Mangues: aliados contra as mudanças climáticas

As áreas de mangue estão encolhendo em todo o planeta, em decorrência de atividades econômicas predatórias. Mas o ecossistema costeiro é essencial no combate às mudanças climáticas. Os manguezais têm mais capacidade de armazenar carbono no solo e também fazer o sequestro desses gases da atmosfera dos que as florestas terrestres. Apesar disso, sua importância não é reconhecida em políticas de pagamento por serviços ambientais, ou seja, donos de terra e países em desenvolvimento não são recompensados por preservarem esses ambientes. Caso isso aconteça, proteger esse ecossistema vai ser muito mais lucrativo do que explorá-lo economicamente.

Pouco conhecido, o chamado carbono azul tem importância fundamental para a mitigação das mudanças climáticas globais. Mas, afinal, o que é isso? É todo o CO2 armazenado nos ambientes marinhos, incluindo as árvores e os solos de manguezais. Nas florestas terrestres, o carbono está armazenado, principalmente, na madeira das árvores, mas, nos mangues, ele é acumulado quase que inteiramente (de 50% a 90%) no solo, por duas razões: baixa taxa de decomposição da matéria orgânica (fonte de carbono) e os longos períodos de inundação, que aprisionam o carbono no solo. É justamente essa característica que faz os ecossistemas costeiros promoverem, por metro quadrado, uma contribuição muito maior para o sequestro de carbono do que as florestas terrestres.


Apesar de sua importância, o carbono azul não é incluído em políticas de pagamento por serviços ambientais que visam mitigar as mudanças climáticas

Eduardo Ribeiro Lacerda e Ana Catarina Conte Jakovac

Instituto Internacional para Sustentabilidade

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

Open chat