Literatura como denúncia

Uma análise de como as obras Oliver Twist e Capitães da Areia dialogam entre si e com os tempos atuais

Dentre as inúmeras conceituações do que é literatura, ainda perdura a crença de que ela não pode e não precisa ser definida. Concepção que acaba por elevá-la a um patamar superior, quase metafísico, como uma manifestação da ideia misteriosa de beleza. Justamente por não partilhar dessa crença é que analiso duas obras clássicas da literatura que, muito embora produzidas em espaços geográficos e tempos diversos, dialogam não só entre si, como também com os tempos atuais. São elas: Oliver Twist, do inglês Charles Dickens (1812-1870) e Capitães da Areia, do baiano Jorge Amado (1912-2001).

Georgina Martins

Programa de Mestrado Profissional em Letras (Profletras)
Curso de Especialização em Literatura Infantil e Juvenil, Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Escritora de livros para crianças e jovens

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

Open chat