O misterioso passar do tempo

Quando estamos nos divertindo, o tempo parece voar. Quando fazemos algo que nos aborrece, essa entidade misteriosa nos dá a impressão de quase congelar seu fluxo. Afinal, o que é o tempo? Existe um só tempo? Mais: o tempo existe?

O distanciamento social que estamos vivendo neste momento por causa da crise pandêmica da covid-19 afetou profundamente nosso modo de viver. Alteraram-se relações familiares e sociais, intensificaram-se (ainda mais) conexões virtuais.

Ficaram mais comuns lives e reuniões virtuais em que pessoas distantes fisicamente podem conversar e discutir. Particularmente, tenho passado por uma maratona de reuniões desse tipo, que me dão sempre a sensação de que me desloco só no tempo e não mais no espaço – afinal, elas me obrigam a ficar sentado na frente do computador na minha casa.

O conceito de tempo é complexo, fascinante e não pode ser definido de maneira única. Pode ser discutido a partir de abordagens distintas, no âmbito de diversas disciplinas, como filosofia, sociologia, biologia, história, psicologia e, em particular, física. Nesta última, tem enorme relevância, pois é a base para teorias importantes.

Adilson de Oliveira

Departamento de Física,
Universidade Federal de São Carlos (SP)

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

Open chat