Pequenas perguntas, grandes questões

Confira respostas de especialistas.

A busca pelo equilíbrio nas crises

A física pode nos dar uma visão peculiar de uma pandemia. Esta seria resultado de um sistema que saiu de seu equilíbrio. No caso, gerando um vírus que sofreu mutações e passou a ser transmitido para (e entre) humanos.

Como achatar a curva

A matemática em um modelo simplificado nos ajuda a entender o que é o ‘achatamento da curva’ – termo usado por epidemiologistas – para mitigar os efeitos da pandemia da covid-19.

Equidade, o remédio contra o impacto do coronavírus na economia

Marcelo Neri, economista, diretor da FGV Social, defende que o governo socorra primeiro e com mais recursos os mais pobres para vencer a crise que vai se instalar no país com a pandemia de covid-19.

Aliados na avaliação da contaminação ambiental

Técnica de radiocarbono aplicada a algas marinhas vem sendo usada com sucesso para identificar contaminação por combustíveis fósseis. Método pode ser útil em casos de derramamentos de petróleo, com grande impacto ecológico.

Bioeletroquímica: Faces e interfaces de uma ciência interdisciplinar

Em época de pandemias, como a que vivemos neste momento, uma ciência recente, interdisciplinar, tem muito com que contribuir não só para a área de saúde, mas também para a indústria, o meio ambiente e a agricultura. Vamos falar de bioeletroquímica?

Preparados para o desconhecido?

Governos e comunidade científica devem estar prontos para buscar respostas rápidas e eficazes para enfrentar novos vírus, bactérias, fungos ou parasitas, o que exige investimento prévio e continuado em pesquisa.

Feitiçarias e intolerância religiosa no Brasil colonial

Documentos do Tribunal do Santo Ofício da Inquisição de Portugal revelam a perseguição a africanos, afrodescendentes, indígenas e mestiços por práticas e crenças mágico-religiosas que faziam parte de seu cotidiano no território brasileiro.

Tecnologia a serviço do envelhecimento

Gerontecnologia busca ferramentas para melhorar condições de saúde e interação de idosos de modo a desacelerar processo natural de desgaste físico e mental do organismo.

Morcegos e vírus mortais

Com raras exceções, as supostas conexões entre morcegos, vírus e doenças em humanos estão baseadas mais em especulação do que em evidências. Por outro lado, é de chamar atenção a história de alguns surtos de doenças relacionadas a morcegos e a análise do sistema imunológico desses animais, que parecem explicar por que eles são potenciais hospedeiros de uma grande diversidade de vírus sem, aparentemente, desenvolver as doenças causadas por eles.

John Snow e o novo coronavírus

A análise espacial realizada pelo médico John Snow, no século 19, teve um grande impacto na história da saúde pública e da geografia.

Pequena e antiga polinizadora

A descoberta de uma abelha de 3 mm em um pedaço de âmbar do Cretáceo em Mianmar revela o mais antigo inseto polinizador conhecido até o momento. No corpo do espécime havia parasitas, uma ocorrência muito rara no registro paleontológico.

Transgênicos, um prato cheio para aulas de biologia no ensino médio

Reflexões a partir do diálogo entre um professor do ensino médio e uma especialista em bioquímica e biotecnologia.

O que John Snow sabia

Considerado o pai da epidemiologia moderna, o médico britânico descobriu, em meados do século 19, como e por que aumentavam os casos de cólera em Londres, derrubando a teoria miasmática aceita até então.

As bruxas do passado e do presente

Hoje vistas como símbolo de maldade e representadas por imagens assustadoras, essas mulheres já foram consideradas guardiãs da vida e da morte, com papel essencial nas comunidades camponesas europeias da Idade Média.

Ser cientista, uma construção

Depois de participar de um programa de iniciação científica liderado por uma mulher, uma madre, a bióloga Lucia Mendonça Previato teve certeza de que a ciência era seu objetivo. Agraciada com diversos prêmios nacionais e internacionais, ela compartilha a sua história.

Um passado que não passa

'Em nome dos pais', série inspirada em livro homônimo do jornalista Matheus Leitão, convida à reflexão sobre o passado autoritário do Brasil e as marcas de dor deixadas em diversas famílias.

A química em jogo

Atividades lúdicas podem se tornar alternativas didáticas eficientes e divertidas para o ensino da disciplina.

Literatura, medo e utopia

No que se refere às representações simbólicas do medo, os artistas, desde sempre, se dedicaram a produzir narrativas que tanto flertam com o terror, com o pânico, quanto com as utopias.

Na Estante

Livro traz relatos de personagens históricos que vivenciaram de perto a queda da Monarquia no Brasil e apresenta percepções, sentimentos e preocupações da elite monárquica brasileira sobre esse período.

Open chat