Um guia para usar sambas-enredo nas aulas de história

Dissertação premiada ensina como usar composições das escolas de samba para estimular a produção de conhecimento e o pensamento crítico entre alunos do ensino básico

CRÉDITO: FOTO PIXABAY_PAT SCRAP

Professores buscam, pelo menos desde a década de 1980, formas diversificadas de ensinar história na educação básica. Um grande avanço nessa direção, e também, para a formação continuada e qualificada dos docentes, foi a criação do Mestrado Profissional em Ensino de História, o ProfHistória, em 2014. Nesta primeira turma, desenvolvi o Guia de professores para o uso de sambas-enredo no ensino de história. O trabalho contribui para o docente desenvolver, em conjunto com seus alunos, um percurso metodológico que utiliza as composições das escolas de samba, combinadas a outras fontes históricas, a fim de estimular a produção do conhecimento e o desenvolvimento do pensamento crítico.

 

Por que sambas-enredo? 

Sempre admirei sambas-enredo, e já havia realizado pequenas experiências com o tema em sala de aula. Além disso, sou ritmista da bateria da escola de samba Os protegidos da princesa, em Florianópolis (SC), e, portanto, havia uma perspectiva pessoal. Mas, principalmente, a escolha também se pautou pelas características que essas composições apresentam. Sambas-enredo são produções narrativas que compõem o universo complexo das escolas de sambas de diferentes locais do Brasil. Buscam representar a história que a agremiação decide contar em seu desfile na avenida, em forma de canção.


Os sambas-enredo são, também, linguagens narrativas compostas por diferentes textos que os tornam singulares em suas apresentações.

Os sambas-enredo são, também, linguagens narrativas compostas por diferentes textos que os tornam singulares em suas apresentações. São compostos a partir do enredo desenvolvido pela escola de samba para o desfile carnavalesco e, também, agregam pesquisas realizadas pelos compositores e trechos que exaltam as identidades das próprias escolas.  

Boa parte dos sambas-enredos retratam narrativas históricas desenvolvidas pelas próprias escolas de samba, sem a pretensão de ser fiéis à verdade, mas que, por vezes, dialogam com pesquisas científicas. Mesmo quando não o fazem, contribuem para a formação de nossa memória histórica, de forma direta ou indireta. 

 

Qual a finalidade do guia?

O guia busca orientar os professores no uso dessa metodologia, tem o objetivo de orientar alguém para fazer algo de maneira mais autônoma, não determinista. A intenção é abrir possibilidades de uso a partir dos exemplos de sambas-enredo e atividades propostas, inspirando os docentes a reutilizar, recriar ou criar novas propostas a partir do conteúdo.

Os sambas incluídos no guia foram escolhidos a partir dos objetivos traçados para o desenvolvimento das atividades com os estudantes – retratar temas ou processos históricos; desenvolver a história local e/ou de Santa Catarina; aproximar os alunos das experiências culturais de seus territórios.


A intenção é abrir possibilidades de uso a partir dos exemplos de sambas-enredo e atividades propostas, inspirando os docentes a reutilizar, recriar ou criar novas propostas

Assim, foram escolhidos dois sambas-enredo, ambos de 2012, e de escolas de samba da cidade de Florianópolis, local de minha atuação como professora.
O primeiro samba selecionado, da escola Os Protegidos da Princesa, foi o Contestado, 100 anos da insurreição xucra, que retrata a Guerra do Contestado, ocorrida em Santa Catarina entre os anos de 1912 e 1916. A segunda composição escolhida, da escola Embaixada Copa Lord, foi O ponto é chic, a Felipe Schmidt é charme, Floripa é show, que retrata a história desta famosa rua da cidade.

 

E que o professor vai encontrar?

Ao abrir o guia, os professores encontram três eixos distintos. Cada um deles corresponde a uma perspectiva de análise dos sambas-enredo e, juntos, compõem o processo completo de análise de uma fonte histórica musical. Assim, o docente pode organizar suas ações para desenvolver nos estudantes habilidades cognitivas e procedimentais a partir da leitura, da escrita, da pesquisa e, também, por meio da capacidade de relacionar e produzir narrativas.
O eixo I, ‘Analisando Fontes Musicais – Apresentação dos sambas-enredo’, compreende um primeiro momento de aproximação entre os estudantes e a linguagem musical apresentada pelo samba-enredo. O eixo II, ‘Conhecendo o Lugar Social da Construção dos sambas’, analisa a relação entre os agentes produtores do samba-enredo (as escolas de samba e os compositores) e seu lugar social dentro da sociedade na qual estão inseridos. E o eixo III, ‘Os usos do passado – As versões históricas contadas através dos sambas-enredo’, aborda as versões históricas criadas pelos sambas-enredo acerca do passado que essas composições mobilizam.

Dentro dos eixos, são apresentadas duas atividades em que a análise de fontes históricas é o fio condutor para o desenvolvimento do pensamento histórico-crítico perante diferentes situações sociais, fazendo os estudantes perceberem-se como sujeitos históricos, que integram, dependem e transformam o ambiente social em que convivem. As atividades propõem formas de os alunos produzirem conhecimentos históricos, expressando e comunicando suas ideias a partir de diferentes linguagens – verbal, musical, gráfica, plástica, corporal etc.

Para completar esse percurso de análise histórica, o guia inclui todas as fontes históricas (sonoras, iconográficas, escritas, orais e historiográficas) necessárias para o desenvolvimento da metodologia. As fontes, por sua vez, são acompanhadas de fichas que auxiliam no processo de análise. Há ainda um ‘Diário de experimentações’, para que os estudantes registrem todas as atividades desenvolvidas.

 

Os sambas-enredo em sala de aula


Os sambas-enredo são uma linguagem tão rica que oferecem uma gama de possibilidades de uso desde a educação infantil até o ensino médio

Os sambas-enredo são uma linguagem tão rica que oferecem uma gama de possibilidades de uso desde a educação infantil até o ensino médio. Com os pequenos, pode-se explorar a sonoridade, construindo instrumentos musicais e trabalhando a expressão sonoro-corporal. À medida que se avança nas séries, pode-se aumentar a complexidade do trabalho, usando as linguagens corporal, escrita,

musical e matemática, a diversidade cultural etc. Há ainda o grande potencial de uso interdisciplinar que o material oferece ao propor atividades conjuntas entre as disciplinas de história, língua portuguesa e artes, podendo ser ampliado a outras disciplinas.

Os sambas-enredo podem e devem ser trabalhados, não só nas aulas de história, mas em qualquer outra que se desejar. Assim, esse guia pode contribuir para inspirar os colegas a adaptar ou desenvolver novas formas de uso dessas composições em sala de aula.

Fabiolla Falconi Vieira
Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina (SED/SC)
ProfHistória/UFSC
Orientador: Nestor Manoel Habkost / Co-orientadora: Monica Martins da SIlva

*Este artigo é resultante de tese premiada no Mestrado Profissional em Ensino de História (ProfHistória)

Matéria publicada em 16.09.2021

COMENTÁRIOS

Envie um comentário