Mary Anning, a caçadora de fósseis

Paleontóloga inglesa foi pouco considerada por seus pares, apesar de acumular em seu currículo um grande número de achados jurássicos e da importância de suas descobertas para a ciência

Retrato de Mary Anning com seu cão Tray. Museu de História Natural de Londres, Reino Unido.

Mary Anning nasceu em 1799 em Lyme Regis, cidade situada em uma região no sul da Inglaterra, tombada como patrimônio mundial da humanidade por suas falésias, que contêm formações rochosas dos períodos Jurássico e Cretáceo (entre 204 a 65 milhões de anos) e expõem milhões de anos da história da Terra. Essa rica costa era o quintal de Mary, filha de um carpinteiro que colecionava e vendia ‘curiosidades’ encontradas nas praias locais.  Foi com ele que Mary e seu irmão aprenderam a reconhecer e retirar, cuidadosamente, das rochas fósseis de todos os tipos.  Após a morte do pai, sua família passou a depender da ajuda paroquial e o pequeno orçamento era complementado com a comercialização de fósseis – em sua maioria, amonitas e belemnitas (cefalópodos extintos).

Ana Lucia Giannini

Departamentode Genética,
Instituto de Biologia,
Universidade Federal do Rio de Janeiro

CONTEÚDO EXCLUSIVO PARA ASSINANTES

Para acessar este ou outros conteúdos exclusivos por favor faça Login ou Assine a Ciência Hoje.

Seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros conteúdos desta edição

614_256 att-32975
614_256 att-32973
614_256 att-27650
614_256 att-32837
614_256 att-32701
614_256 att-32696
614_256 att-32684
614_256 att-32634
614_256 att-32627
614_256 att-32604
614_256 att-32558
614_256 att-32535
614_256 att-32521
614_256 att-32393
614_256 att-32308

Outros conteúdos nesta categoria

614_256 att-79434
725_480 att-78705
725_480 att-78239
725_480 att-77232
725_480 att-75781
614_256 att-74161
614_256 att-70595
614_256 att-74252
614_256 att-73484
614_256 att-72764
614_256 att-72108
614_256 att-71023
614_256 att-61579
614_256 att-59382
614_256 att-56275