Instituto de Microbiologia Paulo de Góes
Universidade Federal do Rio de Janeiro

Cientista que descobriu vacina contra a poliomielite e foi considerada pioneira da biologia molecular morreu sem receber um único prêmio importante

Poucas pessoas sabem sobre o dia a dia de cientistas em um laboratório que pesquisa vacinas contra doenças infecciosas. Para chegar ao produto final, o tão almejado imunizante, precisam manusear o microrganismo causador da doença. Dentre outras coisas, inocular esses microrganismos em meios de cultivo, pipetar, centrifugar e testar em culturas de células. Qualquer descuido pode levar à produção de aerossóis ou respingos letais! Não é uma tarefa confortável, mas foi exatamente nessa a jornada que a cientista alemã Marguerite Vogt (1913-2007) embarcou, trabalhando com um vírus potencialmente perigoso, o da poliomielite, doença que causa paralisia e pode levar à morte, sobretudo em crianças.

Leandro Lobo
Instituto de Microbiologia Paulo de Góes
Universidade Federal do Rio de Janeiro 

CONTEÚDO EXCLUSIVO PARA ASSINANTES

Para acessar este ou outros conteúdos exclusivos por favor faça Login ou Assine a Ciência Hoje.

Seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros conteúdos desta edição

614_256 att-71099
614_256 att-70958
614_256 att-71112
614_256 att-71188
614_256 att-71215
614_256 att-71012
614_256 att-73631
614_256 att-71439
614_256 att-70981
614_256 att-27650
614_256 att-71468
614_256 att-71228
614_256 att-71095
614_256 att-71222
614_256 att-71418

Outros conteúdos nesta categoria

725_480 att-79821
614_256 att-79434
725_480 att-78705
725_480 att-78239
725_480 att-77232
725_480 att-75781
614_256 att-74161
614_256 att-70595
614_256 att-74252
614_256 att-73484
614_256 att-72764
614_256 att-72108
614_256 att-61579
614_256 att-59382
614_256 att-56275