Desejo de solucionar problemas

Movida pela satisfação pessoal em estudar matemática, ganhadora do prêmio Para Mulheres na Ciência 2020 conta que, só no doutorado, percebeu a disparidade de gênero em sua área e, hoje, destaca seu compromisso com a equidade para grupos minoritários na academia

CRÉDITO: FOTO CORTESIA DE MARJORIE CHATAIN

Sempre soube que gostava de matemática, embora o que tenha estudado na escola fosse apenas uma parte infinitesimal dessa matéria, que mais girava em torno de resolver os exercícios do livro Álgebra – Baldor, de Aurelio Baldor. Seguir os passos lógicos e chegar à solução de algum probleminha matemático me deu satisfação desde muito cedo. Não gostava apenas de matemática, mas também de física, química, filosofia, literatura e música. Abandonei a literatura e a filosofia depois de ser forçada a escrever ensaios sobre leituras que não me interessavam. Com a música, não tive muita chance, porque, para ser admitida em uma carreira musical, era preciso ter uma formação séria, algo que eu não tinha. 

María Amelia Salazar
Departamento de Matemática,
Universidade Federal Fluminense

CONTEÚDO EXCLUSIVO PARA ASSINANTES

Para acessar este ou outros conteúdos exclusivos por favor faça Login ou Assine a Ciência Hoje.

Seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros conteúdos desta edição

614_256 att-60523
614_256 att-59492
614_256 att-59492
614_256 att-27650
614_256 att-57751
614_256 att-57811
614_256 att-59255
614_256 att-60098
614_256 att-59382
614_256 att-59181
614_256 att-57324
614_256 att-57352
614_256 att-57301
614_256 att-57278
614_256 att-57222

Outros conteúdos nesta categoria

725_480 att-79148
725_480 att-78801
725_480 att-78477
725_480 att-77240
725_480 att-76204
614_256 att-74015
614_256 att-72134
614_256 att-73512
614_256 att-74021
614_256 att-72753
614_256 att-70669
614_256 att-71563
614_256 att-71099
614_256 att-62019
614_256 att-56480