Por que inventamos histórias?

Além de nos levar para diferentes lugares, a literatura nos permite experimentar outras vidas e, dessa forma, criar vínculos com o outro.

 

Tudo que está vivo hoje no mundo um dia vai morrer, mas nós, seres humanos, somos os únicos habitantes da Terra que passamos quase toda a existência preocupados com isso. Inventamos mil maneiras de enganar a morte. Contar histórias – assim como descobrir a cura de uma doença, inventar vacinas e realizar transplantes (guardadas as devidas proporções) – é uma delas

Georgina Martins

Programa de Mestrado Profissional em Letras (Profletras)
Curso de Especialização em Literatura Infantil e Juvenil, Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Escritora de livros para crianças e jovens

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

CONTEÚDO RELACIONADO

Leite materno, fígado e sistema imune: relação íntima

Interromper a amamentação pode prejudicar uma função pouco conhecida do fígado de bebês e torná-los mais suscetíveis a doenças medicamentosas ao longo da vida

Mary Anning, a caçadora de fósseis

Paleontóloga inglesa foi pouco considerada por seus pares, apesar de acumular em seu currículo um grande número de achados jurássicos e da importância de suas descobertas para a ciência.