A saga dos números imaginários

De fórmula secreta passada no leito de morte a duelos entre matemáticos no Renascimento, o percurso de uma descoberta que resolveu problemas considerados sem solução e que hoje tem inúmeras aplicações

Números naturais são provavelmente os objetos matemáticos mais familiares aos humanos e, até mesmo, a outros animais, como macacos, corvos e abelhas. Saber contar, afinal, é muito útil. Se três leões entraram em uma caverna e dois saíram, é melhor evitar entrar lá por um tempo… Mas, se por um lado, os números surgem tão ‘naturalmente’ para nós; por outro, é importante formularmos uma teoria matemática consistente, definindo as regras que obedecem. Por exemplo, a ordem com que realizamos uma adição não altera o resultado final: 3 + 4 = 4 + 3. Note que regras como essa são extraídas da experiência real, e o trabalho matemático de abstração consiste em analisar essas regras em si, como explicado no artigo O que é número?, na edição 378 da CIÊNCIA HOJE.

Marco Moriconi
Instituto de Física
Universidade Federal Fluminense

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

Open chat