Literatura e simpatias

Quem sabe trazendo à baila os primeiros registros das curas miraculosas que remontam ao Império Romano consegue-se elaborar reflexões para compreender o imaginário negacionista dos dias atuais?

Se em pleno século 21, depois de tudo que já foi publicado pela ciência sobre o novo coronavírus, ainda há os que insistem em acreditar na eficácia do ‘kit covid’ para prevenir ou curar a doença, por que não dar um crédito aos tratamentos maravilhosos recolhidos pelo naturalista do século 3, Gayo Plínio Secundo?

Georgina Martins
Curso de Especialização em Literatura Infantil e Juvenil, Faculdade de Letras
Universidade Federal do Rio de Janeiro

Escritora de livros para crianças e jovens

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje