Por menos lixo nas águas da Guanabara

Jornalista ICH

A engenheira costeira Susana Vinzon explica como o projeto Orla Sem Lixo busca solução inovadora para livrar a baía da poluição por resíduos sólidos, com olhos voltados para o impacto social  

Um laboratório vivo dentro da Ilha do Fundão em busca de soluções para o lixo flutuante da Baía de Guanabara, o projeto Orla Sem Lixo vem, em seu pouco mais de um ano de atuação, movimentando estruturas, juntando pesquisadores de diferentes áreas e trazendo esperança de resolver um problema de décadas. “Estima-se algo em torno de 80 toneladas por dia de resíduos sólidos fluindo para a Baía de Guanabara”, aponta a coordenadora do projeto, Susana Beatriz Vinzon, professora do curso de Engenharia Costeira e Oceânica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Multidisciplinar, o Orla Sem Lixo parte da interceptação do lixo na água e vai até a reciclagem química, evitando levar resíduos a aterros sanitários, e envolve os pescadores da baía, população vulnerável que vem sofrendo com a poluição. Susana conta que a tecnologia pode ser escalada para qualquer baía, mas o projeto-piloto tem foco na Ilha do Fundão. “Sem o lixo, podemos ter uma área de lazer para a população do entorno, um espaço de convivência para a comunidade da universidade e uma fonte de renda para os pescadores”, prevê.  

CIÊNCIA HOJE: Como nasceu o projeto Orla Sem Lixo e qual seu principal objetivo?

SUSANA VINZON: A prefeitura da Cidade Universitária [Ilha do Fundão, no Rio de Janeiro] nos procurou um pouco antes da pandemia e começamos a olhar o assunto. A conversa vem de longe, mas nós, efetivamente, começamos a trabalhar em setembro de 2021. O Orla Sem Lixo busca uma solução para o lixo flutuante nos oceanos. Temos um fluxo contínuo de lixo, especialmente o plástico que não se degrada, no caminho para o oceano. Mais de 80% são de origem continental, ou seja, vêm da drenagem das águas das cidades. No caso do Rio de Janeiro, a Baía de Guanabara é o principal receptáculo de lixo via drenagem, especialmente dos municípios da Baixada Fluminense. É evidente que precisamos mudar os hábitos, melhorar a coleta do lixo, educar as pessoas para que descartem o lixo de forma adequada… Há uma série de ações a se tomar, porém nós temos uma questão urgente que é barrar o lixo nesse fluxo contínuo para os oceanos. Estima-se algo em torno de 80 toneladas por dia fluindo para a Baía de Guanabara.

Temos uma questão urgente que é barrar o lixo nesse fluxo contínuo para os oceanos. Estima-se algo em torno de 80 toneladas por dia fluindo para a Baía de Guanabara

O objetivo do projeto é construir uma solução sustentável para esse problema. E, quando a gente fala sustentável, é uma solução que tenha circularidade e que possa ser perenizada até que um dia nós paremos de jogar lixo nos mares. Mas, infelizmente, isso não está no horizonte. Mesmo com medidas severas para redução, ainda teremos muitos anos de despejo, de fluência de lixo para a Baía de Guanabara que, depois, segue seu curso para os oceanos. Hoje, temos aquelas grandes ilhas formadas por lixo concentrado no Pacífico e no Atlântico, mas aqui no Rio de Janeiro também, por vezes, a Praia de Copacabana e as praias da Baía de Guanabara estão cheias de lixo, assim como as praias lindas de Sepetiba e da baía de Ilha Grande…

CONTEÚDO EXCLUSIVO PARA ASSINANTES

Para acessar este ou outros conteúdos exclusivos por favor faça Login ou Assine a Ciência Hoje.

Seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros conteúdos desta edição

725_480 att-80500
725_480 att-80216
725_480 att-80517
725_480 att-80330
725_480 att-80632
725_480 att-80611
725_480 att-80577
614_256 att-80543
725_480 att-80473
725_480 att-80729
725_480 att-74188
725_480 att-80314
725_480 att-80689
725_480 att-80355
725_480 att-80241

Outros conteúdos nesta categoria

725_480 att-87661
725_480 att-87157
725_480 att-86817
725_480 att-86074
725_480 att-85453
614_256 att-85187
725_480 att-84683
725_480 att-84441
725_480 att-83943
725_480 att-83339
725_480 att-83108
614_256 att-82607
725_480 att-82269
725_480 att-81702
725_480 att-81266