Corrida de orientação: uma estratégia pedagógica

Modalidade esportiva em que o atleta corre com mapa e bússola nas mãos pode trazer resultados positivos nas aulas de geografia e em outras disciplinas

Mapa, bússola e um terreno: elementos para o esporte orientação CRÉDITO: FOTO DIAS & MORENO, 2019

Um aluno, uma bússola, um mapa e muita corrida. Pode parecer inusitado, mas uma modalidade esportiva chamada esporte orientação pode ser uma estratégia pedagógica para o ensino básico – e não estamos falando apenas das aulas de educação física. Essa modalidade vai além de uma prática corporal, pois permite a contextualização de conceitos de diferentes componentes curriculares. Em geografia, podem-se trabalhar os elementos cartográficos e os tipos de mapas; em matemática, as relações do conceito de escala; em português, explorar os textos em título, legenda e toponímias (nomes próprios dos lugares) presentes no mapa, que contribuem para a comunicação cartográfica. Para completar, pode ser trabalhada a educação ambiental, que, de acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), é um tema especial a ser tratado de forma interdisciplinar.

Mas, afinal, o que é esse esporte nem tão conhecido da maioria? A corrida de orientação, como também é chamado, chegou ao Brasil na década de 1970 e passou a ser mais popular na área da educação física a partir de 1974, quando a Escola de Educação Física do Exército a incluiu em seu currículo. Como modalidade esportiva, surgiu na Suécia, no início do século 20, em uma tentativa de incentivar jovens a praticarem atletismo. 

O objetivo da corrida de orientação é passar por pontos de controle em um terreno desconhecido, no menor tempo possível, com auxílio apenas de um mapa e uma bússola. A leitura do mapa é essencial para os participantes, pois nele estão presentes as simbologias que revelam as melhores rotas e obstáculos no caminho. Logo, não basta ser ágil na corrida, é preciso utilizar o raciocínio geográfico para interpretar o mapa e tomar as melhores decisões de percurso.

 

 

Fundamentos do esporte orientação

   
O mapa

Precisa trazer informações claras, que indiquem aos atletas o que encontrarão no terreno. Não deve estar poluído, com informações em excesso. Inicialmente, não havia padronização dos mapas, utilizavam-se mapas turísticos ou topográficos para a prática, mas atualmente existem especificações oficiais e simbologia internacional (figura 1).

Figura 1. Mapa Sueco de 1938 e um mapa moderno, produzido por um atleta do Clube de Orientação da UFRJ
(COUFRJ FONTE: HTTPS://COUFRJ.WIXSITE.COM/COUFRJ/COUFRJ-E-A-ORIENTA–O
A bússola

A bússola, um antigo instrumento de navegação criado pelos chineses para indicar o norte magnético da Terra, apresenta algumas adaptações para o esporte. Nas corridas de orientação, usa-se a bússola de polegar ou de dedo, que permite mais estabilidade aos atletas em movimento e traz marcações que auxiliam na orientação (figura 2).

Figura 2. Bússola de orientação
O percurso

O percurso é representado no mapa em escala grande de acordo com as simbologias oficiais. Como o atleta não deve conhecer o terreno antes da atividade, sua leitura e interpretação serão fundamentais. Assim, é essencial que o participante estude a simbologia para interpretação do mapa.

 

Orientação e geografia

A geografia pode ser entendida como a ciência que estuda as relações entre os processos de formação das sociedades humanas e o funcionamento da natureza, por meio da leitura do espaço geográfico. Para fazer a leitura do mundo em que vivem, do espaço geográfico, com base nas aprendizagens em geografia, os alunos precisam ser estimulados a pensar espacialmente, desenvolvendo o raciocínio geográfico. 

De acordo com a BNCC, a grande contribuição da geografia para os alunos da educação básica é desenvolver o pensamento espacial e estimular o raciocínio geográfico para interpretar e representar o mundo.

Dentre os princípios do raciocínio geográfico, destacam-se a localização e a orientação, que podem ser consideradas como ponto de partida para a leitura do espaço geográfico. Assim, é fundamental que sejam utilizadas ferramentas pedagógicas atrativas para se trabalhar tais conceitos cartográficos nas aulas de geografia. É aí que pode entrar a corrida de orientação.

 

O esporte orientação na escola

Saber orientar-se é uma necessidade humana. Nos últimos anos, os instrumentos de orientação e locomoção têm se tornado cada vez mais avançados em virtude da tecnologia. Mas será que os estudantes de hoje entendem o que está por trás dos aplicativos de celular usados em nosso cotidiano?

Praticar a orientação utilizando um mapa pode ser um potencial conteúdo educativo a ser desenvolvido no espaço escolar.

Nas aulas de geografia, o exercício de localização e orientação pode começar no espaço mais comum, que é a sala de aula, e, à medida que os alunos ganhem maturidade, pode-se explorar os espaços externos, como pátio e quadra da escola. Os estudantes poderão treinar a leitura e a interpretação de mapas em um espaço conhecido e, assim, estarão desenvolvendo o raciocínio geográfico. A próxima etapa seria a prática ao ar livre em um terreno desconhecido, para que se ponham à prova todos os conceitos e conteúdos trabalhados na escola (figura 3).

Figura 3. Atividade de orientação realizada pelo Colégio Cruzeiro, no Rio de Janeiro CRÉDITO: FOTOS GUILHERME PORTO; FONTE:
HTTPS://COUFRJ.WIXSITE.COM/COUFRJ/COUFRJ-E-A-ORIENTA–O

Essa estratégia pedagógica pode ser aplicada para integrar a geografia, a educação física e outras componentes curriculares. Além disso, com ela é possível trabalhar as competências socioemocionais por meio do autoconhecimento, autocontrole, consciência social e tomada de decisão.

Isabela Habib Canaan da Silva
Departamento de Geografia,
Faculdade de Formação de Professores,
Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

Brasil. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

Dias, J; Moreno, S. Introdução do esporte e leitura de mapas de orientação. 2019, Volume I, 2ª Revisão, Formato Digital.

Silva, MC. Cartilha pedagógica: Esporte orientação, diversificando o currículo da educação física escolar. Rio de Janeiro, 2019.

Silva, MC. Esporte orientação: o ato de se orientar no espaço escolar. Temas em Educação Física Escolar, Rio de Janeiro, v. 4, n. 2, ago./dez. 2019, p. 77-93.

Matéria publicada em 12.08.2021

COMENTÁRIOS

Envie um comentário