A literatura no hospício

Curso de Especialização em Literatura Infantil e Juvenil
Faculdade de Letras
Universidade Federal do Rio de Janeiro
Escritora de livros para crianças

Enquanto esteve recolhido compulsoriamente para tratamento psiquiátrico, Lima Barreto escreveu duas obras pungentes sobre o protocolo médico dispensado aos ditos loucos, no começo do século 20

Um dos mais icônicos escritores da nossa literatura brasileira, Afonso Henriques de Lima Barreto, autor de O triste fim de Policarpo Quaresma, entre muitas outras obras de expressão, passou certo período de sua vida entre idas e vindas de internações psiquiátricas.

A primeira se deu em agosto de 1914. Recolhido pela polícia, como era de praxe na época, por conta do seu vício em álcool, Lima Barreto foi levado ao Hospital Nacional dos Alienados, no bairro da Urca, onde hoje se localiza a Universidade Federal do Rio de Janeiro. Durante os quase dois meses em que passou sob observação, começou a escrever seus mais pungentes testemunhos do tratamento dado à loucura: Diário do hospício e Cemitério dos vivos. Naquele começo do século 20, as teses sobre hereditariedade e eugenia embasavam o protocolo destinado aos loucos.

CONTEÚDO EXCLUSIVO PARA ASSINANTES

Para acessar este ou outros conteúdos exclusivos por favor faça Login ou Assine a Ciência Hoje.

Seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros conteúdos desta edição

725_480 att-78503
725_480 att-78349
725_480 att-78228
725_480 att-78208
725_480 att-78192
725_480 att-78176
725_480 att-78239
725_480 att-78383
725_480 att-78250
725_480 att-78477
725_480 att-78389
725_480 att-74188
725_480 att-78438
725_480 att-78444
725_480 att-78335

Outros conteúdos nesta categoria

725_480 att-79333
725_480 att-78817
725_480 att-77795
725_480 att-76481
614_256 att-66241
614_256 att-74312
614_256 att-73430
614_256 att-73106
614_256 att-72333
614_256 att-72017
614_256 att-71095
614_256 att-70670
614_256 att-57088
614_256 att-56106
614_256 att-55919