Aliados na avaliação da contaminação ambiental

Técnica de radiocarbono aplicada a algas marinhas vem sendo usada com sucesso para identificar contaminação por combustíveis fósseis. Método pode ser útil em casos de derramamentos de petróleo, com grande impacto ecológico.

Ao longo dos últimos anos, micro e macroalgas vêm sendo bastante utilizadas como biorremediadores ambientais (reduzindo ou removendo naturalmente poluentes), dada a sua elevada capacidade de absorção de contaminantes e reciclagem de nutrientes. A biorremediação atua de modo a acelerar o destino natural dos poluentes que podem causar grande impacto ecológico. É o caso de materiais de origem fóssil, como óleo bruto e outros subprodutos do petróleo.

O radiocarbono (14C) é um átomo radioativo produzido nas camadas superiores da atmosfera pela interação de raios cósmicos (partículas altamente energéticas) com átomos de nitrogênio (14N). Após ser formado, o 14C é absorvido pelas plantas durante a fotossíntese e assim é incorporado aos organismos vivos por meio da cadeia alimentar.

Carla Carvalho

Departamento de Geoquímica,
Universidade Federal Fluminense

Bruno Libardoni

Departamento de Ciência e Inovação,
Infinito Mare

Pesquisa realizada com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio de Janeiro (Faperj) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

Open chat