Um passado que não passa

Em nome dos pais, série inspirada em livro homônimo do jornalista Matheus Leitão, convida à reflexão sobre o passado autoritário do Brasil e as marcas de dor deixadas em diversas famílias

A história da militância política dos jornalistas Miriam Leitão e Marcelo Netto durante a ditadura civil-militar no Brasil (1964-1985) é o ponto de partida da série Em nome dos pais, inspirada em livro homônimo, publicado pela Editora Intrínseca em 2017. O autor é o filho mais novo do casal, o jornalista Matheus Leitão. Os quatro episódios que compõem a série têm roteiros independentes e resultam das filmagens realizadas enquanto Matheus fazia a pesquisa para a escrita do seu livro, trabalho que durou 13 anos.

Marcado por tensões, o primeiro episódio aborda de quando Miriam e Marcelo se conheceram até a prisão de ambos, em consequência da delação do ex-militante Foedes dos Santos. Arredio a entrevistas, Fodes recebe Matheus. Esse encontro de emoções em alta delineia a história das quedas após os testemunhos dos companheiros, muitas vezes feitos sob intensa tortura – tema sensível na história da ditadura de todos os países que por isso também passaram. As suspeitas, as mágoas, os ressentimentos e a compreensão das ações mexem com antigos militantes e seus descendentes.

Samantha Viz Quadrat

Instituto de História,
Universidade Federal Fluminense

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje