar a importância da liberdade e ética para produção do conhecimento científico, e defender o SUS e seu fortalecimento são fundamentais para que a sociedade entenda a relevância da Fiocruz no cenário de saúde pública.

    É primordial que a sociedade tenha clareza que a transmissão desta pandemia e de muitas outras doenças dependem não só dos agentes biológicos causadores, mas também dos determinantes sociais a elas associadas. Portanto, o controle da transmissão requer um olhar multidisciplinar e ações integradas.

    Como pesquisadora da Instituição me sinto muito orgulhosa do trabalho que está sendo desenvolvido por toda nossa equipe.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Helena Maria Martins Lastres

    Parabéns, Dra. Nisia, pela entrevista e por sua crucial e brilhante atuação na presidência da Fiocruz

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Fernando A. L.. Teixeira professor e Mestre em Psicologia Social.

    Parabéns Dra. NISIA TRINDADE… Saiba que milhares e milhões de cidadãos esclarecidos e iluminados através dos estudos Científicos e de bom senso … formam uma corrente em apoio à FIOCRUZ. Sim… todos estamos semelhantes a FIOsCRUZados… unidos aos seus ideais em defesa da CIÊNCIA. Os cães latem… mas a Caravana FIOCRUZ… passa ilesa … Vamos tentar esquecer essa insanidade palaciana… Nossa Democracia deve saber relevar os analfabetos políticos… DEUS está com você ANISIA. TRINDADE. Sim acredite a Santíssima TRINDADE está ao seu lado… encorajando-a, São Forças de Nosso Bom Pai a animá-la sempre. Fique sempre com Deus… O inspirador das CIÊNCIAS.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Celso José Monteiro Filho

    Parabéns. Dra Nisia. Atualmente, estamos enfrentando tantas destruições dos nossos patrimônios, tais como, a ciência brasileira, as florestas, as políticas públicas que estavam dando certo, etc., Leio sua brilhante entrevista como uma esperança.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Fabio Bernardo Bastos

    Viva a ciência! Viva a Fiocruz!

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Pedro

    Parabéns, Nisia! Com sabedoria, capacidade e posicionamento firme tem conseguido superar a capacidade
    da ciência brasileira e respeitada em outros países. Mais até que aqui no Brasil

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Júlio Albuquerque

    Parabéns Dra.Nisia!!Excelente entrevista. Salve a Ciencia, Salve a Fio Cruz!!!

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Ros Mari Zenha – IPT (São Paulo)

    Cara Dra. Nísia, tenha claro que todos nós, pesquisadores do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação do País, comprometidos com a ética e com o dever de auxiliar as políticas públicas na resposta aos desafios de uma sociedade tão desigual e injusta, estão ao seu lado e dos demais colegas da Fundação e Universidades envolvidos com esse trabalho competente e de extrema dedicação que orgulha, sem dúvida, a maior parte da população brasileira. Temos certeza que o obscurantismo não prevalecerá. Vamos trabalhar cotidianamente para que a ciência cumpra, cada vez mais, sua missão! Vamos em frente!! Vocês não estão sós!!

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Maria da,Conceição FREIRE

    PARABÉNS Dra. Nísia!
    O olhar feminino é sem dúvida comparado ao da,Águia, e, com esta sensibilidade que nos é peculiar criamos um campo de ação ímpar! Mulheres são sinônimos de superação de desafios e à senhora é prova disso!

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Régis Carvalho – Pesquisador do IPT – diretor SINTPq

    Prezada Dra. Nizia!
    Parabéns pela matéria e pelo compromisso com a ética e Pesquisa Científica.
    Os ataques que a Pesquisa e Ciência vem sofrendo ao longo desse desgoverno iniciados com os cortes nos financiamentos e nas bolsas dos mestrandos, doutorandos e iniciação refletem hoje os tristes números da Pandemia.
    Minha solidariedade às suas palavras e principalmente ao seu trabalho e de todas e todos os profissionais da FioCruz.
    Juntos somos mais fortes.
    Abraço.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Luci Mari Castro Leite Jorge

    Parabéns Companheira Dra. Nisia pelo lindo trabalho e resistência na pesquisa no Combate às doenças infecto contagiosas no Brasil, também pelo êxito de ser mulher na líderança em conduzir os trabalhos de pesquisa e dar uma direção a Fio Cruz em assitir demais instituições Públicas que precisam de pesquisa confiável e resultados que são garantidos pelos estudos de anos e convivendo num país de adversidades e políticas com ideologias muitas vezes arbitrárias que não cumprem com as liberações das verbas para que o trabalho continue e aconteça! Parabéns e força para Fio Cruz.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Felipe Silva

    Prabéns pelo excelente trabalho em prol da população! Somos muito gratos a tudo isso! Estaremos todos, institutos públicos e universidades, trabalhando pela defesa e crescimento da ciência brasileira!

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Gilson Roberto Barbosa da Fonseca

    Enquanto instituições sérias deste país estiverem sob o comando e a competência de pessoas como a dra. Nísia Trindade Lima, continuarei a acreditar em melhores dias para o Brasil e seu povo, ainda que vivamos tempos de trevas palacianas e de ignorância de parte dos que não conseguem enxergar o valor e o sentido humanista da pesquisa científica. Bela entrevista! Parabéns!!!

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Ana Laura Brandão

    Tenho muito orgulho de ser pesquisadora dessa instituição ! Admiro seu legado ! Parabenizo a gestão da Nisia !!!!

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • cleber machado

    Parabéns Doutora Nísia pelo excelente trabalho desenvolvido, pela sua competência, pela sua clareza na exposição da existência das diferenças sociais que acabam por colocar o cidadão a margem da sociedade, mas sobretudo, pela coragem da entrevista onde nos mostra o lugar da Ciência no mundo de hoje e a importância das Ciências Sociais

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Rosana Tonetti

    Parabéns, doutora, pelo seu trabalho, empenho, competência e dedicação neste momento tão delicado e singular que estamos atravessando com esta pandemia. Continue na sua conduta e sensatez. O Brasil precisa mais de mulheres como a senhora, que além de dar luz e voz à ciência, é humana e solidária com a dor que vivemos. Minha admiração.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Maria Tereza Pimenta

    Parabens doutora , pela sua coragem e eficiência. Estamos passando.momentos dificilimos em.nosso pais, gvbernados por um.inepto fascista que ainda por cima é ignorante. Obscurantismo é perigoso.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Edna Pereira

    Parabéns, Doutora. Apenas com a luz da ciência será possível enfrentarmos a escuridão da ignorância fascista.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Nelson Ricardo da Silva

    Parabéns nobre Dra.
    Receba nosso reconhecimento e apreço por seu magnífico trabalho.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Iára Cedraz

    Parabéns à Fiocruz, Centro de excelência em ciência, tecnologia e educação e a sua brilhante presidente, que mais uma vez se põe à frente no combate a uma pandemia, em defesa da ciência e da vida humana: orgulho de ser Fiocruz

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Menga Ludke

    Doutora. Nisia, obrigada por compartilhar conosco sua posição clara e firme à frente de uma instituição tão importante em um momento em que o país tanto necessita de exemplos que inspirem nossos jovens a buscarem seu papel pela formação e pelo trabalho, sendo a educação aliada fundamental para isso..

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Menga Ludke

    Doutora. Nisia, obrigada por compartilhar conosco sua posição clara e firme à frente de uma instituição tão importante em um momento em que o país tanto necessita de exemplos que inspirem nossos jovens a buscarem seu papel pela formação e pelo trabalho, sendo a educação aliada fundamental para isso..

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

    • Fernando Miguelote

      Só elogios , trabalho sério .

      Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • leila carvalho

    MUITO obrigada, dra. Nisia.. Parabéns..

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Robinson Vinicius Santos

    Muito obrigado Dra Nisia por seu empenho e dedicaçao integral ao combate do Covid-19, bem com por sua luta contra a desinformaçao e mediocridade nefasta que tenta trazer sombras para o nosso combalido pais. Muiito obrigado.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Léo Heller

    Prezada Nísia, Nesta entrevista, você se coloca na inteireza de sua visão de mundo, como mulher, como pesquisadora, como dirigente e como cidadã. O lugar da Fiocruz nesta pandemia não poderia ser outro que não o olhar científico sistêmico, que articula as ciências naturais e as ciências sociais, iluminando o olhar sobre seus impactos e as melhores estratégias de contenção. E que enquadra a pandemia a partir de um olhar para as desigualdades e para os direitos dos mais desfavorecidos. E que destaca a luta pela ética e por um SUS fortalecido. Parabéns!

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Leila Martins

    Muito obrigada pelo seu maravilhoso trabalho!

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Leila Martins

    Muito obrigada pelo seu maravilhoso trabalho!

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Priscila Castro

    Precisamos sempre de profissionais e instituições como vocês para seguirmos evoluindo.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Fernando Miguelote

    Só elogios , trabalho sério .

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • T. M,

    Obrigada pelo trabalho sério, honesto e pautado na ética e observância das questões científicas, sociais e humanísticas,

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Slavson Motta

    Parabéns pela entrevista, pelos esclarecimentos e pela visão clara da realidade brasileira nesse contexto de pandemia. A ciência é, logicamente, a melhor estratégia para o desenvolvimento em todas as áreas.
    Parabéns à Fiocruz, e seus pesquisadores, como Instituição centenária de qualidade a serviço do Brasil..

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Nilma Lacerda

    Trabalhei em projetos com Nísia Trindade Lima, quando estava no NUTES/ UFRJ como professora visitante, de 2003 a 2005. Íntegra, corajosa, lúcida. Me alimento em sua defesa da ciência e luta por igualdade neste país. Um ramo de gratidões, caríssima Nísia. Em nome do povo brasileiro.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Cláudia Fábio

    Doutora Nísia, parabéns pela entrevista e muito obrigada por sua dedicação total ao combate da pandemia. Nós mulheres não poderíamos estar melhor representadas. Gratidão.

    Publicado em 13 de Maio de 2020 Responder

  • Leila Almeida

    Gratidão e muita força!

    Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

    • Regina Dantas

      Obrigada, Nísia, por esclarecer tão bem a relevância da História e da Sociologia nas análises da Pandemia e ser um exemplo de mulher à frente da FIOCRUZ!

      Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

  • André Nacur

    Ode ao sonho de ERNESTO DE LA SENRA em libertar o homem de sua própria insençatez. Parabéns pelo orgulhoso cargo e pela nobre escolha em servir à sua parte dessa nossa particular humanidade. SALVE NIZIA!!!

    Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

  • Anônimo

    Nisia, parabéns pelo seu trabalho!!!
    Muita força na luta!

    Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

  • Profa. Dra. Francis Mary Guimarães Nogueira

    Nísia, tenha a minha solidariedade do GRUPO DE PESQUISA QUE FAÇO PARTE – EM POLÍTICAS SOCIAIS / UNIOESTE- CASCAVEL PARANÁ.
    ABAIXO TODOS OS FASCISTAS QUE TE ATACAM E ATACAM OS CIENTISTAS BRASILEIROS. SUA INTERVENÇÃO NA MARCHA PELA CIÊNCIA FOI CARREGADA DA POSIÇÃO DAQUELES QUE SABEM QUE SEM A CIÊNCIAS E OS CIENTISTAS NÃO CHEGAMOS A LUGAR NENHUM!

    MEUS PARABÉNS
    Profa. Dra. Francis Mary Guimarães Nogueira

    Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

  • Profa. Dra. Francis Mary Guimarães Nogueira

    Nísia, tenha a minha solidariedade do GRUPO DE PESQUISA QUE FAÇO PARTE – EM POLÍTICAS SOCIAIS / UNIOESTE- CASCAVEL PARANÁ.
    ABAIXO TODOS OS FASCISTAS QUE TE ATACAM E ATACAM OS CIENTISTAS BRASILEIROS. SUA INTERVENÇÃO NA MARCHA PELA CIÊNCIA FOI CARREGADA DA POSIÇÃO DAQUELES QUE SABEM QUE SEM A CIÊNCIAS E OS CIENTISTAS NÃO CHEGAMOS A LUGAR NENHUM!

    MEUS PARABÉNS
    Profa. Dra. Francis Mary Guimarães Nogueira

    Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

  • Vanessa Ferreira Lopes

    Parabéns Nísia! Me sinto representada como mulher e cientista! Força e coragem.

    Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

  • Kíssila Muzy

    Parabéns, Dra. Nísia! Sua lucidez, firmeza e compromisso com a saúde pública e com o povo brasileiro trazem segurança nesse período tão difícil.

    Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

  • Anônimo

    Parabéns, Dra. Nísia! Parabéns também a toda equipe da Fiocruz!!! A atuação de vocês, competente, corajosa, traz pra nós, a confiança, a segurança, de que enfrentaremos e superaremos esse momento difícil pela grave situação da saúde pública, mas também pela situação tão frágil da liberdade e ética que estamos enfrentando. Obrigada!!!

    Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

  • Regina Obata

    Parabéns, Dra. Nísia! Parabéns também a toda equipe da Fiocruz!!! A atuação de vocês, competente, corajosa, traz pra nós, a confiança, a segurança, de que enfrentaremos e superaremos esse momento difícil pela grave situação da saúde pública, mas também pela situação tão frágil da liberdade e ética que estamos enfrentando. Obrigada!!!

    Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

  • Encantada com a entrevista lúcida, clara, objetiva e articulada com elementos cruciais para entendermos essa crise sanitária.. Parabens pela sua competência e sua exitosa experiência de gestora, bem como seu bom senso e Ética.

    Enc

    Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

  • Ana Beatriz Mesquita

    Parabéns, Dr Nisia!!
    Mulher corajosa, competente e ética!!
    Saiba que não está sozinha!!!!
    Obrigada, pela sua dedicação a ciência e a humanidade!

    Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

  • Helena Bomeny

    Nisia é uma referência de dignidade, comprometimento e correção tanto na vida pessoal como profissional. Os que acompanhamos de perto sua trajetória somos testemunhas do exemplo que dá e do estímulo aos que estão lutando por uma sociedade mais terna e justa. Obrigada, Nisia!

    Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

  • Arnaldo Ferreira

    Muita lucidez. Precisamos de pessoas deste calibre como ministra da saúde, uma pessoa que tem a visão e profundo conhecimento de saúde pública do Brasil. O atual ministro pode ser um excelente médico, mas não tem os predicados para ocupar o cargo, nunca teve experiência em saúde pública.

    Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

  • Celina Boga

    Dra. Nísia.
    Para além de todo o reconhecimento do papel e do desempenho da Fiocruz ao longo de 120 anos temos, como sociedade, o dever de defender a instituição .
    A oportunidade de agora surge na eminência provocada pelo desrespeito e, quem sabe, pela ignorância e desconhecimento da importância da ciência para a vida humana. Contar com sua liderança nesse processo nos acalenta. Argumentar de forma embasada, sensível e democrática, como voce vem fazendo, nos traz ânimo e certeza que o bem público está acima de todo e qualquer interesse contrário a essa determinação.
    Somos SUS. Sempre.
    Obrigada

    Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

  • Myrian lima pereira nunes

    Dra Nísia, muito nos orgulha sua sensatez e competência, generosidade em se doar para projeto tão auspicioso quanto fundamental e de hiperdimensões.
    Gostaria que a saúde mental também fosse considerada nesta situação de pandemia. A imunidade do povo brasileiro, que vive hoje sob condições aberrantes de descaso e oportunismo de um governo genocida, está comprometida por dois vetores fundamentais para a teia da imunidade: a nutrição ( nossa população está obesa e sub ou desnutrida) e a saúde mental (nosso povo vive eletrocutado por tanta violência e mau estar social cotidiano). Como ter imudidade para sobreviver à pandemia!

    Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

  • Unai Tupinambas

    Parabéns Dra Nisia , Viva o SUS ! Viva as Instituições de Pesquisa! Viva a FIOCRUZ ! Viv as Universidades!

    Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

  • Nísia Silva

    Que entrevista esclarecedora. Dra. Nisia Trindade demonstra sua capacidade social e científica. Que sua gestão na FIOCRUZ, traga a cura dessa pandemia ou uma vacina que nos dê um pouco de segurança. O nosso País precisa de mulheres como você. Saúde para você e todos nós. Boas pesquisas.

    Publicado em 14 de Maio de 2020 Responder

  • Fá Almeida

    A importância da vida se vê nos seus atos e palavras.
    Muito obrigada!!!

    Tenha paciência e não nos deixe, Dra Nísia!

    Publicado em 15 de Maio de 2020 Responder

  • Irceu Pereira da Silva

    Parabéns Drª. Nízia, que esperança de uma sociedade melhor, justa e solidária, capaz, ética, com olhar para o social, de modo especial, para com os menos favorecidos.

    Publicado em 15 de Maio de 2020 Responder

  • Valéria Albuquerque

    Entrevista esclarecedora para toda população. Parabéns Dra. Nízia pelo belo trabalho, desenvolvido na Fiocruz. Ainda bem que não conseguiram acabar com o SUS, pois era uma das prioridades nesse início de 2019.
    Imagina como seria nesse momento de Pandemia ?? Num país de desigualdade social como é o Brasil …

    Publicado em 15 de Maio de 2020 Responder

  • Giane

    Parabéns pelo belo trabalho! Mais do que nunca precisamos valorizar a ciência e os profissionais sérios que se dedicam a ela!! 👏👏

    Publicado em 15 de Maio de 2020 Responder

  • Miriam Schenker

    Parabéns NÍsia pela sua competência na presidência dessa Instituição fundamental para todo o tipo de ciência que é a FIOCRUZ. Pela sua serenidade, ética, zelo na condução de um momento tão delicado para o planeta e, portanto, para o nosso país. Por tudo isso, só tenho a te agradecer.

    Publicado em 15 de Maio de 2020 Responder

  • Anônimo

    Parabéns á todos Vocês da FIOCRUZ , aos Pesquisadores e técnicos e á todos que estão Comprometidos por esta Causa? DEUS OS Abenc

    Publicado em 15 de Maio de 2020 Responder

  • Ana Dirino

    Nossa, tive que deixar meu comentário. Em momentos tão difíceis como esse é um respiro ler uma entrevista dessas com tanta lucidez e tão certeira. Obrigada Dra Nísia e a jornalista Valquíria. Toda força às mulheres cientistas nesse momento difícil.

    Publicado em 15 de Maio de 2020 Responder

  • Ana Silveira

    Parabéns ao belíssimo trabalho de pesquisa e direcionamentos da Fiocruz e da Dra. Nísia, cujas contribuições minimizam o caos que o Brasil enfrenta, com a pandemia que atinge todo o mundo e com um governo perdido, desequilibrado e irresponsável diante da situação sanitária do país.

    Publicado em 16 de Maio de 2020 Responder

  • Letícia Legay

    Parabéns Nísia, primeira mulher a dirigir uma instituição da importância científica da FIOCRUZ na área de Saúde Coletiva, cuja competência já admirava desde minha atuação no IESC/UFRJ em décadas passadas. Parabéns pelas palavras e pela atuação!

    Publicado em 16 de Maio de 2020 Responder

  • Leonardo

    Na resposta sobre “hospital de campanha” faltou alguma frase antes de Solidariedade.

    Publicado em 17 de Maio de 2020 Responder

  • Violeta Machado

    Parabéns Dra. Nísia, bom saber que podemos contar com sua capacidade e entrega total em benefício de todos os brasileiros. A sociedade lhe agradece.

    Publicado em 17 de Maio de 2020 Responder

  • JOSE CARLOS FERREIRA

    Parabéns Dra. Nisia não se deixe intimidar a Ciência vai suplantar sempre o achismo. Agradeço de todo coração a sua tenacidade no combate dessa doença mortal. Parabéns.

    Publicado em 18 de Maio de 2020 Responder

  • Maria Julia Alves de Lima

    Dra. NiSião, suas palavras, seu posicionamento fizeram reacender em mim, a esperança por um Brasil mais justo, s tantas desigualdades Onde todos tenham voz e vez.

    Publicado em 19 de Maio de 2020 Responder

  • Dorealice de Alcântara e Silva

    Dra. Nisia, a grandeza do seu caráter nos fortalece e estimula! Parabéns! Muito Obrigada!

    Publicado em 19 de Maio de 2020 Responder

  • ADILEA BARBOSA HORTA

    Excelente entrevista. Notável seu caráter e dedicação à instituição,à defesa da saúde pública e da ciência assina de tudo. Parabéns, Dra. Nisia e meu obrigado.

    Publicado em 19 de Maio de 2020 Responder

  • Francisco J. da Silveira Lobo Neto

    Orgulho-me de tê-la como Presidente. Sua entrevista é um elogio científico à Ciência e, ao mesmo tempo, um gesto de sentimento amoroso à vida. Uma lição inesquecível de ética humana.

    Publicado em 20 de Maio de 2020 Responder

  • Laura Jane Messias Belém

    Fiz um período de estágio no setor de Contabilidade da instituição, nos finais dos anos 80, período ainda, das grandes mudanças que o Brasil experimentava.. Aprendi muito com os os profissionais e servidores, além de gostar muito e respeitar esse espaço da e de Ciência. Um ambiente de muita unidade e de boas energias. Período que engravidei de meu filho, que hoje, está com 31 anos. Quanto crescimento e avanços, desde lá até hoje e, diante desse cenário da Pandemia, creio ser o único espaço que nos sinaliza a esperança. Parabéns por essa gestão primorosa.

    Publicado em 20 de Maio de 2020 Responder

  • Miriam debieux rosa

    Parabéns pelo ótimo trabalho! To do o nosso apoio.
    Miriam Debieux (Instituto de Psicologia da USP, Laboratório Psicananálise, sociedade e política

    Publicado em 20 de Maio de 2020 Responder

  • Ana Paula Silveira Braga

    A Fiocruz é nossa mais importante instituição científica
    Presto minha admiração e solidariedade aos cientistas e a todos os trabalhadores da instituição.
    Repúdio qualquer ataque aos profissionais que estão trabalhando para nós dar meios de combate à epidemia de covid19.

    Publicado em 21 de Maio de 2020 Responder

Envie um comentário